Autoconhecimento Comportamento

Você quer mesmo mudar?

Imagem do rosto de uma mulher e sobre ele está suas mãos. Ela está indecisa ser quer mudar ou continuar na mesma situação.
Gerd Altmann / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Desde pequenos, somos educados a partir de certos padrões impostos pela sociedade, tanto de comportamento quanto de corpo ou de estética. Nossa mente se condiciona desde a nossa criação a acreditar no que é certo ou errado, no que é saudável ou não, no que é bonito ou feio – mas ainda nem possuíamos discernimento para ter a nossa própria opinião. O fato é que crescemos sob julgamentos que nos fizeram acreditar em como devemos ser, principalmente fisicamente.

Na escola, quem nunca viu os coleguinhas magros rindo e fazendo piadas dos que eram gordos? Infelizmente, na infância, tais atitudes eram e ainda são vistas como brincadeirinhas inocentes – mas sabemos que elas têm um nome: bullying! A prática do bullying que fere a aparência física pode causar inúmeros traumas a uma pessoa, e ainda fazer com que ela cresça acreditando que deve ter um corpo diferente do que tem, para ser aceita na sociedade.

Todos esses desconfortos causados pela imposição do que é tido como ideal fazem com que vivamos a nossa vida em busca de um corpo perfeito. Mas pelo fato de que esses incômodos com a nossa aparência estão enraizados desde muito cedo na nossa personalidade, a necessidade de mudar pode não partir da nossa própria vontade, e sim da insatisfação transmitida durante o nosso desenvolvimento como pessoas em sociedade. Você quer mesmo mudar? Ou essa vontade de ser de outra forma vam do que lhe foi dito até aqui?

Imagem de uma mulher sentada em frente ao notebook. Atrás dela, várias máscaras. Ela está sofrendo por ter que mudar seu estilo porque os outros querem que ela faça isso.
Anja🤗#helpinghands #solidarity#stays healthy🙏 / Pixabay

Conhecendo a si mesmo: razão x emoção

Mesmo com percepções e entendimentos já firmados dentro do nosso próprio ser, é possível parar um pouquinho para fazer uma análise sobre quem realmente somos. É claro que a nossa personalidade é cheia de reflexos externos, mas os internos sempre prevalecem e as nossas verdadeiras vontades sempre são mais latentes. Sabe a questão da razão e da emoção? É nela que você deve pensar!

A razão possui grande influência da sociedade: ela diz o que é correto, qual é a roupa da moda, o que você deve ou não vestir, quantos quilos você deve ter para participar de um desfile de moda, entre muitas outras coisas racionais que simplesmente são impostas! Agora, a emoção está totalmente dentro de você! É o seu lado emocional que define se a sua vontade de mudar parte do que você realmente sente ou do que a razão dos outros lhe faz sentir.

Pare por instantes e apenas se permita sentir! Você realmente quer fazer dietas loucas, mudar o corte de cabelo, ficar sem comer o que você mais gosta, simplesmente para ser aceito ou suprir as expectativas de alguém? Ou você está feliz com o seu corpo, não concorda com os padrões de beleza e sente até preguiça de todas essas propagandas que prometem uma aparência melhor? Talvez no fundo você nem ligue para essas questões, mas por estar tão acostumado a ouvir e a pensar que algo em você deve mudar, você acaba acreditando e levando isso como uma verdade para a sua vida.

Imagem do rosto de uma mulher sendo coberto por uma máscara.
Gerd Altmann / Pixabay

Desconstrução

Desconstruir-se não é uma tarefa fácil, assim como se livrar das coisas erradas que lhe foram ensinadas também não é. Mas em primeiro lugar, você precisa entender que só você sabe sobre você! As opiniões alheias não têm o intuito de fazer você se sentir bem: elas são simplesmente opiniões. Tente revisitar algumas memórias para descobrir em que momento a necessidade de mudança se tornou parte da sua vida. Perceba se ela partiu de você ou se foi construída a partir de imposições ou do que a mídia fala ser melhor ou não.

Após analisar essas questões, você precisa se permitir. E quando falamos em se permitir, é no sentido de ser quem realmente você quiser ser. Quer permanecer exatamente do jeitinho que você está neste momento? Permaneça! Assuma a sua vontade própria, pois o seu corpo é seu! O importante é se sentir bem, e não há mal nenhum em sentir bem-estar quando você não atinge os padrões de beleza da sociedade. A sua felicidade é o que importa!

Você também pode gostar

Aceite o processo de desconstrução, mas saiba que nem sempre ele será do dia para a noite. Você precisará lidar com julgamentos, com questionamentos e com muitos comentários sobre as suas decisões, mas nada, absolutamente nada é maior do que a alegria que você sentirá ao sair debaixo das imposições de uma sociedade superficial.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]