Comportamento

Retorno à ancestralidade

Silhueta de mulher num campo.
Jackson David / Unsplash
Escrito por Bruna OM

Hoje em dia, diante de nosso cotidiano e de questões que nos permeiam, fica muito vazio simplesmente continuarmos a ser quem somos, ou melhor, a ser quem acreditamos que somos. Como eu digo em meu livro: “Um convite à morte, o limite da existência. Como morrer sem desencarnar”, nossos padrões de comportamento não cabem mais à nossa espécie, logo pensamentos como seres superiores a animais ou vegetais também não cabem à nossa real concepção.

A realidade é que o real e o essencial são invisíveis aos olhos. Diante do fato de sermos programados para pensar e agir como o sistema quer, isso nos faz refletir sobre as potencialidades de nosso ser e de nossa história.

Quando, na verdade, o passo que temos que dar é voltar para trás, sobre costumes ancestrais que nos tornam mais vivos de quem realmente somos. Já parou para pensar por que ainda existem tribos que vivem “arcaicos ” ou por que uma vida “selvagem” faz sentido a eles?

Acredito muito na expansão e na evolução a partir do inusitado, do novo, não que um “ser civilizado” tenha que se “tornar um selvagem”, mas, sim, sentir-se parte disso e resgatar esse sim dentro de sua essência, criando um campo com mais harmonia e coerência com quem escolheu viver assim, logo sendo um número a mais, um sim para a natureza e para nossa essência, para quem acredita que eles sejam minorias.

Esses seres vivem sua evolução em seu respeito cotidiano e em comunhão, sendo agentes responsáveis de suas vidas e das vidas ao redor, como rios, oceanos, animais, vegetais.

Mulher branca fazendo coração com as mãos.
Jackson David / Unsplash

Como trazer esses seres para nossas vidas sem tirá-los de lá e como viver tudo isso sem abandonar o que construímos, sem abandonar a nossa evolução, a nossa história?

Em relação à sensibilidade de cuidar de sua vida e o ambiente ao seu redor, de encaminhar, de proceder, de arcar com as consequências de nosso lixo mental e físico, como seguiremos com a evolução sem voltar para trás?

Quem disse que evolução é apenas isto, andar para frente? Como trazer de volta as nossas vidas às plantas, às flores, à mata que ama e que cura, como seguiremos seguros sob a terra que nos foi dada?

Sair do automático, sair da programação que foi imposta de nossa querida matrix e acessar nossa sabedora sagrada por meio do plantar e colher que está muito além do dinheiro.

Você também pode gostar

Dar força à nossa espécie sendo quem deveríamos ser, abraçar uma árvore e reconhecê-la como espécie sagrada que é fonte e que nutre, mergulhar em um rio e reconhecer que ele é fonte e que nutre, olhar para um animal e reconhecer que eles são seres como nós, que estão aqui para compartilhar e ensinar, assim como nós.

Quando um rio morre, as pedras choram, os animais de dentro choram, o vento chora, os seres de fora choram, todos choram…

Uma vida é muito mais do que uma vida e nós somamos essa vida universal que gera, que nutre, que cuida, vamos mergulhar nas profundezas de nossa espécie e continuar nossa história…

Sobre o autor

Bruna OM

Na busca do autoconhecimento e da cura, encontrei em minha jornada pessoal um caminho de coração para o trabalho e a pesquisa do ser humano.

Nunca me identifiquei com a superfície das coisas, portanto esses portais e essas ferramentas encaminhados do astral me propõem a caminhar sob uma perspectiva que realmente faça sentido diante de uma observadora profunda.

Acreditar em energia nos faz expandir nossos horizontes. Sentir e lidar com esse tipo de abordagem nos torna mais reais sob nossas possibilidades e, finalmente, temos a oportunidade eficaz de humildemente nos transformarmos e continuarmos nossa história!

Quando encaramos toda nossa vida e cada ação e pensamento como um trabalho pessoal de evolução, o fluxo se torna mais harmônico, então você encontra a ferramenta terapêutica essencial para o seu processo e, por fim, você caminha em direção à 5D integra e permanente!

Somos convidados a entrar em comunhão com o trabalho coletivo, tratando o nosso pessoal para reverberar na natureza, curando, assim, todos os seres.

Em relação às práticas integrativas, medicina familiar, saúde preventiva, body mind, permacultura e agrofloresta, a técnica que precisa vem com um chamado, vem a cada tempo para as questões com as quais é preciso lidar naquele momento. Você só precisa se abrir.

É com muita gratidão que compartilho neste portal meus insights, com o âmbito de gerar um fluxo de informações holísticas que façam um link com o que vivemos, uma ponte com outros irmãos queridos que também partilham. A energia é muito boa com essa troca.

Fico à disposição de qualquer pessoa que chegar até mim em busca de atendimentos ou para cursos pessoais e coletivos. Sou pesquisadora, ativista verde e quântica, terapeuta corporal, escritora e artista independente manifestando a essência em suas infinitas possibilidades.

Quando lidamos com energia, somos um livro aberto, então não tenho nada a esconder...

Email: conexaomiragaia@gmail.com
Páginas: Casinha na Árvore III
l União Pangeia
Facebook: bruna.sol.7
Instagram: @entrebm