Convivendo

Desculpe se te digo: te amo, amigo!

As amizades estão se convertendo em um amontoado de ‘likes’ e todos são amigos… 300, 1000 amigos nas mídias sociais e aí nos perguntamos, quantos desses amigos bacanas estarão a postos quando precisarmos?

Então, meu amigo, eu poderia escolher as tais mídias para dizer que te amo quando você posta aquela foto nossa de dez anos atrás… denotando com certa maldade-rsrs-nossa já avançada idade, mas não. Isso eu faço questão de postar aqui e assino com tudo bonitinho!

Amigo, eu gostaria de dizer que estes anos que temos passado juntos, eu aprendi muito.

Aprendi a respeitá-lo, a admirá-lo e a estar com você para o que der e vier… também senti ciúmes a cada nova amizade que você trouxe a sua vida, mas, depois aprendi que um amigo tão especial como você só poderia ter tantos amigos assim porque muito tem em seu coração. E aí você me acalmou dizendo que eu sim, sou sua melhor amiga! Ai, que maravilha!

Homem e mulher andando lado a lado.

Amigo, desculpe as vezes em que eu repeti a frase do Mário Quintana “a amizade é o amor que nunca morre” como se fosse mantra, bem na hora em que você atravessava um momento difícil em sua vida e não quis me envolver porque precisava do seu tempo. Gostaria de aproveitar para deixar claro que todas as vezes em que berrei seu nome, eu sabia que você me escutava, mas é que esse meu jeito… bem, só você entende. Teve também aquele momento ‘that´s what friends are for’ que eu te obriguei a traduzir. Nossa! E o que dizer do ‘you´ve got a friend’ do James taylor?! Perdão! rs.

Amigo, muito obrigado por oferecer seu ombro para eu chorar, ou só para descansar mesmo. Obrigada por cada palavra ou silêncio diante de cada problema que eu te trazia, e olha que eu não te dei descanso, hein?!rs

Obrigada por me amar. Do seu jeito. A sua maneira. Como sabe amar. Obrigada por oferecer aquilo que tem, e ser muuuuito!

Muito obrigada pela sua amizade, entrega e respeito.

E, amigo, desculpe por tudo. Desculpe principalmente por dizer… Eu te amo!


Você também pode gostar de outro artigo dessa autora. Acesse: Claudinha e o Mar

Sobre o autor

Claudia Jana Sinibaldi Bento

Claudia Jana Sinibaldi Bento

Sou Claudia Sinibaldi Bento, paulistana, graduada em direito e pós graduada em relações internacionais. Sou defensora dos direitos das mulheres e crianças, tenho colaborado com ONGs de muitas partes do mundo.

Minhas experiências me ensinaram que, mais do que ajudar, você aprende com aqueles que necessitam de ajuda e jamais falar de direitos humanos deve ser um tabu ou um lugar comum.

Não, defender os direitos do outro é primar pela dignidade e conscientização de que uma nação só será igualitária quando todos receberem o mesmo tratamento e forem todos percebidos como seres humanos, porque somos todos entes dotados de deveres e direitos, estas sim, são condições que nos fazem titulares dos direitos à vida, à dignidade, à integridade física e moral e à liberdade.

Email: [email protected]