Autoconhecimento

Amor e apego, onde começa um e termina o outro

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Todos precisamos ser livres, inclusive no amor.

O amor e o apego podem andar lado a lado, mas não são a mesma coisa. As pessoas deturpam a ideia do que é a liberdade em uma relação e da sua importância na vida de todos os seres humanos.

“As pessoas deturpam a ideia do que é a liberdade em uma relação e da sua importância na vida de todos os seres humanos”

Atualmente, a liberdade tem sido banalizada nas relações. As pessoas dizem que quem ama cuida, mas na verdade, elas controlam. Algumas pessoas ainda acreditam na ideia de que amar livremente é a mesma coisa que não se importar e, se você ousa ser livre em uma relação, é só porque aderiu ao poliamor.

Vale lembrar que não existe nada de errado no poliamor quando as duas partes estão cientes da relação aberta e concordam com suas condições. O amor livre é uma opção ótima para pessoas que não se importam em manter mais de uma relação e nem se sentem inseguras por seu parceiro fazer o mesmo.

O problema nessa confusão é outro, as pessoas não acreditam que a liberdade entre na monogamia, mesmo ela sendo fundamental em qualquer relacionamento saudável. Afinal, essa história de metade da laranja é ultrapassada, somos pessoas inteiras dispostas a caminhar ao lado do outro. 

“E nada mais justo do que caminharmos livremente por aí”

Estar em um relacionamento não significa se privar do mundo, menos ainda deixar de existir sem a pessoa amada. O desapego deve existir para que o amor prevaleça sem controlar a pessoa. É muito importante ressaltar que desapego é completamente diferente de desinteresse, uma pessoa desapegada é mais independente e segura de si, enquanto uma pessoa indiferente não faz a mínima questão de ser presente na vida do parceiro.

Embora o amor não seja uma escolha, as nossas relações são. Somos seres livres e escolhemos ficar ao lado de quem amamos. Existem muitas pessoas que se amam no mundo e optam por não ficarem juntas, amar alguém não nos dá o direito de fazer a pessoa permanecer em nossas vidas.

Quando você ganha uma roupa nova, confortável e bonita de se vestir, usa, mas sabe que qualquer pessoa pode encontrá-la em um brechó depois que não lhe couber mais. Se a ideia de sua roupa não lhe servir mais te amedrontar, você se apegou à ela e, se mesmo depois de se desfazer da peça não aceitar isso, significa que você se tornou dependente.

Isso se encaixa perfeitamente na ideia de amor e apego em relacionamentos. Embora tenhamos apreço pela pessoa amada, ela está ao nosso lado hoje e não podemos depender dela, porque não sabemos o dia de amanhã.

Amar é saber que o outro pode ir embora a qualquer momento e que esse é um risco que todos corremos, até porque também podemos partir para outra um dia.

Desfrutar da companhia de quem se ama é ótimo, depender disso para ser feliz é apego. Não reverta o prazer em sofrimento, isso é um atalho para a dor. Em qualquer relação é fundamental saber estar sozinho, se não apreciamos nossa própria companhia, usamos o outro como muleta emocional. Depender dos outros não é de forma nenhuma algo positivo, devemos ser felizes com ou sem as pessoas por perto.

Grave na cabeça 3 coisas fundamentais para o seu relacionamento ser saudável:

O amor não deve esperar nada em troca

Tudo o que fazemos para as outras pessoas, fazemos antes por nós mesmos. Não espere que o outro te trate da mesma forma que você o trata. Fazer o bem nos faz bem e não exige retribuição. Se não te faz bem, pare agora! Ninguém está cobrando nada de você.

Você não é dono de ninguém

Respeitar a liberdade do outro é respeitar a si mesmo. Não prive quem te ama de ser livre, destruir a liberdade de quem você tem ao lado é destruir o seu amor. Controlar não vai te fazer possuir a pessoa, só vai afastá-la da sua vida, criar insegurança e insatisfação e, quem sabe, até influenciá-la a mentir para você.

Dependência não é amor

Não se vicie em quem você ama, não pense que pode controlar a pessoa. A sensação de posse nasce da dependência e pode destruir a sua vida. Ter medo de perder algo que você não possui é desnecessário, aproveite a chance que tem de fazer a pessoa permanecer em sua vida por conta própria. É muito mais prazeroso!

“Dê a quem você ama: asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar.” (Dalai Lama)

O apego pode te confundir, porque nele mora o vampirismo emocional. E dois vampiros nunca poderão se amar, sugarão a energia do amor até não restar mais nada.

Amar o outro é aceitar sua liberdade e querer o seu bem acima de tudo. Se você não deixa quem ama livre, não respeita e não é livre também.


Escrito por Juliane Rodrigues da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]