Convivendo

Então, poda-se!

Patricia Tolezano
Escrito por Patricia Tolezano
A vida é assim. Temos que cortar para crescer. Já falei por aí que viver é como uma jardinagem, somos todos jardineiros de nós mesmos. Alguns são amadores e seguem ao pé da letra o que lhes foi ensinado, entendem que para crescer precisamos irrigar, arar a terra, cuidar da semente, plantar na época certa e seguir os preceitos do plantio para a colheita feliz.

Outros se profissionalizam e descobrem que mesmo fazendo isto tudo e um pouco mais, muitas vezes, a semente não desenvolve. Em casos mais extremos, mudamos toda a terra e nada. O fruto ali não nasce, a semente não fortalece, a flor não tem viço, as folhas são como braços que pendem no corpo.

Você fez tudo como deveria. Mas, talvez o vento tenha soprado diferente, a nuvem e o sol ficado mais tempo ou a chuva tenha molhado demais. Mas, talvez, foram na medida certa e, ainda assim, o produto final não é compatível com o empenho e desempenho gerado. Assim, algo inerente a você ou às situações climáticas ideais, algo inexplicável e inexplicado, fez o fruto ou a flor secar antes de colher.

Closeup of hand of woman gardener trimming plants with pruning shears in garden center

Sabe por quê? Porque, em alguns casos, para crescer é preciso podar. Na jardinagem, ao longo do tempo, é preciso cortar galhos, folhas inertes, frutos que não amadurecem, flores murchas, troncos secos, até arrancar uma raiz que precisa de mais água e nutrientes e acaba fazendo as outras secarem à sua volta, matando todo o jardim e impedindo que novas flores e frutos surjam.

Simples? Claro que não! Dá trabalho, cansa, gera insegurança e deixa as unhas com muita sujeira, pois está em nossas mãos o poder de decidir o que e como vamos eliminar.

Assim é a vida. É preciso eliminar pessoas, situações e sentimentos das nossas vidas. Sabe aquele relacionamento que, apesar da dedicação e amor, encruou? Então, não é para ser. Se continuar ali, talvez você se prenda e não cresça. Talvez impeça o outro de crescer e permanecerão como duas árvores secas. Sabe aquela roupa que está no armário que você sequer olha? Dê para alguém que vai valorizá-la e cuidá-la, ao invés de deixar que a ação do tempo estrague-a.

Sabe aquelas situações que sempre acontecem com você e trazem incômodo, aborrecimentos ou sentimento de vazio? Elimine-as! Corte na raiz. Em menor ou maior grau, estes nossos galhos diários nos causam males na alma, deixando mente e corpo frágeis e sujeitos aos intempéries da vida. Então, para crescer e frutificar, poda-se!

Sobre o autor

Patricia Tolezano

Patricia Tolezano

Sou jornalista de formação, marketeira de opinião, analista esportiva de supetão e escritora de coração.

Se tivesse que me definir em uma única palavra, esta seria adaptação. Mas gosto mesmo é de escrever. Sou uma pessoa e escritora em construção. A partir de agora, vocês conhecerão um pouco do mundo à minha volta.

Viva sem culpa, ame sem medo. E, na dúvida, tente sempre! Para mim, isto é ser feliz.

Contatos:

Site: patriciatolezano.com.br
Facebook: /Patricia Tolezano
Twitter: @PatTolezano
Instagram: @patriciatolezano