Autoconhecimento

Uma reflexão sobre a escuta e a capacidade de ouvir

Homem em pé, com uma mão perto da orelha, como se não estivesse ouvindo.
Dulcineia Santos
Escrito por Dulcineia Santos

SURDEZ

Em francês, escutar se diz: “entendre”. “Écouter” refere-se somente à capacidade física de ouvir. “Eu ouvi falar” diz-se: “j´entendu parler”, ou seja, foi o que eu entendi que alguém supostamente disse, e não necessariamente o que ele disse.

Muito conflito poderia ser evitado pelo simples reconhecimento desse fato: o que o outro diz passa pelo meu filtro, o filtro de todas as experiências que vivi, da minha autoestima, das minhas crenças e das minhas interações com aquela pessoa. E isso dá todo um novo significado para o que foi “ouvido”.

Lembra-se quando brincávamos de “telefone sem fio”? Era uma boa representação desse processo: eu falo algo, que o outro entende de outra maneira, que uma terceira pessoa entende ainda mais distorcido.

É por isso que na Comunicação Não-Violenta somos orientados a dizer que: “quando ouço o que você diz, me sinto dessa ou daquela maneira”, e não: “você me ofende ou me irrita”, já que, na verdade, aquela pessoa não tem o poder te irritar, pois esse é um poder que pertence a você e que você permite ou não que aquela irritação aconteça de acordo com o seu controle emocional, e não de acordo com o que escuta.

Escutar em Coaching

Em Coaching, eu diria que metade do trabalho está no que chamamos de escuta ativa. Para a Federação Internacional de Coaching, a escuta ativa é a chave para o mundo interno do cliente. É escutar sem uma agenda, sem querer apresentar uma solução para o problema daquela pessoa, mas estar ali na posição de curioso. Como seria estar naquela posição, sentindo-se daquele jeito? Que perguntas posso fazer para ter acesso àquele mundo interno? Não é à toa que essa é uma competência a ser examinada quando alguém está tentando obter uma credencial.

A audição na Antroposofia

A audição, para a Antroposofia, está ligada ao corpo espiritual. “Esse sentido traz a possibilidade de ouvir os mais variados sons. Seus receptores localizam-se nos ouvidos e comunicam algo sobre a interioridade das coisas. Ao se ouvir uma música, pode-se ‘conhecer’ alguma coisa da natureza íntima de seu compositor. E quando se ouve alguém dizer: ‘Ouça a voz do seu coração!’, certamente isso soa como algo muito profundo, relacionado ao seu próprio eu.” (1)

A audição e as emoções

SURDEZ

Para terminar, uma tabelinha publicada no livro “Você pode curar sua vida”, de Louise Hay, sobre a audição e as suas razões emocionais, bem como as respectivas afirmações de cura:

– Ouvidos

Representam a capacidade de ouvir.

Ouço com amor.

– Dor

Raiva. Não está querendo ouvir. Tumulto demais. Pais discutindo.

A harmonia me cerca. Ouço com amor o que é prazeroso e bom. Sou um centro para o amor.

– Surdez

Rejeição, teimosia e isolamento. O que não quer ouvir? Não me amole.

Ouço o que é divino e regozijo-me com tudo o que sou capaz de ouvir. Sou uno com tudo.

– Zumbido

Recusa em ouvir. Não dá ouvidos à voz interior. Teimosia.

Confio no meu Eu Superior. Ouço com amor minha voz interior. Liberto tudo o que é diferente da ação do amor.

(1) Relação Entre Cura e Religião à Luz da Antroposofia, por Maria do Carmo C. Vale.


Você também pode gostar de outros artigos da autora: E se você já for realizado e não se deu conta

Sobre o autor

Dulcineia Santos

Dulcineia Santos

Dulcinéia Santos é terapeuta multidimensional, life coach e praticante certificada das ferramentas MBTI® de tipos psicológicos e Barras de Access®. É também autora do livro: “A Namorada do Dom”, em que conta sobre as lições que aprendeu nos relacionamentos e sua jornada até a Suíça.

Acredita que a vida é cheia de lições, e que se não as aprendemos não passamos pro próximo nível do jogo. Saiu de casa cedo e foi morar no mundo – agora está na Suíça, onde estudou antroposofia por três anos. Gosta de tomar cerveja no boteco enquanto papeia, de aconselhar, da língua portuguesa, de cozinhar, de ficar só e de flexibilidade de horários. É esotérica, mas acha que estamos encarnados para viver as experiências terrenas com o pé no chão – de preferência dançando.

Formações:
Brain Based Coaching Certification
NeuroLeadership Group - Londres

MBTI® - Myers-Briggs Type Indicator - Step I and Step II
Myers-Briggs Foundation - Florida, USA

Antroposofia
Goetheanum - Dornach, Suíça

Terapia Multidimensional
Genebra - Suíça

Access Bars®
Nyon - Suíça

Contatos:
Site: dulcineiasantos.com

Facebook: Cura de Amor

Youtube: Canal Cura de Amor

Instagram: @dulcineia.curadeamor

Blog: medium.com/@dulcineiasantos

E-mail: [email protected]