Autoconhecimento

O despertar de uma nova consciência

Paulo Tavarez
Escrito por Paulo Tavarez
A única verdade que a humanidade conhece é relativa e convencional, não é a verdade absoluta. O homem não percebe que suas verdades são úteis, mas transitórias e estão sujeitas a constantes renovações.

Para escapar da ignorância, o indivíduo se agarra a todo tipo de doutrina e com isso perde o contato com sua própria natureza. Deixa de sentir e passa a pensar, racionalizar, julgar e orientar-se por códigos que vieram de fora. Não percebe que foi expulso do paraíso quando deixou de seguir as próprias intuições, nem avalia que se encontra bem longe da Casa do Pai, como um filho pródigo, quando decidiu abrir mão da inspiração, da imaginação e agora vive no automático, respondendo aos comandos de uma programação nefasta criada pelas forças que governam esse mundo e com isso deixou de ser um Ser e transformou-se em um ‘nada’.

“O homem não percebe que suas verdades são úteis, mas transitórias e estão sujeitas a constantes renovações”

Quando o despertar da Consciência começa a dar os primeiros sinais, o indivíduo percebe que vive em um mundo parecido com aquele retratado no filme “O Show de Truman”. Anda pelas ruas estranhando completamente a pretensa perfeição do cenário ao seu redor e sente, em seu íntimo, que tudo é artificial, inclusive ele mesmo.

Nesse momento, tem início um processo de reencontro consigo mesmo e ele pressente que precisa achar o caminho de volta. Ele começa a perceber que estará diante de uma nova saga existencial, que precisa fazer ‘o bom combate’, empunhar a espada da renovação e enfrentar seus condicionamentos. Essa é a hora de mudar, de aprender a dizer não e desapegar-se de tudo aquilo que sempre deu tanta importância – isso inclui objetos, pessoas, conceitos, crenças e uma infinidade de mentiras que escolheu acreditar.

Tanto quanto Truman, todos nascemos em um ambiente pronto, preparado, ajustado para nos uniformizar, pois tudo ao nosso redor trabalha no intuito de nos moldar. Desde o berço até o túmulo, toda a nossa vida se resume a corresponder às expectativas do meio em que estamos inseridos e isso é muito triste. Goethe dizia que o pior escravo é aquele que pensa ser livre e ele tinha razão. Não existe nada de verdadeiro ao nosso redor. As pessoas usam máscaras, as instituições escondem vocações escusas, os homens só pensam em seus próprios interesses e assim por diante.

“A liberdade só poderá ser alcançada com o conhecimento, principalmente um conhecimento elevado de si mesmo”

A grande maioria sequer consegue entender o teor dessas palavras, pois não conseguem imaginar uma outra realidade. Estão mortos, preocupados em enterrar os seus mortos, presos na terceira dimensão, ajustados a vida do corpo e conduzidos, única e exclusivamente pela própria mente.

“A ave sai do ovo. O ovo é o mundo. Quem quiser nascer precisa destruir um mundo”, palavras sábias de Hermann Hesse. Não há como realizar-se nesse mundo, no entanto, vivemos nele. É preciso, portanto, viver no mundo sem ser do mundo.

O despertar da Consciência, o conhecimento da Verdade, o reencontro com a realidade, todas essas coisas irão despender muito esforço. Nada cairá do céu. Qualquer receita mágica apresentada por um guru milionário qualquer será inócua, uma vez que não há outro caminho que não seja a destruição desse mundo.

Happy man gesture of triumph with rams in air. Funny hiker on peak of sandstone rock in national park Saxony Switzerland watching to horizon

O desapego, a renúncia, a humildade e a coragem serão algumas das armas poderosas que deverão ser usadas nesse embate consigo mesmo. Esses recursos não precisam ser desenvolvidos, pois fazem parte da essência verdadeira do nosso Ser, basta remover o véu que impede a manifestação dessas forças.

O homem é um Deus, não deveria identificar-se única e exclusivamente com o corpo, pois a sua essência está presente em todo o Universo.

Talvez você esteja pensando que estou propondo uma nova doutrina, nada disso, pelo contrário, penso que estamos aqui para nos desdoutrinarmos, desaprendermos, desativar crenças e conceitos e voltar a ser criança. Esse, para mim, é o único objetivo da vida.

Sobre o autor

Paulo Tavarez

Paulo Tavarez

Instrutor de yoga, pedagogo, escritor, palestrante, terapeuta holístico e compositor. Toda a minha vida tem sido dedicada à construção de um mundo melhor.

Celular: (11) 94074-1972
E-mail: [email protected]
Facebook: /paulo.hanuman
Instagram: @paulo.tavarez
Site: paulotavarez.com