Autoconhecimento Comportamento

Cultura Nordestina – Entenda por que a instituição de uma semana para sua comemoração

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você sabe por que foi criada a Semana da Cultura Nordestina? Se a resposta é “não”, não se preocupe, pois nós vamos te explicar tudo sobre essa comemoração tão importante para a região Nordeste.

A Semana da Cultura Nordestina começou no dia 0=2 de agosto de 1989, por meio da morte de Luiz Gonzaga do Nascimento, o famoso “Rei do Baião”. A partir daquele ano, a cultura dos nordestinos ganhou uma identidade inabalável e se tornou ainda mais conhecida entre todas as regiões brasileiras.

Gonzaga foi muito importante para o Nordeste devido à sua maneira de mostrar a pobreza, a seca e a miséria vivida por todos os nordestinos. Ao contrário do que muitos podem pensar, a forma como ele apresentava a realidade vivida por todos possuía um ritmo alegre e contagiante. Como podemos ver, essa é a principal característica nordestina até os dias atuais.

Apesar de ser a região mais receptiva, calorosa e de maior ação cultural do Brasil com diversidade culinária, musical, literária e artesanal, o preconceito ainda ronda os nativos desses Estados com as mais variadas expressões pejorativas. Ainda é um desafio compreender esse comportamento das outras regiões em relação ao Nordeste. Ao mesmo tempo em que se vê muita apreciação em relação à cultura, também se vê nitidamente a falta de apreço pelos nordestinos.

Imagem do tradicional chapéu nordestino pendurado em uma barraca no centro de uma cidade do nordeste.
Imagem de Daniele Daly Dani por Pixabay

A importância dos nordestinos para o país

O povo do Nordeste tem uma extrema importância para o país devido à sua ação migratória, principalmente nos Estados de São Paulo e Brasília. A grande escassez econômica e a seca foram os principais motivos da migração para o Sudeste. Entre as décadas de 1950 e 1970, no auge da industrialização brasileira, eles adotaram especialmente São Paulo e Rio de Janeiro como novos lares, em busca de uma qualidade de vida melhor.

Você também pode gostar

No mesmo período também houve um grande fluxo migratório para o Distrito Federal, no Centro-Oeste do país. O motivo? A construção de Brasília, que representava uma nova oportunidade de conquistar uma qualidade de vida mais favorável.

Os nordestinos ainda permanecem em peso no estado de São Paulo. Dados do IBGE do ano de 2010 mostraram que há cerca de 3 milhões de pessoas do Nordeste vivendo no território paulistano.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]