Autoconhecimento Terapia Anti Abuso Emocional

O que acontece quando você perde a razão para um Narcisista Perverso?

Silvia Malamud
Escrito por Silvia Malamud
Uma das maiores vantagens que os narcisistas perversos podem ter sobre as pessoas que estão à sua volta ocorre quando conseguem fazê-las perderem a razão.

As reações desmedidas das vítimas envolvidas nas teias de tais abusadores, costumam ocorrer nos derradeiros momentos em que se veem em desespero maior por conta de não serem vistas ou ouvidas e, também, pelo acuamento coercitivo que passam na intenção de fazerem-nas aceitar de modo cego, situações das mais incoerentes e bizarras de desrespeito.

O pior momento, porém, ocorre quando além de tudo isso, tais personagens deste macabro cenário, insistem em negar, distorcendo todas as percepções que as vítimas possam ter, acusando-as de várias maneiras pelos infortúnios que estariam causando.

Obviamente que tais infortúnios nada mais são do que invenções manipulativas criadas com o intuito de invalidar qualquer forma de existência que não seja a deles. Só eles e apenas eles podem brilhar e enquanto estiverem como dominantes em seus reinados, esta será a lei soberana.

Como resposta, quando ainda estão envolvidas, para não se deprimirem por demais e em nome de não sentirem que estão enlouquecendo, muitas vezes, as vítimas reagem de modo bastante intenso chegando, pelo desespero, a brigar. Partem, portanto, quando ainda têm forças, para essas medidas drásticas de ação, que infelizmente no final das contas apenas depõem mais ainda contra a legitimidade de suas próprias percepções, pois para o deleite de tais abusadores, essas atitudes acabam sendo denunciadas por eles mesmos como uma forma de loucura e descompensação, não perderão um segundo sequer para usarem estes episódios no intuito de as difamarem no pior sentido. Nestes casos, mais do que em qualquer outro, atitudes descontroladas funcionam como excelentes ferramentas para que narcisistas perversos desviem a atenção de algo real e legítimo no qual as vítimas exaustivamente estão tentando se defender e se explicar. Em grande parte das situações, permanecem irredutíveis impondo suas incessantes críticas sobre o quanto não se é bom o suficiente para com eles, o quanto que ele não foi ou está sendo enaltecido como supostamente imagina merecer e, também, nas situações em que não se fica cego acolhendo suas mentiras grandiosas e desejos desmedidos e, para finalizar, ainda desqualificam tudo o que pode significar ser um outro ao lado deles.

Na teoria impositiva do narcisista perverso, nada é mais lógico que as pessoas envolvidas com eles tenham que passar por cima de si mesmas em nome de atendê-los em suas infinitas demandas de magnanimidade, afinal, este tipo psicológico tem absoluta certeza de que é o ser mais especial do universo e qualquer um que entrar neste conto, fará parte de um único espetáculo, o dele.

As manipulações, na maioria das vezes, vêm em um grau de sofisticação tão elaborado que as próprias vítimas, depois da confusão ocasionada, mesmo quando indignadas de início, ainda passam por uma lavagem cerebral de sucesso, porque os abusadores têm a proeza de conseguir fazer com que elas se percam do sentido de realidade, ao ponto de que juntamente com eles, mudem o foco do motivo que as enlouqueceram, insanamente culpando-se pelas ações de desespero. Momentaneamente, essas vítimas tiveram reações de sobrevivência que resultaram em explosões emocionais e por conta disso acabam ficando como as loucas da história.

O assunto é tão sério, tão delicado e tão sutil que vale muito a pena ser exemplificado para que fique claro para todos os envolvidos, como também para que as pessoas desavisadas saibam o que existe por aí e que está bem mais próximo de todos do que se pode suspeitar.

O mais dramático é quando até o descontrole emocional não mais acontece como um mecanismo de sobrevivência e de defesa pessoal, nessas ocasiões, muitas das vítimas, inclusive chegam a acreditar que são as responsáveis pelas acusações sofridas. Já se encontram em um estado tão alterado de percepção que não tem noção de mais nada além de aceitar cegamente as ditaduras e crenças impostas pelos abusadores. Um momento extremamente perigoso, porque é quando o ser humano desiste de si mesmo.

