Autoconhecimento

Quando você julga, quem se torna prisioneiro é você!

Pessoas falando sobre mulher branca à frente deles.
highwaystarz / 123rf

Quando você julga, quem se torna prisioneiro é você. Sim, você se torna refém dos seus próprios julgamentos, torna-se refém dos limites impostos, refém dos preconceitos estabelecidos. Você se torna prisioneiro do certo e do errado.

Como isso ocorre? Muito simples: imagine que você entenda como errada determinada situação. Uma situação, por exemplo, em que seu vizinho tenha um comportamento específico diante de uma circunstância. Você o julga como alguém que está agindo totalmente errado. OK, essa é a sua opinião. Agora entenda: caso você se encontre em situação exatamente igual ou semelhante, você não se permitirá agir dessa forma. Você já colocou os limites previamente nas ações dele e nas suas ações.

No caso, você o julga, mas ao mesmo tempo coloca limites em você próprio. Sim, é certo que devemos agir de acordo com nossos princípios e valores que entendemos como corretos e sobre isso não há dúvidas. A questão é que, muitas vezes, o que julgamos como certo ou errado talvez não seja tão certo ou tão errado assim.

Pessoas conversando ao fundo de um homem negro escrevendo num caderno.
Keira Burton / Unsplash

Na grande maioria das vezes, não temos a visão do todo, a visão completa de todas as circunstâncias e já saímos julgando. Então, não poucas vezes, a vida poderá nos trazer circunstâncias semelhantes àquelas que muito julgamos e, portanto, teremos de saber como lidar com elas. E aí entram os limites impostos a nós mesmos dos nossos julgamentos. Nesse momento, então, é importante a reflexão para que nos tornemos menos julgadores e mais compreensivos, mais flexíveis e mais tolerantes em relação aos erros alheios. Por que, afinal de contas, quem nunca errou?

Você também pode gostar

Não deixe seus julgamentos aprisionarem você. Seja mais flexível e se torne cada vez mais livre para expressar seus verdadeiros valores de amor e compaixão que fazem parte de sua essência! Seja mais compreensivo com os erros alheios e com seus próprios erros, pois só assim alcançaremos uma convivência mais pacífica e livre.

Sobre o autor

Úrsula Petrilli Dutra Christini

Blogueira e escritora, com formação em Life Coach, Professional Coach e Leitura de Registros Akashicos. Autora do livro “Gratidão, traga-me mais - 10 passos para atrair mais abundância em sua vida”, da Editora AGE, lançado em novembro de 2019. Servidora pública, bacharel em direito, assessora jurídica. Voluntária da ONG Arte de Viver e responsável pela Meditação da Lua Cheia há mais de 4 anos. Blogueira do Zh Moinhos por 6 anos e do Blog Reconduza por 5 anos. Criadora do Canal do YouTube Reconduza por Úrsula.

Apaixonada pela escrita motivacional, realizo-me escrevendo com a possibilidade de tocar o outro ser humano positivamente. Uso a meditação e o Acesso aos Registros Akashicos para a inspiração em meus textos.

Por meio de meus artigos, procuro aplicar o coaching para ajudar o outro ser humano a ir do “ponto A ao ponto B” ou, quem sabe, do “B reconduzir ao A ou ao C”.

Acredito no poder de uma postura positiva. Não é só o pensamento positivo. É um olhar positivo, crenças positivas, emoções positivas, palavras positivas, postura positiva. Aí, sim, podemos começar a falar em poder do pensamento positivo.

Nesse tempo de despertar, trazer palavras de Luz para este universo digital é algo que todos nós podemos fazer.

Fica a dica!

Gratidão ao Eu Sem Fronteiras e a você!

Contatos:
Email: ursula.petrilli@gmail.com
Facebook: facebook.com/ursula.christini
Instagram: @reconduza_por_ursula
Youtube: RE CONDUZA por Úrsula Dutra Christini
Twitter: @Reconduza_com