Convivendo Espiritualidade

Dia Mundial da Religião e Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

No mundo todo, existem as mais diferentes crenças e os mais variados mitos, sendo que cada um se propõe a oferecer uma verdade sobre a existência da vida. As pessoas escolhem em quais verdades preferem acreditar, sendo que, grande parte delas, também prefere acreditar só no que a ciência diz.

Cada religião apresenta um conjunto de rituais e de pensamentos distintos. Isso não significa que algumas estão certas e que outras estão erradas: são apenas outras maneiras de olhar para o mundo e para o que seria a criação dele.

Toda essa variedade de religiões pode ser traduzida em números. A religião mais popular no mundo, com mais de dois bilhões de adeptos, é o cristianismo. Em seguida, está o islamismo, com mais de um bilhão e meio de seguidores. O terceiro lugar é ocupado pelo hinduísmo, que acumula 900 milhões de adeptos.

Ilustração de pessoas de diferentes religiões com adereços tradicionais de mãos dadas em círculo.

Há ainda outras cinco religiões de grande alcance no mundo, sendo o espiritismo a que tem menos adeptos, atingindo 13 milhões de pessoas. Apesar dessa quantidade significativa de religiões, no entanto, a intolerância entre os fiéis de cada uma delas ainda é crescente no mundo.

Alguns exemplos desse cenário repressivo e ameaçador são acontecimentos no Brasil e no mundo. Grupos extremistas muçulmanos e evangélicos praticam, em todo o mundo, a perseguição e o extermínio de pessoas que seguem religiões distintas. No Brasil, crescem os casos de intolerância religiosa contra praticantes de religiões de matriz africana, também pautados no racismo.

No nosso país, esse dado é ainda mais alarmante ao considerarmos que, entre 2015 e 2017, de acordo com um levantamento feito pelo Ministério Público, houve uma denúncia de intolerância religiosa a cada quinze minutos. 39% dessas denúncias eram feitas por pessoas de religiões de matrizes africanas.

Você também pode gostar

É em uma tentativa de promover o respeito e a tolerância que foi instituído o Dia Mundial da Religião, a ser comemorado em 21 de janeiro. Acredita-se que a data foi criada em 1949, por meio de uma Assembleia Religiosa Nacional dos Baha’is. Pouco conhecida, essa era uma religião monoteísta (que crê em um só deus).

Se a prática da bondade e do amor é inerente a todas as religiões, por que existe tanto ódio entre elas? Os casos de intolerância religiosa no Brasil resultaram na criação do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, também em 21 de janeiro. O objetivo é reforçar a luta pela tolerância e pelo diálogo entre as religiões, promovendo uma convivência pacífica entre as pessoas, independentemente da crença que elas sigam.

Ilustração de três pessoas orando, à noite, em meio a velas e sinos.

Para participar ativamente dessa luta pelo respeito, é possível adotar atitudes simples e transformadoras. Aqui estão alguns exemplos:

1) Ao identificar uma situação de intolerância religiosa denuncie. Essa intolerância pode ser uma pessoa criticando a outra pela religião que ela tem, ou associando essa crença a algo negativo para a sociedade;

2) Se você tem uma religião, compreenda que as pessoas são livres para acreditarem no que elas quiserem. Não tente impor os seus valores ou os seus princípios se a outra parte já deixou claro que não tem interesse neles;

3) Uma pessoa de uma religião diferente da sua não é alguém com quem entrar em conflito. Não tente convencê-la de que a sua crença é superior ou de que você é melhor que ela, de alguma forma. Cada pessoa é diferente e pode, sem sofrer represálias, escolher em qual versão sobre a existência prefere acreditar.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]