Autoconhecimento

14 sinais de que você sofre abuso psicológico

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Estar em um relacionamento, seja ele qual for, deve ser sinônimo de alegria, amor, cumplicidade, paz e bem-estar. Se você acha que estas palavras estão bem distantes do que você sente quando está com seu parceiro, fique atenta. A primeira coisa a se questionar é simples: se não me sinto bem no relacionamento que tenho por que continuo nele? Se ficou difícil responder a esta pergunta, convido você a analisar a situação que vive com a ajuda deste artigo, pois ela pode ser bem mais grave do que parece.

Ouvimos muito falar na lei Maria da Penha e em mulheres que sofreram agressão física de seus parceiros. Infelizmente, existem situações que não chegam à agressão física mas podem ferir tanto quanto ou ainda mais: o abuso psicológico. É a situação em que o parceiro menospreza, questiona os atos e pensamentos do outro e chega a uma pressão psicológica tão grande que a pessoa vitimizada passa a questionar se está ficando louca ou se realmente está errada. Desta forma, se torna ainda mais dependente do abusador e fica estagnada no relacionamento que só tende a piorar.

Infelizmente muita gente não percebe que está em um relacionamento abusivo, pois o manipulador costuma ser muito bom nisso ou então porque ameaçam a parceira caso ela pense em deixá-lo. É uma situação em que, em casos evoluídos, é preciso de muita coragem para conseguir avaliar a relação e tomar a decisão correta.

Se você tem dúvidas se pode estar em um relacionamento em que sofre abuso psicológico, confira a lista com os sinais que indicam essa situação:

1 – Você duvida de si mesmo com uma certa frequência. O abusador geralmente faz um jogo em que você passa a não lembrar mais do que realmente aconteceu.

2 – Você passa a questionar se realmente é muito sensível e dramatiza as situações como ele indica.

3 – Confusão. Você sente seus pensamentos tão bagunçados que não sabe pra onde seguir, o que fazer ou em quem confiar.

4 – Você pede desculpas o tempo todo, e sem ter a mínima ideia do motivo.

5 – Você não está feliz, mesmo com tantas coisas boas acontecendo em sua vida. Parece que a felicidade realmente resolveu deixá-la de lado.

6 – Você cria desculpas constantes para justificar o comportamento do seu parceiro para as outras pessoas. Afinal elas perguntam a você, constantemente, coisas sobre as atitudes nada sensatas dele.

7- Mentiras passam a fazer parte da sua vida, pois parece ser a única forma de não ter que lidar com a situação toda.

8 – Você sente que alguma coisa está errada, mas é incapaz de explicar exatamente o que é.

9 – Você passa a mentir pra si mesma, e enganar a sua intuição e até mesmo suas próprias vontades.

10 – Tomar decisões parece um pesadelo pra você.

11 – Você mudou drasticamente e as pessoas e até você mesmo começam a questionar o que aconteceu, afinal você era muito mais divertida, feliz e leve.

12 – O desânimo passa a fazer parte da sua vida e nem as coisas que gostava tanto de fazer a atraem mais.

13 – A sensação de que não consegue fazer nada da maneira correta é constante.

14 – Questionamentos do tipo “sou boa o suficiente?” passam a fazer parte da sua vida.

Se você se identificou com uma ou mais destas situações é sinal de alerta. Fique atenta se isso acontece em casos esporádicos, após uma discussão por exemplo, ou se é algo corriqueiro e rotineiro no seu relacionamento. Se chegar à conclusão que está sendo vítima de abuso psicológico, crie coragem e saia desta situação o quanto antes. Se necessário busque ajuda dos amigos, família ou de profissionais especializados. Só não vale ficar em um relacionamento que a destrói um pouco a cada dia. Amor próprio é primordial!


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]