Doenças Mentais Saúde Integral

Síndrome de Asperger

Menino sentado sozinho no chão contra a parede.
KatarzynaBiaÅasiewicz / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A Wikipedia sintetiza que a Síndrome de Aspenger pode ser conhecida também como Transtorno de Asperger ou simplesmente Asperger. É uma condição neurológica do espectro autista, caracterizada por dificuldades significativas na interação social e comunicação não verbal, além de padrões de comportamento repetitivos e interesses restritos. Difere de outros transtornos do espectro autista pelo desenvolvimento típico da linguagem e cognição. Embora não seja fundamental para o diagnóstico, ser fisicamente desajeitado e ter uma linguagem atípica ou excêntrica são características frequentemente citadas pelas pessoas com a síndrome. O diagnóstico com a nomenclatura de Síndrome de Asperger foi eliminado na quinta edição (2013) do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V) e a síndrome foi incorporada aos transtornos do espectro autista de grau leve. O termo técnico aplicado à Síndrome de Asperger nos manuais médicos atuais é Desordem do Espectro Autista de Nível 1, sem a presença de prejuízos intelectuais ou verbais. Existem 3 níveis de severidade no autismo, sendo 1 o mais leve, 2 o nível médio/moderado e 3 o grau mais severo.

Trata-se de uma condição próxima do autismo, mas o indivíduo que tem Asperger consegue interagir com as outras pessoas até certo ponto. Em síntese, a pessoa Asperger é 50% autista e 50% não autista, o que, ao invés de ajudá-la a ter uma convivência mais fácil do que as limitações que uma pessoa autista sofre, na realidade não é bem assim.

Duas crianças sentadas no sofá pintando um caderno.
MartaWave / Pexels

No documentário abaixo, Alex Olinkiewicz, um jovem de 16 anos, relata suas experiências de vida sendo um portador da doença de Asperger.

Aperte o play e entenda como um portador da Síndrome de Asperger vê, compreende e interage com o mundo

Num dado momento, ele diz que não se sente nem no grupo dos autistas nem dos não autistas e que tem dificuldade de entender de forma clara as palavras contidas num livro, por exemplo. No entanto, ele consegue compreender o conteúdo passado em programas de TV. Com Aspergers, alguns conceitos considerados bons para pessoas sem doenças, para eles é o contrário.

Alguns sintomas apresentados são problemas de socializar, comportamentos repetitivos, algumas manias adquiridas e problemas de comunicação. Mesmo sendo em menor escala, ao mesmo tempo, é muito difícil manter-se “nos dois mundos”.

A Síndrome não tem cura, mas é possível minimizar os sintomas ao longo da vida através de profissionais da psicologia. Procurar um médico e fazer o tratamento adequado é o melhor a se fazer nesses casos, assim o portador será direcionado para realizar o melhor tratamento. O apoio de família e amigos é essencial, sem dúvida nenhuma.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br