Convivendo

“Biografia na pandemia” – O que o momento atual te pede?

Mulher em frente de um computador, com uma menina pequena em seu colo, e outra de pé ao lado.
123rf/Kaspars Grinvalds
Marisa Bussacos
Escrito por Marisa Bussacos

Em toda situação que tem um impacto grande para muita gente há um pedido coletivo e um pedido muito individual.
Coletivamente consigo enxergar a necessidade de desaceleração, inclusive a desaceleração interna. Tivemos que parar de circular externamente e agora também precisamos aprender a pausar, a ter mais cadência no dia a dia. Vejo a importância das ações conjuntas entre todas as pessoas e países, assim como da solidariedade.

Mulher e menina sentadas lado a lado, em frente a uma mesa com bolos. Elas conversam, e dividem um prato com uma fatia de bolo.
Pexels/cottonbro

Também sinto que há um pedido para nos apropriarmos de nossas vidas e de nossas coisas. Ao menos no Brasil, onde terceirizamos vários serviços, como beleza, limpeza, alimentação, criação dos filhos e assim por diante, precisamos, nesse momento, retomar e dar conta do que é nosso. É literalmente tomar a vida nas próprias mãos, como diria a Doutora Gudrun Burkhard, criadora da metodologia do Aconselhamento Biográfico.

Você também pode gostar

Trazendo agora para o individual, em que momento da sua biografia chega essa pandemia?

O que você estava vivenciando e o que a vida estava te pedindo até tudo isso acontecer?

Acredito que o pedido não tenha sido feito agora, mas com a aceleração em que estávamos vivendo era difícil “ouvir” e, quando tudo está sendo colocado à prova é o momento ideal para pararmos e nos questionarmos.

O que queremos alimentar para que continue em nossa vida? O que já não faz mais sentido? Olhar por outra perspectiva o mundo também nos ajuda a olhar sob novos ângulos e encontrarmos respostas. E, por que não, nos fazer novas perguntas?

Escrever a sua história, pontuar os acontecimentos e fatos da sua vida, detalhar como você se sentiu em cada um deles pode te ajudar com esses questionamentos que propus. É uma oportunidade para visualizarmos fora e dentro, o que, aliás, são espelhamentos, não há divisão como imaginamos.

Mulher sentada em frente a um notebook e um tabet. Ela está falando em um telefone, e escrevendo no tablet com uma caneta.
Anna Shvets/Pexels

A ideia com esse resgate é para não repetir o passado e usá-lo para construir um futuro mais integrado e, quem sabe, ainda melhor. Que assim seja!

Se você precisar de ajuda com esse processo, me escreva. Atuo como aconselhadora biográfica e coach com base na antroposofia: [email protected]

Sobre o autor

Marisa Bussacos

Marisa Bussacos

Coach e empreendedora. Apaixonada por desenvolvimento humano, pessoas e suas complexidades. Curiosa por ideias criativas e negócios com alma. Formada como Coach no Instituto Ecosocial com base Antroposófica.

Graduei em Propaganda e Marketing pela ESPM, com formações em Comunicação Não-Violenta, Facilitação de Processos Individuais e Grupos e Empreendedorismo Feminino pelo 10.000 Women, Goldman Sachs.

Trabalhei com a capacitação e melhora da autoestima de tecelões na Índia e em Branding e Publicidade na Natura. Empreendi a Ekoa Café, um espaço cocriado para nutrir relações, onde criei a corrente do Café Compartilhado que se espalhou por outras cafeterias do Brasil.

Atualmente realizo atendimentos de Coaching individual e facilito grupos e workshops de Desenvolvimento Humano.

Contatos
E-mail: [email protected]
Skype: marisabussacos
Site: marisabussacos.com.br
Linkedin: linkedin.com/in/marisabussacos
Página Facebook: Marisa Bussacos
Instagram: @marisabussacos
Telefone: 11 98012-5716 (WhatsApp)