Atividades Físicas Convivendo Saúde Integral

Esportes da mente ajudam a deixar seu cérebro mais afiado

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Muitas pessoas dedicam uma boa quantia de tempo, dinheiro, e muito empenho em academias, procedimentos estéticos, produtos de beleza e alimentos da prateleira fitness do mercado – tudo em prol da saúde e aparência físicas.

No entanto, o envelhecimento não se evidencia apenas no corpo, mas também na mente. É muito importante dar um tempo na correria cotidiana e no atribulado estilo de vida contemporâneo e parar para refletir um pouco mais sobre quais atitudes podem ser tomadas tanto para uma melhor qualidade de vida e saúde, como para a manutenção e melhora das capacidades cognitivas.

A partir de uma mudança de hábitos quando jovem, pode-se amenizar efeitos da exposição a fatores ambientais, como alimentação, poluição, estresse, falta de atividades físicas etc. Sendo assim, muitos focam em uma dieta balanceada, exercícios e tratamentos, no entanto acabam subestimando as atividades para a mente.

Treinar o cérebro é tão importante quanto exercitar o corpo numa academia; assim como praticar esportes que estimulam a mente são igualmente essenciais aos esportes físicos.

É comprovado que esportes e atividades que usam amplamente a função cognitiva, como o xadrez, damas, jogos de cartas, gamão, dominó, bridge (o carteado), dentre outros, ajudam a desenvolver o raciocínio lógico, pensamento estratégico, capacidade de concentração, fluidez de raciocínio e autoconsciência. Portanto, esses estímulos mentais favorecem a manutenção da saúde do cérebro. 

Um estudo que comprovou essa tese foi o feito pelo Dr. Jeffrey Cummings, professor e neurologista da Universidade da Califórnia, o qual concluiu que jogar cartas pelo menos duas vezes por semana ajuda a melhorar o “bem estar” de seu cérebro. 

Nesse sentido, um bom exemplo que corrobora com essas descobertas é o do uruguaio Jaime Ateneloff. Aos 85 anos, Jaime impressionou no ano passado durante o Campeonato Brasileiro de Poker (Brazilian Poker Championship ou BSOP). Depois de dez anos como profissional, ele trilhou seu caminho até a última etapa do torneio e tornou-se o campeão com maior idade na história do certame. Outro exemplo de senhor com uma mente aguda é o americano Doyle Brunson, atualmente com 82 anos. Ele pratica poker há mais de 50, ao longo dos quais coletou muitos títulos – Doyle ainda não pensa em se aposentar.

Mais um exemplar que comprova essa tese é o inglês Alec Holden, que aos 90 anos apostou que viveria até os 100. Holden manteve o hábito de jogar xadrez todos os dias, e inclusive administrava um clube local dedicado ao esporte. Ou seja: um padrão foi detectado.

E idade não é desculpa para você deixar de ler ou se engajar em atividades mentalmente estimulantes.

Treinar seu cérebro é tão importante quanto treinar os músculos.

Em outra pesquisa publicada na revista “JAMA Neurology”, periódico médico mensal norte-americano especializado em pesquisas relacionadas ao cérebro, foi demonstrado que pacientes que praticavam atividades como jogar xadrez e baralho pelo menos uma vez por semana, durante 4 anos, tinham melhores chances de terem uma mente mais afiada.

Com isso, concluiu-se que treinar seu cérebro é importante tanto quanto treinar os músculos. Sendo assim, além da vida mais fitness, que tal adotar alguns desses esportes mentais na sua rotina? Além de divertidos, eles podem ajudar a melhorar sua cognição e a sua qualidade de vida!

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]