Autoconhecimento Comportamento Saúde Integral Saúde Mental

Sintomas de estresse: saiba se você está sofrendo desse mal e como se curar

Imagem de fundo preto e em destaque uma mulher estressada. Ela está com duas mãos sobre o seu rosto e duas mãos sobre a sua cabeça.
Gerd Altmann / Pixabay
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Certamente você já se pegou falando isso numa quinta ou numa sexta: “Hoje eu tô muito estressado”. Atualmente, na rotina agitada e corrida que vivemos, usar estresse como sinônimo de cansaço físico e mental já virou algo comum. Mas você sabia que o estresse é um problema de saúde que, se não controlado, pode ter consequências graves, como a depressão ou o transtorno de ansiedade?

O que é estresse?

Pouca gente sabe, mas o termo “estresse” pertence, originalmente, à Física. É uma palavra usada para se referir um processo caracterizado pela tensão e pelo desgaste aos quais estão expostos os materiais, sejam quais forem. É por isso que essa palavra passou a ser usada para se referir também às tensões e aos desgastes que nós, seres humanos, sentimos.

Segundo definição da Organização Mundial da Saúde, o estresse é um conjunto de respostas mentais e físicas causadas por estímulos externos (conhecidos como estressores) e que nos permitem superar determinadas exigências do ambiente ou da situação pela qual estamos passando. O desgaste mental e físico é causado por esse processo de superar as exigências para lidar com os ambientes e as situações.

Quais são os sintomas do estresse?

Como a maior parte das doenças e das desordens, o estresse nos afeta de maneira muito individual, e nem todos os afetados por esse problema têm os mesmos sintomas. Então o ideal é consultar-se com um psicólogo ou um psiquiatra, para que ele possa avaliar os seus sintomas, investigar o que está acontecendo e, a partir daí, ajudá-lo a encontrar uma solução para o problema, se houver algum.

Mas como você passa o tempo todo consigo mesmo e em seu corpo, é possível ficar atento a alguns sinais e sintomas para determinar se algo de errado está acontecendo e se é o momento de procurar ajuda médica. Confira abaixo uma lista com os principais sintomas do estresse, que podem ser divididos em três categorias: sintomas emocionais, sintomas cognitivos e sintomas físicos.

Imagem de um senhor estressado. Ele usa uma camisa na cor roxa e está com as duas mãos sobre a cabeça. Ele aparenta esta de mau humor.
Davidqr / Pixabay

Sintomas emocionais

• Depressão ou infelicidade geral: sensação de estar deprimido o tempo todo e de encontrar pouco prazer quando pensar no que há de positivo, entristecendo-se demasiadamente por aquilo que há de negativo.

• Instabilidade do humor: alterações como passar de uma felicidade ou estado emocional neutro para infelicidade e tristeza sem motivo aparente ou gatilhos diretos.

• Sentimento de solidão: sentir-se isolado mesmo na presença de amigos ou de familiares, ou mesmo estar isolado de todo mundo por escolha própria ou dificuldade de interagir.

• Irritabilidade: sentir que qualquer pequeno acontecimento tira você do sério, e até mesmo coisas que antes não irritavam e até davam prazer passam a irritar.

• Sentimento de estar sobrecarregado: o surgimento de uma tarefa nova parece se adicionar a uma já longa lista de outras coisas que devem ser feitas, além da sensação de que não vai ser possível dar conta de tudo.

• Agitação: caracterizada por uma incapacidade de relaxar ou a sensação de estar ainda mais estressado, ansioso ou deprimido quando parar um pouco para relaxar.

Imagem de uma mulher entre os livros. Ela está tentando se concentrar, mas não consegue porque sua mente está estressada.
Silviarita / Pixabay

Sintomas cognitivos

• Preocupação excessiva: passar o tempo todo pensamento em um ou em mais de um problema e “caçar” problemas quando tudo parece estar bem e tranquilo.

• Problemas de memória: dificuldade de se lembrar de acontecimentos que se sucederam há pouco tempo ou mesmo de coisas importantes, como nomes de pessoas próximas.

• Pensamento ansioso: antecipar problemas, pensar que não será capaz de lidar com os problemas vindouros ou que não será possível superá-los.

• Problemas de concentração: dificuldade ou impossibilidade de se concentrar em uma tarefa, especialmente se o pensamento for desviado para considerações ansiosas ou depressivas.

• Julgamento ruim: incapacidade de tomar decisões, ou tomar decisões que se provam erradas e perceber logo em seguida que era só questão de refletir mais ou de outra forma.

• Ver apenas o lado negativo: incapacidade de celebrar as próprias conquistas ou ficar contente com as positividades de uma situação, mesmo que o quadro geral esteja negativo — ou vice-versa.

