Autoconhecimento

Liberte-se do medo do julgamento

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Você sabia que as pessoas não contam aos seus terapeutas seus problemas sexuais mais vulneráveis? Seus terapeutas… As pessoas que deveriam ouvi-las e ajudá-las com seus problemas.

Existe uma razão para isso. E é a mesma razão pela qual as pessoas mentem para seus médicos sobre quantos parceiros sexuais eles tiveram ou porque eles fumam ou não.

Nós temos medo de sermos julgados!

E quem pode nos culpar por isso? O mundo é um lugar de julgamento. Ainda não aprendemos muito sobre essa coisa de ter coração grande e amor incondicional. Frequentemente esquecemos que as pessoas sempre estão dando o seu melhor, com tudo o que tem. Então, julgamos uns aos outros e isso mexe com as feridas que preferimos esconder.

Então, nós paramos de sermos honestos. Ficamos envergonhados diante da vulnerabilidade. Colocamos a nossa armadura antes de dar um passo para fora de casa. E alguns de nós nunca a tira novamente.

Julgar aos outros por medo de ser julgado é algo que não cultiva a comunhão.

A questão é que isso é um problema caso desejemos ser pessoas melhores. Não podemos crescer dentro de uma armadura. Nossos corações não pulsam quando mentimos. O mundo não se transforma em um lugar melhor quando deixamos o medo tocar o show. Acho que isso é bastante óbvio dado ao que está acontecendo no mundo.

Sou alguém comprometida com o meu crescimento pessoal. E eu aposto que você também é. Sou uma eterna estudante, sempre aprendendo e crescendo. Mas eu sou particularmente interessada em como eu posso continuar me desenvolvendo por conta própria. Quero que o meu coração continue a crescer e que a minha luz continue a brilhar mais forte.

E assim é, e continuará sendo. Mas para isso eu precisei tirar a minha armadura. Tive que acordar para a verdade que a minha máscara escondia. Caso contrário, estamos apenas adiando essa luta. Pensamos que estamos mudando porque estamos nos esforçando para mudar, mas na verdade nada está realmente acontecendo.

Nós temos que aprender a deixar o medo de ser julgado de lado, para que possamos nos ocupar com o grande trabalho da cura.

Parte dessa jornada espiritual é se livrar da preocupação do que os outros pensam sobre você. Você tem que viajar para dentro e se encontrar com o seu próprio espírito. Quando você é gentil consigo mesmo, o medo perde força. Seu amor-próprio supera tudo.

Tenho um grupo de pessoas incríveis na minha vida em quem confio, que me conhecem e que me apoiam em minha jornada. Quando estou trabalhando, eles estão lá para me ouvir, avaliar e refletir comigo. Quando estou perdido e em profundo desespero, eles estão lá para me dar amor até eu encontrar o meu próprio.

O suporte que eu tenho tido ao longo da minha vida é parte integral da mulher que eu me transformei. Acredito fielmente que podemos crescer através do apoio. Esse é o porquê eu faço um trabalho de tutoria, porque eu trabalhei com professores e tutores e eu tenho um belo grupo de amigos e família. Eu me permiti confiar nos outros, e eu confiei em mim para saber quem são os mentores certos para mim.

Se atualmente você está com medo de que as pessoas na sua vida vão te julgar por uma ou duas coisas, pense nisso: ou eles estão te julgando, ou você está vivendo com medo. A diferença entre os dois fica muito clara quando você se conhece e está em contato com a sua intuição.

Se você não tem certeza, o melhor caminho que eu conheço para seguir em frente é ser gentil. Encontre o seu medo, e se sobreponha a ele. Veja como as pessoas te respondem. Se você se sentir seguro e apoiado, você vai saber que pode começar a ser mais aberto e isso gerará relacionamentos mais confiáveis. Se você se sente julgado, pode ser a hora de abordar isso e seguir em frente, senão nada muda.

Você sabe quem pode te apoiar na sua vida. Você sabe pela forma que eles te fazem sentir. Se você compartilha sua vulnerabilidade com alguém, e acaba se sentindo pior do que antes, então você sabe que essa pessoa não pode ser seu apoio. Para sermos vulneráveis, precisamos nos sentir seguros.

Confie em si mesmo quando não se sentir seguro.

Prestar atenção nesse aspecto é importante para a nossa própria cura, senão permanecemos imóveis. Viver com medo nos machuca, não o médico, nem o terapeuta ou o mentor. Isso machuca a nós e quem amamos.

Quando se sentir cansado de se machucar, é hora de tirar a máscara. Quanto mais você espera, mais sua luz se ofusca… E lembre-se: você está aqui para brilhar!


Texto escrito por Amanda Magliaro Prieto da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]