Convivendo

O Caminho da Virtude

Carlos Pompeu
Escrito por Carlos Pompeu
Ao ler o livro “Novas Lendas Orientais”, de Malba Tahan, o que mais me chamou a atenção foi o conto “Primeira Rupia”, que faz alusão ao relacionamento de pai e filho. Esta obra, cujo título original é “Kitab El Maçoun” (O livro bem guardado), é traduzida por Ragy Basile e adaptada por Breno Alencar Bianco.

“Primeira Rupia” é um conto folclórico do Paquistão que nos traz um belo ensinamento e que possibilita o engrandecimento de nosso espírito por meio de sábias palavras como: não tenha por amigos os que praticam ações más; não faça amigos entre as pessoas de sentimentos baixos. Procure fazer amigos entre os virtuosos; que seus amigos sejam pessoas de bem.

A narrativa se passa em Sevã, uma cidadezinha paquistanesa que não desperta interesse pelos templos gigantes, nem por palácios suntuosos, mas devido a uma casa modesta, de teto baixo, sem pintura, com uma porta e duas janelas. Essa é a morada de um sábio chamado Raja Yadava Ramohã, um homem simples, acolhedor e de boa paz, que do alto de sua sabedoria nos relata uma história espantosa e emocionante sobre o caminho da virtude.

O relato fala sobre um velho, Samuya, que tinha apelido de Krivá, o homem de uma só palavra. Ele era um honrado mercador, viúvo e tinha um filho chamado Ghana Samuya, o personagem principal da narrativa.

O jovem filho, por ser leviano, vadio e ignorante, causava preocupação em seu pai, que por sua vez, buscava orientar seu filho com as cinco virtudes: caráter firme, sabedoria, bondade amor ao trabalho e espírito de justiça.

Certa vez, Krivá chamou Ghana para uma conversa, buscando orientá-lo:

“Tudo fiz para guiá-lo pelo caminho do bem, do trabalho e da virtude, mas você, meu filho, fugiu dos bons costumes. O que aconteceria se herdasse a minha riqueza? Meu patrimônio seria dilapidado em festas, ao invés de lhe proporcionar uma vida tranquila. Por isso, penso em deserdá-lo, meu filho, mas ofereço uma oportunidade, tens 3 dias para ganhar uma rupia com seu próprio trabalho”.

Depois de ouvir a mensagem do pai, o jovem se voltou para seus amigos, de maus sentimentos, que gostavam de sombra e água fresca. Um deles disse que emprestaria uma rupia. Ghana, por sua vez, voltou a casa do pai com uma rupia, mas o velho sábio jogou a moeda no fogo:

— Meu filho, essa rupia — disse Krivá — não foi ganhada com seu trabalho.

Então, decepcionado, o filho buscou outro amigo, na praça, que lhe emprestou outra rupia para enganar o pai. No dia seguinte, Ghana se apresentou a ele, que após analisar a moeda, mais uma vez falou:

— Meu filho — disse secamente — essa rupia não é fruto do seu trabalho.

Ghana, dessa vez, ficou arrasado, mas não protestou, não reclamou, abaixou a cabeça e saiu humilhado. Então, encontrou Gaimo, um antigo instrutor que ao saber de suas desventuras, lhe ensinou que era errado mentir ao pai, ainda mais por duas vezes, para agradar aos amigos. Assim, Ghana, o filho de Krivá, resolveu trabalhar, ganhando pelo suor de seu rosto sua primeira rupia.

Voltou a casa do pai mais uma vez. No entanto, Krivá disse novamente: “Meu filho, essa rupia não foi ganhada com seu trabalho”. Mas, dessa vez, o filho se revoltou. Devido ao seu protesto sincero, Krivá, o velho Samuya, seu pai, viu que o filho aprendera uma grande lição: livra-te do mal; segue o caminho da virtude, pratique a justiça e serás glorificado.

Sobre o autor

Carlos Pompeu

Carlos Pompeu

Carlos Pompeu, 46 anos, bacharel em Direito e formação em Letras, tendo sido redator publicitário e colunista em jornais e revistas, escreve em blogues, sobre entretenimento e cultura, na internet, sendo autor de livros virtuais de ficção, no qual adota o pseudônimo Boris de Pedra. Começou, ainda nos anos 1990, com esse nome artístico,”Boris”, em uma banda de Rock, na qual tocava baixo e cantava, além de compor as músicas e letras.

Já no século XXI, migrou para a Literatura, não tendo ainda nenhuma publicação, mas com a esperança de ter sua obra editada. No entanto, sabe que essa possibilidade encontra-se na formatação de um público leitor, o que vem fazendo, escrevendo na internet.

Atualmente tem suas atenções voltadas para a Terapia Holística, sendo sua especialidade o Reiki, com a graduação Nível III, o que o inspirou a escrever textos com a temática esotérica, que abordam a espiritualidade, pensamentos positivos e a autossugestão mental.

E-mail: [email protected]
Site: tecnocibernetico.wordpress.com/