Convivendo Saúde Integral

Você conhece a Síndrome de Dandy Walker?

Marianna Gomes
Escrito por Marianna Gomes
A Síndrome de Dandy Walker (SDW) é uma malformação cerebral congênita que afeta os fluídos que rodeiam e o cerebelo.

As principais características desta síndrome são: a ausência parcial ou completa da área entre os dois hemisférios cerebelares; alargamento do quarto ventrículo (câmara inferior ao coração) e a formação de cistos na base interna do crânio. Não existe diferença entre os sexos.

Nos casos de hidrocefalia, a Dandy Walker é responsável por aproximadamente de 1% a 4% do total.

Entre 25.000 e 35.000 nascidos vivos, um nasce com a doença, tornando-a rara. Normalmente, percebe-se na primeira infância o desenvolvimento motor retardado e aumento progressivo da caixa craniana. Em crianças mais velhas pode-se observar:

– Sinais do aumento da pressão intracraniana: irritabilidade, vômitos e convulsões.

– Sinais de disfunção cerebelar: instabilidade e falta de coordenação muscular. Movimentos abruptos dos olhos também podem ser notados.

O diagnóstico da doença pode ser feito por meio de exame clínico e histórico, exames de imagens também podem ajudar.

Foto: Acervo Pessoal

Um dos pacientes com a síndrome é o pequeno guerreiro Felipe Dias de Pádua, de 1 ano e 3 meses, morador da cidade de Mococa (SP). Com 20 dias de vida, Felipe teve a primeira crise convulsiva, que foi tratada como crise de refluxo. Ele foi internado e fez uma tomografia, nela foi diagnosticada apenas a hidrocefalia.

Em Sumaré (SP), um neurocirurgião diagnosticou a Síndrome de Dandy Walker com apenas um mês de vida da criança. A mãe de Felipe, Ieda Dias de Pádua, trabalha e precisa deixar o bebê com uma tia. Ela está batalhando por uma vaga para ele, em tempo integral, na rede pública, e precisou entrar com uma ação judicial.

O pequeno Felipe faz fonoaudiologia e fisioterapia na APAE uma vez por semana, estímulos que também são feitos em casa. Além disso, faz terapia ocupacional em Mococa e acompanhamento no ambulatório de epilepsia da infância, na Unicamp.

Sobre o autor

Marianna Gomes

Marianna Gomes

Marianna Gomes Santos, 23 anos.
Sempre buscando conhecimento. Apaixonada por aprender! Ama viajar e assistir filmes.

Formada em Pedagogia pela Unimes e cursando 5º Semestre de administração de empresas. Diretora de Relações Públicas da FOP BRASIL.

Portadora de Fibrodisplasia Ossificante Progressiva, doença genética rara. Diagnosticada aos 5 anos.

Telefone: (13) 99694-2120
E-mail: [email protected] | [email protected]
Associação FOP BRASIL: fopbrasil.org.br | Facebook FOP BRASIL