Autoconhecimento

Autorresponsabilidade: você se sente responsável pelo que acontece contigo?

Juliana Ferraro
Escrito por Juliana Ferraro


Boa pergunta! E vamos investigar!

Ontem recebi um texto muito interessante, um texto que é uma mensagem do mestre Saint German nos dizendo o quão importante é sermos responsáveis por tudo o que nos acontece e também acontece no mundo, pois, de todas as formas, estamos emitindo vibrações energéticas através dos nossos sentimentos e emoções. E é esta energia que emitimos que faz com que o mundo seja como é.

Se acreditamos no medo, o medo vai se reproduzir: guerras, governos extremistas, golpes, violência nas cidades. Precisamos confirmar que nossas crenças são reais e por isso criamos a realidade a partir do que acreditamos que deva acontecer.

Acreditando que o mundo não é seguro, geramos insegurança.

É assim que, estando sempre com medo, vibramos no medo e atraímos tudo o que tem relação com essa energia. Agora imagine milhões de pessoas com medo, o que acontece? Estamos vendo os resultados em nossa realidade.

Além disso, assisti a um Global Talk do Sri Prem Baba sobre o vício que temos do negativismo. Se estamos funcionando de acordo com sentimentos de matrizes vibracionais mais baixas, como raiva, avareza, inveja, gula, preguiça, medo, estamos presos numa rede que nos faz sofrer o tempo todo e atrair situações que correspondam ao nosso padrão energético.

É assim que podemos e devemos usar o nosso poder de sermos livres e termos o livre-arbítrio para sair desses padrões repetitivos de crenças limitantes, pois, através deste trabalho interno, estaremos influenciando o coletivo, já que nada está livre por aí, é uma rede energética que está se reproduzindo, mas que não está fadada a isto.

É assim que podemos e devemos usar o nosso poder de sermos livres e termos o livre-arbítrio.

O que é nossa tarefa é a autoinvestigação, olhando para tudo o que somos e estamos e assistindo aos pensamentos passando, assim como as emoções e sensações, tendo consciência de todos esses sentimentos que te habitam. Então aí dentro de você existe uma luta para expulsá-los da consciência e é isso que tentamos fazer no mundo aí fora, mas que não adianta. É como tampar uma panela de pressão. Uma hora ela explode.

Vemos isso por tudo o que tem acontecido no mundo, eleições nos EUA, golpe no Brasil, saída da Inglaterra da UE, greves, passeatas. Os governos não são os responsáveis por tudo. Nós somos. Porque estamos vibrando de forma a doar energia para esse tipo de governo. Mas é uma escolha.

O verdadeiro ato de rebelião é sair do sistema que nos aliena de nós mesmos, deixando que nosso inconsciente fique mais soterrado. Assim nos vemos surpreendidos por situações que atraímos. Além de protestar e fazer greve, vamos meditar também? Vamos ver de onde vem tudo isso?

Passei uns dias com muita vontade de me fechar em casa e ficar comigo mesma. Não foi fácil, por isso dizem que a primeira companhia que devemos amar é a nossa mesma. Ainda estou aprendendo a gostar da minha, mas está sendo uma libertação.

Conheça-te.

Sobre o autor

Juliana Ferraro

Juliana Ferraro

Juliana Ferraro é psicóloga por formação e viajante por amor às coisas novas da vida. Seu contato com diferentes línguas e culturas começou quando ela ainda trabalhava no Club Méditerranée, depois disso fez um mochilão pelo mundo em busca de autoconhecimento. Em pouco mais de 1 ano conheceu diversos países asiáticos, em especial a Índia, onde fundou uma paixão profunda pelo Yoga e pela meditação. Hoje, ela é professora de Yoga e terapeuta reikiana em Paraty, RJ.

Contatos:

Facebook: /juliana.ferraro | /lotusviajante
Instagram: @ferrarojuju | @lotus_viajante
Site: www.lotusviajante.com | www.casadodharma.com
E-mail: [email protected]