Autoconhecimento

Como superar um pé na bunda em 5 passos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Dizem que para tudo na vida, há uma solução. E você acredita que até existem maneiras de se superar um pé na bunda? Pois é, pesquisadores da Universidade de Northwestern, depois de analisarem diversos casais em finais de relacionamento, concluíram que quanto mais você fica remoendo os sentimentos a respeito de seu (sua) ex, mais rápido você conseguirá superar o pé na bunda. Parece estranho, não é mesmo?

No entanto, ainda não foi criada uma fórmula que seja capaz de curar um coração partido. Talvez a tequila e a vodca possam ajudar por algumas horas. Para alguns indivíduos, o amor pode parecer um vício. Um pé na bunda é muito ruim, sim, e dói, muito. Mas uma hora este sentimento passa, você se torna mais forte e ganha experiência para vida.

Mas como fazer para superar mais rapidamente essa dor? Confira aqui algumas dicas que vão lhe ajudar a superar um pé na bunda e deixar o seu coração um pouco mais sossegado:

shutterstock_136024517

Procure se distrair

Mergulhar em uma fossa e tristeza profunda e chorar o quanto julgar necessário pode parecer o caminho mais simples. No entanto, quanto mais drama você fizer com essa nossa situação, maior será a sua dor. Tenha em mente que esta não é a primeira e nem será a última vez que você vai se decepcionar. Por isso, o primeiro passo para superar um pé na bunda é desapegar-se de vez do drama. Faça coisas que realmente gosta, se distraia, viaje com os amigos, estude. O importante é ocupar a sua mente.

Quem procura, acha

Todo mundo concorda que, depois de terminar um relacionamento, é inevitável a curiosidade. Procurar o (a) ex pelas redes sociais e querer saber o que ele (a) anda fazendo, com quem está, não é uma boa receita para esquecer a pessoa amada – além de não ser nem um pouco saudável. Sabe aquele ditado: ‘quem procura, acha?’. Então, é a mais pura verdade. Quanto menos você mantiver contato e saber sobre a pessoa, mais fácil e mais rapidamente você conseguirá se desapegar.

Tire um tempo para cuidar de você

Depois do término do relacionamento, é essencial que você tire um tempo para cuidar de você. Isso com certeza será o grande diferencial. Afinal, é essencial nos amarmos em primeiro lugar. Por isso, procure fazer coisas em que você se sinta bem. Mude o cabelo, vá para a academia, compre roupas e sapatos novos, etc.

Aprenda a gostar de você, da sua companhia

Assim como na dica acima, você deve aprender a gostar de você, da sua companhia. Porque, afinal, se você não gostar, como espera que alguém goste? Isso é uma coisa totalmente necessária, entende? Assista filmes e séries que você goste, mas evite assistir filmes românticos, pelo menos enquanto estiver com o coração magoado. Faça o seu prato favorito, tome um banho bem demorado, leia livros que lhe interesse, enfim, desfrute da sua própria companhia.

Esteja preparado antes de entrar em um novo relacionamento

Sempre achei muito chato e deselegante pessoas que acabam de terminar um relacionamento e já entram de cabeça em um novo. Carência ou paixão? É de extrema importância que após um pé na bunda, você tire um tempo para refletir naquilo que você realmente quer. Fique um pouco solteiro, aproveite os prazeres da vida. Quando quiser encontrar um novo amor, verifique se já curou a sua dor. Você não deve fazer com os outros o que você não quer que façam com você. Nunca namore uma pessoa para esquecer alguém.

Aprenda, esta não é a primeira e nem a última vez que você vai se decepcionar. Aquela pessoa que lhe deu o pé na bunda não é a última da face da terra. Há pessoas de todos os tipos e, muitas vezes, até mais interessantes.


  • Escrito por Flávia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]