Espiritualidade

Estrada iluminada – Palavras proferidas

Nilton C. Moreira
Escrito por Nilton C. Moreira


“- Uma boa palavra auxilia sempre. Às vezes, supomo-nos sozinhos e proferimos inconveniências. Desajudamos quando podíamos ajudar. É preciso aproveitar oportunidades. Falar é um dom de Deus. Se abrirmos a boca para dizer algo, saibamos dizer o melhor. A pequena assembleia ouvia atenta a palavra de Sálus, o instrutor espiritual que falava pelo médium em uma reunião espírita.

– Não adianta repetir frases inúteis. E é sempre falta grave conferir saliência ao mal. Comentemos o bem. Destaquemos o bem. – Dentre todos os presentes, Belmiro Arruda, escutava em silêncio.

Decorridos alguns dias, Arruda, nas funções de pedreiro-chefe, orientava o término da construção de grande recinto. O enorme salão parecia completo. Tudo pronto. Acabamento esmerado. Pintura primorosa. – Experimentemos a acústica, disse o engenheiro superior. E virando-se para Belmiro disse: – Grite algo. Arruda, recordando a lição, bradou: – Confia em Jesus!… Confia em Jesus!…

O som estava admiravelmente distribuído. Os operários continuavam na sua faina, quando triste homem penetra o recinto. Cabeleira revolta. Semblante transtornado. – Quem mandou confiar em Jesus? – perguntou. Alguém aponta Belmiro, para quem ele se dirige, abrindo os braços.

– Obrigado, amigo! – exclamou. E mostrando um revólver: – Ia encostar o cano no ouvido, entretanto, escutei seu apelo e sustei o tiro… Queria morrer no terreno baldio da construção, mas sua voz acordou-me… Estou desempregado há muito tempo, e sou pai de oito filhos… Jesus, sim! Confiarei em Jesus!…

Arruda abraçou-o, de olhos úmidos.

O caso foi conduzido ao conhecimento do diretor do serviço. E o diretor visivelmente emocionado estendeu a mão ao desconhecido e falou: – Venha amanhã. Pode vir trabalhar amanhã.“

Esta narrativa consta do livro ‘A Vida Escreve’ do saudoso irmão Waldo Vieira.

Realmente, muito mais do que pensamos, nossas atitudes e palavras ecoam, por isso, é importante termos equilíbrio constante, pois, assim como influenciamos para o bem, podemos ser coniventes com o mal.

Jesus, certa ocasião, disse-nos que o mal é o que sai pela boca, referindo-se às palavras que muitas vezes são ditas sem pensar.

Quantas pessoas magoamos, às vezes sem querer, quando proferimos algum comentário desprestigioso?

Foto preta e branca de mulher chorando apoiando o rosto nas mãos.

A palavra contém uma energia que pode concorrer tanto para o bem como para o mal. Chico Xavier dizia: “Se não tivermos uma palavra que auxilie, é melhor ficarmos de boca fechada”.

Assim devemos perseverar, amigos.


Você também pode gostar de outros artigos do autor: Estrada Iluminada – Só rezar não adianta

Sobre o autor

Nilton C. Moreira

Nilton C. Moreira

Policial Civil, natural de Pelotas, nascido em 20 de maio de 1952, com formação em Eletrônica, residente em Redentora (RS), religião Espírita, casado.
Email: [email protected]
Facebook: /Nilton-C-Moreira