Convivendo

Como é o sistema de castas na Índia?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A religião oficial da Índia é o hinduísmo, no qual está contido o sistema de castas. Estabelecido por volta de 850 a.C., tem base na hierarquia de “classes” de seres humanos.

A origem desta supremacia de algumas “raças nobres”, como eram consideradas, provém do embate entre grupos indianos brancos e imigrantes de pele escura.

Além de hierárquico, esse sistema é hereditário e endógamo. Clarifiquemos alguns termos:

– Hereditário: Passado de pais para os filhos. Neste caso, o filho já nasce condicionado à classe social de seu pai.

– Endógamo:  Permissão de casamento apenas entre o próprio grupo. No caso da Índia, dentro da própria casta.

Esta crença se deve ao valor dado à reencarnação. Sendo assim, as atitudes de vidas passada seriam responsáveis por definir a posição do ser na vida atual.

Tais características são manobras para que se estabeleça a imobilidade social. Ou seja, o indivíduo já nasce condicionado a seu modo de vida. Além de sua casta, seu trabalho, sua vestimenta e hábitos também serão hereditários e imóveis no tempo.

Castas baixas

Apesar de vir sofrendo crescentes divisões, esse sistema ainda preserva algumas classes base.

São algumas das castas mais baixas e seus constituintes:

– Xátrias: guerreiros;

– Vaixias: comerciantes e camponeses;

shutterstock_130700480

– Sudras: escravos,

– Dalits ou “Intocáveis”: sujeitos a margem até mesmo das castas mais baixas, considerados impuros. São associados à morte e à sujeira. Os intocáveis só podem utilizar roupas encontradas nos corpos de outro mortos.

shutterstock_249328846

Castas altas

A casta mais alta é constituída por sacerdotes, religiosos e nobres, e denominada “Brâmane”.

Os bramânes são extremamente respeitados na Índia e apesar da imobilidade social ser conhecida dentro das castas, grupos insistem em práticas como vegetarianismo para se “aproximar” das práticas das castas mais puras.

Luta sem fim

Com o histórico de enraizamento deste sistema no país, torna-se praticamente impossível extingui-lo nos dias atuais. Alguns episódios já foram exemplo de repulsa a este sistema, como a luta de Mahatma Gandhi após a independência da Índia em 1947, ou a ação da ONU e órgão humanitários de todo o mundo.

Atualmente este sistema de resignação é proibido por constituição, entretanto, ainda é praticado por quase a totalidade do grande país.


  • Escrito por Julia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]