Imagem de  um jovem sentando na beira da calçada. Ele está com as duas mãos sobre a sua cabeça, ele está estressado e com dores. Ao lado dele uma mochila. Ele usa uma blusa com touca e uma calça jeans.
Hamed Mehrnik / Pixabay

Sintomas físicos

• Problemas dermatológicos;
• Dores de cabeça;
• Dores no estômago;
• Gastrite;
• Dor no peito;
• Diarreia;
• Resfriados ou infecções frequentes;
• Perda da libido;
• Suor excessivo;
• Hiperventilação;
• Náuseas;
• Tonturas.

Se você está passando por 5 ou mais desses sintomas em sua rotina, procure ajuda e orientação médica. Você não é culpado por estar doente, e não há vergonha nenhuma em reconhecer que a rotina ou as condições atuais estão sendo um pouco demais para você. Converse com um médico e saiba: para todos os problemas de saúde desse tipo, há solução. É apenas questão de tempo para que você se sinta bem.

Imagem de fundo preto e em destaque um casal de homem e mulher. Ele está estressado e com um olhar de raiva olhando para a mulher.
Gerd Altmann / Pixabay

O que causa estresse?

Antes de entender o que é possível fazer para aliviar o estresse e seus sintomas, você precisa entender quais são os fatores estressores que estão causando esse mal em você. Há quatro principais tipos de estressores. São eles:

• Estresses biográficos críticos: acontecimentos que marcam a nossa vida e que exigem uma reestruturação muito grande na maneira como lidamos com ela, além de causarem reações afetivo-emocionais de longa duração. Esses acontecimentos podem ser negativos (como a morte de uma pessoa querida, o fim de um relacionamento ou a perda de um emprego) e até mesmo positivos (como o nascimento de um filho, um casamento ou uma mudança para um imóvel mais confortável que o anterior).

• Estressores traumáticos: acontecimentos críticos, mas que têm uma intensidade muito grande, que ultrapassa a capacidade adaptativa do indivíduo, que se vê sem conseguir se adaptar ou seguir em frente. Exemplos: abusos sexuais, términos de relacionamento sem explicações, desaparecimento ou morte súbita de pessoas queridas, acidentes incapacitantes etc.

• Estressores cotidianos: pequenos e corriqueiros acontecimentos do dia a dia, que podem incluir até mesmo questões maiores, como infelicidade com o peso e problemas financeiros, e questões menores e temporárias, como dores de cabeça, som alto, luz incômoda etc.

• Estressores crônicos: situações que se prolongam há muito tempo e que trazem consigo repetidas tensões, como situações de desemprego, excesso de trabalho, rotinas não saudáveis, relacionamentos abusivos etc.

Imagem de um casal sentado em uma mureta de concreto olhando para o mar. Eles estão conversando como uma forma para aliviarem o estresse.
Pasja1000 por Pixabay

O que fazer para aliviar o estresse?

Muitas vezes é difícil entender o que está causando o estresse em nossas vidas. É por isso que tratamentos como psicoterapia são importantes, porque nos fazem mergulhar em nós mesmos e nos nossos problemas, com a intenção de entender quais são eles e por que acontecem. Em outros casos, sabemos muito bem o que nos causa estresse.

Há algumas situações, como sobrecarga por causa da faculdade, trabalho estressante, relações familiares tóxicas ou términos de relacionamento, por exemplo, que não podem ser resolvidas ou encerradas, pois são sacrifícios necessários ou períodos pelos quais temos que passar. Nesses casos, você pode recorrer a algumas técnicas muito simples para sentir um alívio no mal-estar que sente por causa do estresse. Mas lembre-se: isso não substitui consulta nem acompanhamento médico! Confira a seguir 8 pequenas atitudes para aliviar o estresse.

1. Converse com alguém

Você tem algum amigo com quem possa contar, ou o seu parceiro está disponível? Chame-o para conversar, relate o que está acontecendo, desabafe, peça conselhos… Muitas vezes, quando colocamos para fora o peso do que estamos sentindo, esse peso fica mais leve ou até mesmo, com a ajuda de outra pessoa, percebemos que o problema não era assim tão grave.

2. Concentre-se na sua respiração

Você sabia que, diante de situações estressantes, nossa respiração se descontrola? Isso afeta o bombeamento de sangue do nosso corpo, os nossos batimentos cardíacos e os níveis de adrenalina. Controlar a sua respiração é essencial caso esteja se sentindo deprimido ou ansioso, então feche os olhos e concentre-se em respirar bem. Inspire e expire com calma, faça uma contagem, um alongamento ou o que mais sentir que pode relaxar o seu corpo e a sua mente enquanto respira com calma.

