Autoconhecimento

Como as pessoas inteligentes lidam com as pessoas de que não gostam

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Em um mundo perfeito, cada pessoa que conhecemos deveria ser legal, gentil, atenciosa, atenta, generosa e muito mais. Entenderíamos as piadas uns dos outros. Teríamos um ambiente com uma atmosfera legal onde ninguém seria caluniado ou passaria por cima de alguém para alcançar seus objetivos.

Entretanto, não vivemos no mundo perfeito. Algumas pessoas nos tiram do sério e, temos que admitir, às vezes somos tão maus quanto. Essas pessoas são irrelevantes, apressadas, falam de nós pelas costas, questionam nossos motivos ou simplesmente não entendem nossas piadas — mas esperam que riamos das delas.

Você deve se perguntar se existe algum modo de ser justo com quem que te irrita ou com alguém que prefira evitar na hora do almoço. Deve se perguntar se deveria aprender a gostar de todo mundo que conhece.

De acordo com Robert Sutton (professor de ciências da administração da Universidade de Stanford), não é possível — e nem recomendado — construir uma equipe composta inteiramente de pessoas que você sequer convidaria para um churrasco no seu quintal.

É por isso que as pessoas inteligentes têm seus segredinhos quando o assunto é as pessoas de que não gostam. Descubra quais são:

  • Elas aceitam que não vão gostar de todo mundo

Às vezes, nos vemos na cilada de achar que todo mundo é legal. Achamos que vamos gostar de todo mundo que conhecemos — mesmo quando isso não vai acontecer. É inevitável, você vai encontrar pessoas difíceis que são o oposto de você. As pessoas inteligentes têm essa consciência. Elas também entendem que os conflitos e desacordos são resultado da diferença de valores.

Essa pessoa que você não gosta não é alguém completamente ruim. A razão por você não gostar nela resume-se nessa diferença de valores, e essa diferença cria um julgamento. Uma vez que você entenda que nem todo mundo vai gostar de você e que você não vai gostar de todo mundo exatamente por causa dessa diferença, sua razão poderá vencer a emoção nessa situação. Isso vai te fazer lidar melhor com a situação, estando de acordo com a pessoa ou não.

  • Elas suportam as pessoas de que não gostam (nada de ignorar ou excluir)

É claro, você pode assentir revirando os olhos a cada crítica, ranger os dentes com piadas ruins ou balançar a cabeça quando a pessoa estiver rodeada de pessoas, mas a falta de afeição por alguém pode não ser a pior coisa. Sutton diz: “De um ponto de vista comportamental, gostar das pessoas que tenta dominar é um problema muito maior do que gostar delas muito pouco”. “Você precisa de pessoas que tenham um ponto de vista diferente do seu e que não tenham medo de argumentar”. “Elas são o tipo de pessoa que impede que a organização faça coisas estúpidas”.

Pode não ser fácil, mas aguente-as. Muitas vezes aqueles que nos desafiam ou provocam são aqueles que nos levam a ter novas ideias e ajudam o grupo a alcançar o sucesso. Lembre-se: você também não é perfeito, mesmo que as pessoas continuem a te tolerar.

  • Elas são civilizadas com as pessoas de que não gostam

Seja qual for seus sentimentos por alguém, essa pessoa estará fortemente sintonizada com suas atitudes e comportamento e isso vai acabar refletindo para você. Se você for rude com elas, provavelmente elas vão jogar toda educação fora e serão rudes com você também. Portanto, o ônus é você permanecer justo, imparcial e comportado.

Ben Dattner, um psicólogo organizacional e autor de The Blame Game, diz: “Cultivar um rosto diplomático é importante. Você precisa ser capaz de parecer profissional e positivo”. Assim, você não descerá o nível ou será levado a agir da maneira que essas pessoas esperam.

