Saúde da Mulher Saúde Integral

O que é candidíase?

Imagem de uma mulher sentada sobre a cama. Ela usa um moletom, está com sintomas de candidíase. Ao lado dela uma lousa escrita SOS.
Siriluk Kongkead / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Qualquer tipo de doença que acomete o nosso corpo pode provocar desconforto e incômodo, mas tudo parece pior quando essa doença atinge a região íntima. Coceira, secreção e inflamação na vulva ou no pênis nunca são um bom sinal, por isso precisamos nos atentar ao que está acontecendo com o nosso corpo para evitar que uma sensação ruim se torne um grande problema.

A candidíase é uma doença que pode se manifestar em homens e em mulheres e é uma infecção que se origina com o fungo Candida albicans, o qual se encontra predominantemente na vagina e que está sempre presente em nosso corpo, mas que, ao se tornar numeroso, provoca sintomas bastante desagradáveis.

Muitas pessoas acreditam que a candidíase é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), porque ela se manifesta majoritariamente na região íntima. Ainda que a candidíase possa ser transmitida de um homem para uma mulher ou de uma mulher para um homem por meio do contato íntimo, visto que ela é um fungo, essa não é a principal causa da doença.

A candidíase está mais associada a uma queda na imunidade do corpo, a qual propicia o desenvolvimento do fungo. Sendo assim, tomar antibióticos, usar calças apertadas, permanecer muito tempo com biquínis ou sunga úmidos, ter diabetes ou tomar anticoncepcionais são fatores de risco para o desenvolvimento dessa doença, que pode se manifestar também durante a menstruação ou a gravidez. Aprenda mais sobre ela!

Sintomas da candidíase

Os principais sinais de que a candidíase se desenvolveu no organismo são coceira, inflamação e secreção na região íntima (com um corrimento espesso e esbranquiçado), além de serem frequentes desconforto durante a relação sexual, inchaço e dor ao urinar, principalmente para os homens.

Imagem do corpo de uma mulher. Ela usa uma blusa verde e uma calça de linho bege. Ele está com sintomas da candidíase e está com as mãos dentro da calça.
Olga Yastremska / 123RF

O que muitas pessoas não sabem é que a candidíase pode se desenvolver em outras partes do corpo, não só na vulva ou no pênis. Na boca, por exemplo, a candidíase é bastante frequente e recebe o nome popular de “sapinho”, cujas características são manchas brancas na região interna dos lábios.

Como já dito anteriormente, a candidíase na pele pode acometer qualquer parte do corpo, ou seja, da cabeça aos pés. Ela surge como manchas avermelhadas, grandes, com formato arredondado e deixam a pele ligeiramente ressecada. Na unha, a candidíase aparece na forma de vermelhidão ao redor das cutículas, dor e, em alguns casos, apresenta pus.

Quando procurar auxílio médico?

A candidíase é uma doença que, como qualquer outra, precisa ser identificada e tratada por profissionais. Se você já apresentou essa infecção outras vezes e sabe como ela atinge o seu corpo, ainda assim é recomendado que você procure um profissional, para garantir que é mesmo candidíase, e não outra doença.

Por outro lado, se você nunca teve candidíase, não se preocupe. Ademais, essa doença pode ser tratada com facilidade e não deixa sequelas. Ao sentir todos ou algum dos sintomas e se o incômodo estiver muito severo, agende uma consulta ou procure atendimento de emergência.

Imagem do corpo de uma mulher - da cintura para baixo. Ela usa uma saia colorida e está com uma das mãos sobre a sua genitália. Ela está com sintomas de candidíase.
Attila Barabas / 123RF

Mesmo que você conheça pessoas que já tiveram candidíase ou se você acompanha conteúdos na internet sobre esse assunto, o diagnóstico e o tratamento mais confiáveis para esse problema devem partir de um profissional da saúde, o qual é apto a diagnosticar essa doença em seu organismo, pois o que funcionou para outra pessoa pode não funcionar para você!

Você também pode gostar

Portanto, a candidíase é uma infecção fúngica comum que pode afetar homens e mulheres. Apesar de sintomas incômodos e desagradáveis, a doença apresenta um tratamento simples e eficaz, que deve ser ministrado somente por um profissional da saúde especializado.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]