3. Tome um banho

Sentir a água escorrendo pelo seu corpo pode ser bastante relaxante, especialmente em dias frios, quando um banho quentinho pode mudar o seu humor. Então, se estiver em casa e não estiver com pressa, tome um banho, inale o vapor da água quente, relaxe.

4. Faça uma caminhada

Fazer exercício físico libera endorfina, uma das substâncias causadoras da sensação de felicidade e bem-estar. Então, se estiver se sentindo muito estressado, saia para uma caminhada ou corrida. Seu corpo pode estar precisando extravasar todo o estresse acumulado, e esse exercício pode fazer muito bem a você.

Imagem das pernas de uma mulher que está caminhando. Ela usa um tênis na cor rosa e uma calça legging na cor preta.
Daniel Reche / Pixabay

5. Faça algo que você ame

E vale tudo, hein? Escutar a sua música preferida, comer aquele docinho que foge da dieta, assistir àquele filme ou àquela série que você já viu dezenas de vezes, curtir um pouquinho o ócio sem fazer nada, pedir colo ao seu amor ou a um amigo… Enfim, faça algo que você realmente ama fazer.

6. Passe um tempo com seu animal de estimação

Gato, cachorro, coelho… seja lá qual for o seu animalzinho, ele certamente gosta da sua presença e vai apreciar um pouquinho mais de atenção. Então, se você tiver um bichinho, que tal passar um pedacinho do dia pertinho dele, fazendo carinho, brincando ou mimando seu amigo?

7. Fique consigo mesmo

Não é segredo para ninguém que as redes sociais nos deixam ansiosos e, muitas vezes, deprimidos. A sensação de que tem sempre algo acontecendo e que vamos ficar por fora, as inevitáveis comparações, as muitas coisas que vemos e não podemos comprar ou os lugares aonde queremos ir, mas não podemos… Que tal se desligar um pouco de tudo, especialmente das redes sociais, e passar um tempo consigo mesmo?

8. Pense positivo

Não, esse não é um convite para aquele tipo de positividade tóxica, do tipo “ignore o que está sentindo e sorria mesmo assim”. Muitas vezes, em meio ao estresse, deixamos de ver aquilo que há de positivo em nós e na nossa rotina. Então pare um pouquinho para apreciar tudo que você já conquistou até aqui e lembre-se dos momentos em que os problemas pareciam não apresentar solução, mas mesmo assim você os superou.

Imagem de uma mulher deitada de costas sobre uma maca. Ela está recebendo massagens nas costas para aliviar o estresse.
Rolf Montag / Pixabay

Como as terapias holísticas podem ajudar a aliviar o estresse?

Terapias holísticas são aquelas que, ao contrário da Medicina tradicional – que tem comprovação científica –, não se baseiam somente na racionalidade para apresentar seus benefícios, já que estão muito relacionadas com a espiritualidade.

Muitas terapias holísticas podem ajudar você a aliviar o estresse. A mais simples delas, por exemplo, é a meditação, que é bem simples: apenas sentar-se numa posição relaxada, focar-se em sua respiração e abstrair de todos os pensamentos negativos.

Confira outras técnicas que podem ser úteis:

• Yoga: meditação, equilíbrio e condicionamento físico, tudo isso é oferecido pela yoga, que traz benefícios para a mente e para o corpo e pode ajudar a combater ansiedade, distúrbios do sono, além de auxiliar no reajuste da postura.

• Acupuntura: parte da Medicina Tradicional Chinesa, a acupuntura é uma técnica em que o profissional insere agulhas finíssimas em determinados pontos energéticos do seu corpo, com o objetivo de relaxá-lo.

Quiropraxia: mais do que uma simples massagem, a quiropraxia ajuda a reequilibrar as energias do nosso, limpando-o de vibrações negativas e trazendo melhora física, por causa da massagem, e emocional, por causa dessa limpeza energética.

Muitas outras terapias holísticas, como cromoterapia e aromaterapia, podem ser usadas para que você alivie sua sensação de estresse. Pesquise algumas delas e se surpreenda!

Imagem de uma mulher deitada em uma maca. Ela acabou de receber uma sessão de massagem.  Agora ela está descansando com o rosto sobre uma toalha branca. Ao fundo seis velas brancas e acesas decoram o ambiente.
Blueland por Pixabay

Você também pode gostar

Como vimos, o estresse tem muitas causas e sintomas diferentes. Entender o que está acontecendo com você e por que está acontecendo é o primeiro passo para deixar isso para trás, e você pode deixar para trás!

Use nossas dicas para se sentir melhor e pesquise terapias holísticas para ajudá-lo a se sentir bem, mas lembre-se: procure ajuda médica e não substitua o tratamento médico tradicional por terapias alternativas sem o aval do seu médico.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br