  • Elas avaliam as próprias expectativas

Não é incomum que as pessoas tenham expectativas irreais sobre os outros. Nós esperamos que os outros ajam da forma como gostaríamos ou digam coisas que diríamos em certas ocasiões. Entretanto, isso não é real. Alan A. Cavaiola, PhD (professor de psicologia da Universidade de Monmouth, em West Long Branch, New Jersey) diz: “As pessoas têm traços de personalidade impregnados que vão determinar em grande parte suas reações. Esperar que os outros façam o que você faria é se desapontar e se frustrar.”

Se uma pessoa faz com que você se sinta sempre da mesma maneira, reavalie as suas expectativas. Dessa forma, estará psicologicamente preparado e o comportamento dela não vai te pegar de surpresa. As pessoas inteligentes fazem isso o tempo todo. Elas não se surpreendem sempre com o “mau” comportamento alheio.

  • Elas conhecem seu interior e se concentram em si mesmas

Não importa o quanto você tente, algumas pessoas ainda vão conseguir enxergar por trás da sua máscara. É importante que você aprenda como controlar sua frustração ao lidar com quem te incomoda. Ao invés de pensar em como ela é irritante, se concentre no porquê está reagindo dessa maneira. Às vezes, o que não gostamos nos outros é algo de que não gostamos em nós mesmos. Além disso, elas não têm culpa. Só fizeram você descobrir isso de uma forma não tão agradável.

Identifique os diabinhos que estão complicando seus sentimentos. Assim, você pode ser capaz de antecipar, suavizar ou até mesmo alterar a sua reação. Lembre-se: é mais fácil você mudar suas perspectivas, atitudes e comportamentos do que pedir que alguém faça isso.

  • Elas dão um tempo

Kathleen Bartle (uma consultora de conflitos da Califórnia) diz que certas características podem te deixar sempre desconcertado. Talvez seja aquele colega que regularmente perde os prazos ou aquele cara que te conta piadas ruins. Perceba o que está te deixando assim. Assim, Bartle diz que você pode se preparar para quando isso acontecer de novo.

De acordo com ela: “Se você puder parar e acalmar a adrenalina, dê um pulo nas partes racionais do seu cérebro. Assim, estará mais apto a ter uma conversa e seguir em frente dando um tempo nos seus julgamentos.” Respirar fundo e dar um passo para trás também pode te ajudar a se acalmar e se proteger de uma explosão de reações, permitindo-lhe prosseguir com a mente e o coração mais abertos.

  • Elas manifestam as próprias necessidades

Constantemente, algumas pessoas te tiram do sério. Sutilmente, faça com que elas saibam que o comportamento e o jeito que se comunicam é um problema para você. Evite acusar, ao invés disso tente a fórmula: “Quando você… Eu me sinto…”. Por exemplo, Cacaiola aconselha você a dizer algo como: “Quando você cortou o que eu dizia nos nossos encontros, senti que não valoriza as minhas contribuições.” Então, tome seu tempo e espere a resposta.

Você pode achar que a outra pessoa não percebeu o que acabou de falar, ou seu outro colega estava tão excitado com a ideia que entusiasmadamente acabou entrando na conversa.

  • Elas permitem criar um espaço entre essas pessoas.

Se tudo isso falhar, as pessoas inteligentes criam espaços entre elas e aqueles de que não gostam. Diga licença e siga seu caminho. Se for no trabalho, vá para uma outra sala ou sente-se no final da mesa de conferência. Com um pouco de distância, perspectiva e empatia, você pode ser capaz de voltar e interagir com as pessoas de que gosta e aquelas de que não gosta como se fosse alguém imperturbável.

É claro, tudo seria mais fácil se pudéssemos desejar que essas pessoas simplesmente sumissem. Infelizmente, todos nós sabemos que não é assim que a vida funciona. Não vivemos no mundo perfeito, mas podemos fazer o que está ao nosso alcance para torná-lo o melhor que pudermos.


Texto escrito por Amanda Magliaro Prieto da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]