Autoconhecimento

Explicando a BNCC: Os direitos de nossos filhos

crianças
Rogério Prado
Escrito por Rogério Prado

Colocar os filhos na escola é sempre um momento singular, marcado por diversas incertezas, por mais que se conheça a instituição, os professores e a proposta pedagógica e concepções norteadoras da escola.

E se for o primeiro filho ou filha então, as preocupações e incertezas aumentam consideravelmente, o que é natural e nunca deve chegar à superproteção. Entretanto com a aprovação da BNCC (Base Nacional Comum Curricular) da Educação Infantil e Ensino Fundamental, tais incertezas se multiplicaram exponencialmente, pois evidenciaram-se os debates acerca da eficiência, vantagens e desvantagens de tal documento norteador para o trabalho pedagógico e, por consequência, para a formação de nossas crianças.

Particularmente, percebi que tais debates e produções midiáticas acerca da BNCC, em sua grande maioria, dedicam-se a apresentar a opinião de seus respectivos produtores, muitas vezes, deixando de apresentar a Base Nacional Comum Curricular de maneira clara, principalmente para os pais das crianças, que não são obrigadas a dominar o vocabulário “pedagogiquês” que predomina os vídeos e artigos acerca da BNCC.

crianças

Nesse intuito, começamos a apresentar a Base Nacional de maneira clara, direta e descomplicada, para que não apenas os professores, mas também, e principalmente, os pais dos alunos compreendam o que está se propondo de mudanças para a organização curricular de nossas escolas. Fiz o possível para deixar as minhas opiniões de lado.

E nesse primeiro vídeo, abordamos os direitos básicos de aprendizagem das crianças na Educação Infantil, os quais devem ser assegurados nas creches, CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil) e instituições particulares de todo o Brasil.

Fizemos o vídeo explicativo, com exemplos e linguagem acessíveis a todas as pessoas, para que todos compreendam como os educadores devem garantir os direitos de: CONVIVER com outras crianças e adultos, BRINCAR cotidianamente de diversas formas, participar ativamente das atividades propostas pelo educador, EXPLORAR movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações, etc, EXPRESSAR, como sujeito dialógico, criativo e sensível, as suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas etc e, por fim, CONHECER-SE e construir sua identidade pessoal, social e cultural.

E nunca é demais lembrar que a família e sociedade possuem papel importante na formação das crianças, ou seja, por mais que pareça jargão, a sociedade que queremos está sendo formada nesse exato momento, na sala de aula mais próxima de você.


Você também pode gostar de outro artigo deste autor. Acesse: As Armadilhas da Carência

Sobre o autor

Rogério Prado

Rogério Prado

Professor Rogério Prado é graduado em Letras, coach sentimental, escritor, poeta, especialista em comportamento, palestrante e produtor do canal do Youtube Vida em Abundância - palavras que transformam tua alma.

E-mail: [email protected]
Telefone/WhatsApp: (44) 99974-7726