A maioria das vítimas necessita de muita ajuda terapêutica para que possam saber diferenciar o joio do trigo. Como o tema sobre narcisismo perverso e abuso emocional vem sendo bastante difundido ultimamente, por mais incrível que possa parecer, está se tornando cada vez mais frequente receber em meu consultório pessoas que são acusadas de serem os abusadores e que, na verdade, são as que estão anos a fio sendo abusadas, mas que ainda não têm capacidade para discernir o que de fato está ocorrendo em suas vidas. Estas literalmente estão morando com o perigo e não sabem. Chegam no consultório deprimidas, exaustas e querendo ser melhores para os parceiros, infelizmente algo que dificilmente conseguirão neste tipo de dinâmica adoecida. Abusadores precisam de pessoas emocionalmente insanas ao seu lado para que possam contar a si mesmos o quanto que são bons, bacanas e importantes, uma tentativa totalmente inconsciente e enlouquecida que busca mascarar esse fundo falso e vazio que todos eles têm dentro de si. Freneticamente precisam ter uma identidade e acham que negando o outro e tendo tudo para si mesmos de modo egoístico serão alguém. Ledo engano.

Sobre o autor

Silvia Malamud

Silvia Malamud

- Psicologa
- Especialista em temas relacionados ao Abuso Emociona com narcisistas perversos em relacionamentos afetivos, familiares, mãe/pai filhos, escolares, sociais e de trabalho.
– Especialista em Terapia Individual, Casal e Família /Sedes
- Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA
- Terapeuta Certificada em Brainspotting - David Grand/ EUA
- Terapia de Abordagem Direta a Memórias do Inconsciente.

EMDR e Brainspotting são terapias de reprocessamento cerebral que visam libertar a pessoa do mal estar causado devido à experiências difíceis de vida, vícios, traumas, depressões, lutos e tudo o mais que é perturbador e que seja uma questão para que a pessoa queria mudar. Este processo terapêutico, por alterar ondas cerebrais viciadas num mesmo tipo de funcionamento, abre espaço para que a vida mude como um todo, de modo muito melhor, surpreendente e inimaginável anteriormente.

Mais sobre Silvia Malamud: Além de psicóloga Clínica, é também formada em Artes plásticas- Terapia Breve - Terapia de Casais e Família pelo Sedes Sapientiai. Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA e em Brainspotting David Grand/EUA. Desenvolveu-se em estudos e práticas em Xamanismo, Física Quântica, Bodymirror. Participou e se desenvolveu em metodologias de acesso direto ao inconsciente, Hipnose, Mindskape, Breakthrough e outras. Desenvolveu trabalho como psicóloga Assistente no Iasmpe, Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual, com pesquisa sobre o ambiente emocional de residentes durante o período de suas residências, de 2009 até 2013. Participou do grupo de atendimentos de casais do NAPC de 2007 à 2008. Autora dos Livros "Projeto Secreto Universos", uma visão que vai além da realidade comum e Sequestradores de Almas, sobre abuso emocional que podemos estar vivendo, sem ao menos saber, sobre como despertar e como se proteger.

· Conhecimento terapêutico: Cenários e imagens: Já presenciei diversos pacientes fazerem "viagens" às vidas anteriores, paralelas, sonhos e mesmo se reinventarem em cenas reais ocorridas ou não. Vi-os saindo do túnel do reprocessamento, totalmente mudados e transformados, inclusive em suas linhas de tempo. Para mim, fica uma pergunta de física quântica... O que acontece com a rede de memória da pessoa se a matriz do acontecimento muda totalmente não o afetando mais? A linha do tempo e todos os significados emocionais transformam-se simultaneamente. Todos os eventos difíceis que a pessoa teve em relação ao tema ao longo da vida perdem o sentido e até parece que nem existiram, embora se saiba. A pergunta que fica é: O que é o tempo quando podemos nos transformar e nos auto-superarmos nesta amplitude?

· Coexistimos em inúmeras camadas de realidades que são atemporais. Por exemplo, o seu “eu” criança pode estar existindo e atuando em você até hoje... Outros aspectos desconhecidos também podem estar, sem que você suspeite.

Silvia Malamud
Psicóloga clinica Especialista em Terapias Breves individual, casal e
família/Sedes - CRP: 06-66624
Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA
Terapeuta Certificada em Brainspotting – David Grand PhD/EUA.
Terapia de Abordagem Direta a Memórias do Inconsciente.
email.: [email protected]