Autoconhecimento

O melhor do ser humano

Luis Lemos
Escrito por Luis Lemos
Este artigo parte da indagação “Qual é a melhor característica do ser humano?”; tece várias considerações acerca da felicidade humana, da vida em sociedade e, por fim, afirma que o melhor do ser humano é o questionamento.

O que você considera ser essencial no ser humano? É a capacidade de comunicação? De relacionar-se? De fazer ciência? De pensar? De produzir tecnologias? De acreditar ou não em Deus? Que explicação pode-se dar ao fato de vivermos organizados em coletividades em vez de existirmos isoladamente? Qual a finalidade desse tipo de vida coletiva? Qual é a essência da vida humana? Para que existimos? Qual é o melhor do ser humano?

Para muitos, essas perguntas até podem parecer óbvias, mas jamais para um filósofo. O filósofo pergunta sempre porque quer saber. Não é uma atitude de arrogância e nem de prepotência. É o meio pelo qual o filósofo chega ao conhecimento verdadeiro, a essência das coisas. Para a filosofia, portanto, o questionamento é a porta de entrada do filosofar.

Segundo os estudiosos do comportamento humano, os psicólogos e filósofos, tudo o que o ser humano faz é para ser feliz. Não existe outra finalidade na vida humana se não ser feliz. No entanto devemos nos perguntar: como ser feliz num mundo altamente competitivo e excludente? Como ser feliz num mundo que prioriza o ter em detrimento ao ser? Como ser feliz num mundo de aparências? Como ser feliz se a injustiça impera nas relações sociais?

Segundo o filósofo Spinosa, o ser humano só é feliz totalmente quando consegue enxergar no outro aquilo que lhe falta. Para ele, o ser humano é um ser carente. A carência humana é aquilo que lhe falta e para sanar tal carência ele precisa educar-se para aquilo que ele não tem. Por exemplo, o amor. De fato, o ser humano precisa educar-se para o amor. A vida em sociedade exige que tenhamos o amor como ponto final de nossas ações. Não podemos ser indiferentes ao amor. O amor ao outro, o humano, o carente. Não o amor metafísico, teológico. É o amor existencial. Imanente.

A pergunta continua: qual é a melhor característica do ser humano?
 Para os moralistas, especialmente os religiosos, o melhor do ser humano são os valores. Valor é aquilo que é importante para a pessoa, por exemplo, a família, o trabalho, a política, a ordem, a educação, a igreja. Segundo Santo Agostinho, o homem só é feliz totalmente em Deus. Diz ele: “O meu coração está inquieto, Senhor, enquanto em Ti não repousar”. Para você, acreditar em Deus ajuda ou atrapalha o ser humano a ser melhor?

Para as ciências humanas e sociais, especialmente para a filosofia, o melhor do ser humano é a vida em sociedade. É a coletividade que nos define. Segundo o filósofo grego Aristóteles, o homem é por natureza um animal político e isso explica o fato de haver na natureza humana uma tendência a viver em sociedade e que ao realizar esta inclinação, o homem realiza o seu próprio bem.

Em suma, acreditamos que o respeito às questões humanas, o amor à verdade, à justiça são pontos de partida para a realização humana. Outros podem encontrar na religião, na ação política, no trabalho voluntário, o ponto de partida para o melhor de si. Por fim, devo dizer que o melhor do ser humano é o questionamento, pois ele é tão natural em mim quanto é próprio da semente de laranja tornar-se uma árvore e produzir laranjas.


Você também pode gostar de outro artigo do autor. Acesse: As profissões de ontem, de hoje e de amanhã

Sobre o autor

Luis Lemos

Luis Lemos

Filósofo, professor universitário e escritor, autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2010); O segundo olhar – A filosofia em temas amazônicos (2012); O terceiro olhar – A filosofia em lendas amazônicas (2014); O homem religioso - A jornada do ser humano em busca de Deus (2016); Jesus e Ajuricaba na terra das Amazonas - Histórias do universo amazônico (2019).

Email: [email protected]
Instagram: @professorluislemos
Facebook: professorluislemos
Twitter: @luisclsilva
Youtube: Luis Lemos