Comportamento

Candidiase em homem: sintomas, o que causa e como tratar

Imagem de um homem sentado. Ele usa calça jeans e está com uma das mãos sobre o seu órgão genital. Ele foi diagnosticado com candidíase masculina. Ele está com uma infecção.
Diy13 / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se você já ouviu falar sobre uma doença chamada candidíase, provavelmente ouviu sobre ela relacionada ao sexo feminino. Sim, a candidíase é mais comum entre as mulheres, especialmente a candidíase vaginal, mas os homens também podem ser afetados. Outro mito é que ela é uma IST (infecção sexualmente transmissível), o que é uma mentira, já que até mesmo crianças podem sofrer com essa doença, que precisa ser tratada assim que identificada, para que não cause ainda mais transtornos.

O que é candidíase?

Antes de mais nada, é preciso entender o que é essa doença. A candidíase é uma infecção fúngica, isto é, causada por um fungo. Nesse caso, o fungo pode ser qualquer um do tipo Candida. Há três tipos de candidíase. O primeiro é a candidíase oral (popularmente conhecida como sapinho), em que os sintomas são, principalmente, manchas brancas na língua e em outras partes da boca, inclusive na garganta. Pode haver, nesse tipo da doença, dores na boca e até mesmo dificuldade para engolir. O segundo tipo de candidíase é a vaginal, que tem entre seus principais sintomas prurido (a popular coceira) e irritação, além de um corrimento branco. O terceiro tipo, muito menos comum, é a candidíase masculina (também chamada de candidíase peniana, ainda que esse termo seja menos popular), que causa prurido e irritação no pênis.

Se não for tratada adequadamente, a infecção pode se tornar invasiva e se espalhar pelo corpo do paciente, o que pode causar febre e sintomas diversos, dependendo de onde e como a infecção agir.

O que provoca a candidíase no homem?

Como explicado na introdução do texto, os responsáveis pela infecção são os fungos do gênero Candida. Entre eles, a Candida albicans é a mais comum em casos de candidíase.

Como é um fungo, a principal maneira de prevenir a candidíase é fazer a higiene adequada das regiões bucal e genital, além de se usar preservativo em relações sexuais. Enquanto as mulheres devem se preocupar em fazer a higienização da vagina com sabonete de pH neutro, o que evita ameaças como essa, os homens podem seguir algumas dicas, tais como dar preferência a cuecas de algodão e evitar roupas justas ou que causem suor excessivo, além de evitar manter a região genital úmida ou molhada por muito tempo. Ainda em relação à área genital, o uso de preservativos é a melhor maneira de evitar contágio entre parceiros, já que, mesmo cuidando da sua higienização, nunca se sabe se a pessoa com quem você está se relacionando tem os mesmos cuidados. Além disso, a camisinha previne uma variedade enorme de ISTs, não somente a candidíase, então seu uso é essencial.

Imagem de um homem usando camisa branca e calça jeans. Ele está com as mãos sobre a calça, próximo ao seu órgão genital. Ele foi diagnosticado com uma infecção denominada candidíase masculina.
Henadzi Pechan / 123RF

Quanto à candidíase oral, a maior recomendação é a higienização adequada da boca, da língua e, dessa forma, da garganta, o que significa escovação dos dentes diária, de preferência mais de uma vez ao dia. Se você tem filhos ou é responsável por crianças pequenas, fique atento à escovação de dentes delas, porque tanto meninas quanto meninos podem ser infectados por esse fungo.

Entre os fatores de risco para o desenvolvimento da infecção estão, tanto para homens quanto para mulheres, o já citado não uso de preservativos nas relações sexuais e o uso de roupas apertadas ou molhadas, além de diabetes, obesidade, tratamento corrente com o uso de antibióticos e deficiência imunológica, como a causada por doenças como Aids e por diversos tipos de câncer.

Como saber se o homem está com candidíase?

Os homens devem ficar atentos a sintomas como dor e vermelhidão na boca, além de manchas esbranquiçadas ou placa nas mucosas da bochecha e da língua, no caso da candidíase oral. No caso da candidíase peniana/masculina, os sinais de alerta incluem coceiras no pênis, bem como vermelhidão (especialmente no prepúcio) e irritação na região.

Se os sintomas acima forem identificados, procure um médico. Na consulta médica, o profissional analisará a mucosa do pênis ou da boca. Caso seja necessário, o médico pode fazer uma raspagem da área infeccionada para que uma amostra seja analisada em laboratório, com o objetivo de identificar o tipo de fungo que está causando o problema. Após a identificação, o tratamento adequado pode ser feito, mas é provável que o médico recomende medicação ainda na primeira consulta, com o objetivo de mitigar o avanço da infecção e combater seus sintomas.

Como curar a candidíase no homem?

Normalmente, o tratamento da candidíase oral é feito com a opção de antifúngicos em comprimido, que é o método com eficácia normalmente mais rápida. Em relação à candidíase peniana/masculina, o mais comum é que o médico prescreva o uso de cremes e loções na região genital, normalmente duas vezes ao dia. Antifúngicos em comprimido, como aqueles aplicados nos casos de candidíase oral, podem ser aplicados, bem como um tratamento à base de corticoide, caso a irritação esteja muito acentuada, dolorosa, incômoda e/ou espalhada pelo membro.

Imagem de um homem usando camisa e calça social na cor azul claro e escuro, respectivamente. Ele está com uma das mãos dentro da calça. Ele foi diagnosticado com uma infecção denominada candidíase masculina.
Olga Yastremska / 123RF

Quanto tempo leva para curar a candidíase no homem?

O tempo do tratamento varia de acordo com sua gravidade e sua extensão. Somente um médico pode determinar por quanto tempo os medicamentos devem ser ingeridos ou aplicados, mas o mais comum é que o tratamento dure de 7 a 14 dias.

Você também pode gostar

A candidíase é uma doença tratável de maneira simples; mas, se podemos preveni-la e evitar ser infectados e, além disso, infectar os outros, isso é o melhor a ser feito, não é mesmo? Então cuide da sua higiene genital e oral e lembre-se de não fazer sexo desprotegido, sem o uso de preservativos.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]