Doutrina Espírita Espiritualidade

Zíbia Gasparetto: o chamado para o espiritismo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Zíbia Gasparetto nasceu no dia 29 de julho de 1926 e tem uma presença forte no meio do espiritismo. Ela conta que em 1950, já mãe de dois filhos, acordou certa noite sentindo um formigamento no corpo, levantou-se e passou a andar pela casa como um homem e falando alemão, sendo que ela não falava essa língua. Seu marido se surpreendeu e assustou-se, recorrendo a uma vizinha que, ao chegar na casa de Zíbia, fez uma oração que restabeleceu-a. No dia seguinte, seu marido, Aldo, foi a uma livraria, na qual adquiriu o Livro dos Espíritos e, assim, passaram a estudar a Doutrina Espírita.

A vida de Zíbia, então, mudou. Ao longo dos estudos com o marido, passou a sentir uma dor forte no braço direito, do cotovelo até a mão, que se mexia de um lado para o outro, sem que ela pudesse controlá-lo. O marido, presenciando essa movimentação, colocou um lápis e um papel à frente de Zíbia, fazendo com que ela começasse a psicografar.

Zíbia-Gasparetto O seu primeiro romance, “O Amor Venceu”, é assinado pelo espírito Lucius e foi lançando em 1958.

Aos poucos, Zíbia passou a psicografar outras obras. Hoje, ela escreve no computador, 4 vezes por semana.

Segundo a escritora, ela ouve uma voz que lhe dita o que escrever, e completa: “Não duvide das suas intuições. Acredite no que o espírito está transmitindo”.

Ao longo dos mais de 50 anos de trabalho, Zíbia coleciona mais de 40 títulos que inspiram reflexões e mais compreensão sobre a doutrina espírita.

Você já leu alguma destas obras?

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]