Autoconhecimento Meditação

O que importa é a sua paz

Mulher jovem medita, praticando ioga na natureza com as mãos em posição de oração.
microgen / 123RF
Fernanda Colli
Escrito por Fernanda Colli

Sob a cobertura do mundo virtual, vamos levando nossa vida se baseando em receitas, em dicas, em pessoas. De repente nosso foco é ter o corpo igual ao de alguém, queremos um emprego igual ao de alguém, a casa que vimos postada no Facebook, o livro que uma pessoa legal está indicando… e de repente corremos o grande risco de nos depararmos com o questionamento sobre quem somos e não sabermos a resposta.

O consumismo exacerbado, a ditadura da moda, a exposição direta (mas nem sempre transparente) de coisas e pessoas vende a ideia do que é a verdadeira felicidade.

E nós, meros mortais, muitas vezes achamos que nossa vida não é tão colorida como as postagens que vemos diariamente, que nossos sorrisos não são cativantes como o da capa da revista, que sua família não é tão perfeita como gostaria. A cultura da insatisfação e da cobiça pelo “outro” enraizou-se de tal forma que muitas pessoas acham que só seriam felizes se fossem outra pessoa.

Recorte de uma mão segurando um celular com um notebook ligado ao fundo.
cottonbro / Pexels

Se você se identificou como parte dessa massa, peço a você que faça a seguinte reflexão: você realmente acha que essas pessoas são felizes e perfeitas o tempo todo? Que as famílias nunca brigam e só sorriem como nas fotos?

Será que as capas de revista são tão felizes e perfeitas quanto aparentam?

Em 2020 pudemos rever conceitos e espero que tenham tido tempo para desconstruir o conceito de que o que é dos outros é melhor.

Um homem sentado em uma caverna observando a natureza.
MariusVenter / Pexels

Você é um ser único! Olhe ao seu redor. As pessoas que te cercam, a vida que lhe oferece todos os dias milhares de oportunidades para sorrir. O fato de você poder acordar, respirar, se alimentar já é um motivo de êxtase. Olhe para dentro de si. Ao invés de buscar sorrisos em capas de revistas, procure a autenticidade de um sorriso seu. Se ame. Se olhe no espelho e veja o milagre de existir.

Será mesmo necessário se entristecer ou se achar inferior por não morar em uma mansão? Ou por não ter milhões na sua conta? Ou não ter o corpo escultural semelhante à foto da postagem perfeita?

Você também pode gostar

Porque felicidade não pode ser condicionado ao “ter”; felicidade é questão de “ser”. Busque o que há melhor em você. Importe-se com as pessoas em sua volta, não com o que vendem para você de algo que você nem ao menos conhece sua essência. Ame seu corpo, pois ele é seu principal refúgio. Ame sua vida.

Porque não há no mundo maior felicidade do que estar em paz.

Sobre o autor

Fernanda Colli

Fernanda Colli

Pedagoga, psicopedagoga, arte-educadora, membro da IOV Brasil, pesquisadora sobre a importância da educação e cultura para evolução da sociedade. Trabalhos e artigos publicados sobre a importância da preservação de nossa identidade. Atua em projetos de manutenção e fomento da cultura popular.

Email: fernanda_colli@msn.com