Comportamento

Perversão ou persuasão: detalhes da ação de um perverso

Uma mão manipulando cordas de uma marionete.
svetazi / 123rf
Escrito por Fabiano de Abreu

Características manipuladoras, chantagistas e sedutoras são algumas que traçam o perfil de quem é perverso. A condição, dentro da psicanálise, pode ser entendida como uma estrutura mental tal qual neurose e a psicose

Provavelmente, no seu ciclo social existe uma pessoa extremamente sedutora, que facilmente convence todos ao redor a seguirem suas ideias e planos e que é absurdamente simpática e bem sociável. Para os mais desatentos, trata-se de uma pessoa bem relacionada e com grande poder de influência. Já para os mais atentos, uma pessoa manipuladora, impulsiva, com sentimentos de superioridade e, por fim, perversa.

É sabido que o mundo está repleto deles: pessoas que mentem e têm mania de transgredir as normas sociais sem nenhum sentimento de culpa ou remorso. Os perversos desejam poder e podem adotar práticas entendidas como “desvios” sociais, inclusive quando o assunto é sexo.

Um homem triste sendo manipulado por cordas de marionete. No fundo, uma sombra de alguém com uma tesoura.
lightfieldstudios / 123rf

A perversão, dentro da psicanálise, é uma estrutura mental como a neurose e a psicose, e não é somente sexual. Teríamos sintomas para analisar os tipos de perversão, que podem ser sexuais ou apresentar comportamentos antissociais. Mas é bem difícil fechar o diagnóstico de perversão, já que não se trata de um sintoma isolado. É algo que realmente está lá, como uma “forma de ser”. Então, falando de um modo genérico, um perverso possui características manipuladoras, chantagistas, sedutoras.

Obviamente deve-se ter cautela antes de sair atestando perversão aos mais influentes, com forte características de líderes ou predadores em sua essência, afinal persuasão e determinação podem são características muito bem-vindas socialmente e até admiráveis, mas alguns comportamentos podem ajudar revelar o perfil do perverso e a tomar cuidado quando as investidas ficarem emocionalmente perigosas.

A pessoa parece ser capaz de te prender, te seduzir emocionalmente e te fazer cair em suas armadilhas mentais, ainda que você tente escapar. Não é culpa sua, afinal a pessoa faz tudo isso para te manipular, já que, no fundo, ela não se importa com você, só finge gostar.

Você também pode gostar

Dá para escapar dessas ações furando o discurso do manipulador, ou seja, negando as sugestões que ele dá, começando a se impor, a falar mais de si e a tomar decisões mais emancipadas; e, é claro, não se expondo demais quando ele estiver próximo.

Sobre o autor

Fabiano de Abreu

Fabiano de Abreu Rodrigues é um jornalista, psicanalista, neuropsicanalista, empresário, escritor, filósofo, poeta e especialista em neurociência cognitiva e comportamental, neuroplasticidade, psicopedagogia e psicologia positiva.

Proprietário da agência de comunicação e mídia social MF Press Global, é também um correspondente e colaborador de várias revistas, sites de notícias e jornais de grande repercussão nacional e internacional.

Atualmente detém o prêmio do jornalista que mais criou personagens na história da imprensa brasileira e internacional, reconhecido por grandes nomes do jornalismo em diversos países. Como filósofo, criou um novo conceito que chamou de poemas-filosóficos para escolas do governo de Minas Gerais no Brasil.

Lançou os livros “Viver Pode Não Ser Tão Ruim”, “Como Se Tornar Uma Celebridade”, “7 Pecados Capitais Que a Filosofia Explica” no Brasil, Angola, Paraguai e Portugal. Membro da Mensa, associação de pessoas mais inteligentes do mundo, Fabiano foi constatado com o QI percentil 99, sendo considerado um dos maiores do mundo.

Contatos:

Email: deabreu.fabiano@gmail.com
Site: deabreu.pt
Site: pressmf.global/
Facebook: FabianodeAbreuOficial
Instagram: @fabianodeabreuoficial
Twitter: @Filosofofabiano
Youtube: Filósofo e jornalista Fabiano de Abreu
Linkedin: Fabiano de Abreu