Espiritualidade Religiões

Compreenda o significado da palavra Rosh Hashaná e o que ela representa para os Judeus

Imagem de várias frutas como romã e maçã decoradas com ramos de flores para compor os rituais para celebrar o ano novo judaíco. À frente dos elementos está escrito em inglês a frase: Happy Rosh HaShaná.
Tomertu / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O Brasil é um país maravilhoso, que acolhe pessoas de todas as origens, de diferentes crenças, de diversas etnias e permite que todos exerçam livremente os seus costumes e a sua religiosidade.

A diversidade que acolhemos é também motivo da nossa riqueza cultural e temos a oportunidade de aprender, ampliar a nossa visão de mundo e valorizar a nossa nação tão heterogênea e ao mesmo tempo tão unificada pela humanidade.

Os costumes e as tradições, principalmente relativos à religiosidade, vão sendo transmitidos entre as gerações e vão se perpetuando. Assim é com as pessoas daqui que seguem o Judaísmo. Conheça agora o que representa o Rosh HaShaná para os judeus e perceba a beleza com que somos presenteados por aceitar as diferenças!

O que é o Rosh HaShaná

Rosh Hashaná é a festividade que marca o Ano Novo Judaico. A tradução literal da palavra hebraica é “cabeça do ano”.

Segundo o Talmude (coletânea dos livros sagrados hebraicos), Deus criou os seres humanos (Adão e Eva) no primeiro dia de Tishrei, sendo então a comemoração do aniversário da humanidade e o início da contagem dos anos. Por isso, em 2020, por exemplo, será o início do ano 5781. O Rosh HaShaná celebra que a vida é um presente.

É a mais importante celebração do ano judaico. Tem início no pôr do sol da véspera de 1º de Tishrei, por exemplo, em 2020 será no dia 18 de setembro, e termina depois do anoitecer de 2 de Tishrei (20 de setembro de 2020). É uma data móvel, relativa ao sétimo mês do calendário judaico (lunissolar), diferente do calendário gregoriano utilizado por nós. Coincide com o outono do Hemisfério Norte.

O número sete tem um significado especial no Judaísmo. Cada sétimo dia é considerado santo. O sétimo mês é o das celebrações e também o da identidade judaica.

No calendário judaico os meses são baseados nos ciclos lunares e o ano é adaptado ao ciclo solar, então ele alterna em anos de doze e treze meses.

Imagem de frutas como romã e maçã, um copo de mel e o seu dosador, elementos que compõem a celebração do ano novo judaico. À frente dos ingredientes está escrito a palavra: Rosh HaShaná
Jacek ZiÄ…bski / 123RF

A comemoração de Rosh HaShaná é o período para um exame de consciência, de renovação espiritual para os judeus. É quando especialmente se pede perdão às pessoas por alguma ofensa que possa se ter cometido a elas durante o ano. É também o momento de pedir perdão a Deus.

Durante o período da celebração do Rosh HaShaná, é tradição desejar às pessoas que sejam inscritas por Deus no “Livro da Vida”, para que elas tenham um bom ano.

O livro permanece aberto enquanto os nomes são inscritos durante o Rosh HaShaná. No dia do Yom Kippur (Dia do Perdão), celebrado dez dias depois do Ano Novo Judaico, o livro é fechado e selado.

De acordo com a tradição religiosa, no Rosh HaShaná, Deus julga a humanidade e registra a sentença no “Livro da Vida”, porém oferece um período de dez dias para o arrependimento pelos pecados, chamado de Iamim Noraim (dias temíveis).

O julgamento (Yom haDin) de Deus determina quanto cada um vai ganhar, como será a saúde de cada pessoa, se a pessoa terá filhos, como será a educação, a prosperidade e tudo sobre a vida da pessoa no novo ano, considerando o comportamento durante o ano.

No caso de se ter cometido pecado, o arrependimento pode mudar o julgamento divino, pois ao se arrepender o homem se torna outra pessoa e não mais aquela que pecou. É importante ressaltar que a decisão de Deus não muda. Quem muda é a pessoa sobre quem recairia um julgamento severo. Porém, o perdão é somente perante Deus. Pecados cometidos contra outras pessoas devem ser julgados pelos homens.

Costumes do Rosh HaShaná

É costume os judeus irem à sinagoga para rezar no Rosh HaShaná.

Durante as duas manhãs não se trabalha e há o toque do shofar, uma espécie de “berrante”, feita com chifre de carneiro.

Os judeus usam roupa branca em sinal da intenção de não pecar.

Nas refeições há tâmaras para atrair fortuna, pão em formato circular (Chalá) para mergulhar no mel, maçã com mel, bolo de mel e doces, tudo para adoçar o ano. Outras iguarias são romã, cordeiro, peixe e cabeça de carneiro ou de peixe.

Imagem de vários elementos como maçãs, mel, dosador, que compõem a celebração do ano novo judaíco. No centro desses elementos está escrito a palavra: Happy Rosh HaShaná em inglês.
Tomertu / 123RF

Durante a celebração do Rosh HaShaná são acesas velas à noite e as pessoas se cumprimentam dizendo “Shaná Tová”, que significa “Bom Ano”.

Então, o Ano Novo Judaico (Rosh HaShaná) é o momento de reflexão sobre o próprio comportamento durante o ano que passou. É também o momento de se arrepender e de pedir perdão, ao mesmo tempo em que se deseja um novo bom ano aos familiares e aos amigos. É também um momento de alegria porque a humanidade completa mais um ano de vida.

Você também pode gostar

Com essa tradição religiosa podemos aprender que, para o Judaísmo, religião monoteísta, existe um Criador justo e benevolente. Eles aproveitam essa data emblemática e milenar para continuar as tradições. Inspire-se nesse exemplo que preza o ato de perdoar e celebre a vida!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]