Saúde Integral Terapias Integrativas

Iridologia: o que é e como funciona?

Close de um olho castanho
puhhha / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Intitulada também como irisdiagnose ou iridodiagnose, a iridologia é um tipo de medicina alternativa ou pseudociência que consiste na possibilidade de descobrir ou apontar desequilíbrios emocionais e físicos de um indivíduo a partir da leitura da íris ─ ou seja, dos olhos. Esse tipo de estudo é baseado no fato de que a íris é constituída de fibras nervosas e, por isso, pode ser considerada um receptor de informações do sistema nervoso humano.

Muitos iridologistas afirmam que determinadas alterações nos padrões da íris podem ser úteis para revelar indícios de doenças ─ no ato de um exame específico da iridologia, é feito um mapa da íris do paciente que representa pontos específicos do corpo humano. Quem se aprofunda mais nessa pseudociência vê os olhos como “janelas” para a saúde do nosso corpo, mas ela pode revelar muito mais sobre o seu organismo do que você imagina!

No Brasil, a iridologia ainda não é regulamentada, mas faz parte da medicina alternativa e natural na China e Grécia. Quer saber tudo sobre esse estudo e descobrir como ele funciona? Conheça neste artigo a iridologia e tire todas as suas dúvidas sobre ela!

Como funciona a iridologia?

A iridologia consiste em uma análise de pigmentação, filamentos e manchas que formam um desenho específico no olho de cada ser humano. O diagnóstico dessa medicina alternativa faz muito mais do que uma simples leitura dos olhos, ele revela questões sobre a saúde mental, física, comportamental e até mesmo sobre a genética de uma pessoa.

Close do rosto de uma mulher em uma imagem preto e branco.
KarolinaGrabowska / Pexels

No ato do exame, o terapeuta ou profissional cria dois mapas da íris do paciente ─ o emocional e o físico ─, que representam cerca de cem partes do corpo humano, como pulmões, baço, sistema respiratório, assim como aspectos emocionais que viabilizam uma leitura profunda do temperamento do paciente. Tal exame não é invasivo, pois é feito com uma lente conectada a uma câmera fotográfica ou pelo iridoscópio, que torna evidente possíveis deficiências ou alterações em determinadas áreas que podem ou não ser indícios de problemas de saúde.

A iridologia nada mais é do que um tipo de medicina alternativa que estuda os olhos de uma forma mais aprofundada, baseando-se em todas as terminações nervosas que constituem a íris de uma pessoa.

A iridologia é um método confiável?

Como já citamos anteriormente, a iridologia ainda não é regulamentada no Brasil e também não é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, mesmo sendo uma prática bem antiga da tradição de outras culturas, como China, Grécia e Egito, por exemplo. Essa pseudociência é mais aprofundada em países como Rússia, Letônia, Coreia do Sul e Ucrânia ─ inclusive, inúmeras pesquisas foram aceitas por hospitais e departamentos do ramo da saúde dessas localidades.

Recorte de um rosto de uma mulher com o olho cor de mel.
AntonioPrado / Pexels

Com o passar dos anos, os estudos sobre a iridologia vêm crescendo e sendo mais incluídos no meio científico ─ mesmo que muitos médicos afirmem que esse tipo de medicina não possui total eficácia.

Pelo fato de não haver comprovações, aceitação ou um campo de estudo mais profundo sobre esse assunto, a iridologia é tratada como uma forma complementar e até mesmo terapêutica de iniciar um autoconhecimento maior sobre o corpo e saúde de um paciente. Tal estudo é válido, mas não deve ser utilizado como única forma para investigar algum tipo de doença.

Quando surgiu a iridologia?

O costume de examinar e explorar os olhos humanos com o intuito de analisar a saúde de um indivíduo existe desde a época da antiga Grécia. Os primeiros relatos sobre o início da iridologia foram encontrados em uma obra chamada “Chiromatica Medica”, publicada em 1665 por Philip Meyen von Coburg. Já em 1695, “Os Olhos e Seus Sinais”, livro publicado por Cristian Haertls, também retratava a íris como uma possível janela para descobertas sobre saúde humana.

A história mais conhecida sobre esse tipo de estudo é a de um médico húngaro, Ignatz Von Péczelu, no século XIX. Permeia-se sobre o assunto o fato de que Péczelu percebeu que a íris de um paciente em tratamento de fratura do membro inferior possuía linhas similares às da íris de uma coruja que havia fraturado uma de suas patas ─ mas tal história foi desmentida anos após pelo sobrinho do médico.

Recorte do olho de um homem.
AndreaBova / Pexels

Entre os nomes que deram início à popularidade da iridologia, Felke, um pastor da Germânia, desenvolveu um tipo de homeopatia no século XIX a partir de sinais da íris, fundando o seu próprio instituto com o objetivo de ensinar as pessoas sobre a iridologia e também de defender a alimentação natural para desintoxicar o organismo. Deste então, essa medicina foi ganhando fama e virou alvo de muitos estudiosos que buscam por respostas e formas novas de diagnósticos não invasivos.

Quais os benefícios da iridologia?

A iridologia é capaz de fornecer análises profundas e até mesmo diagnósticos claros em diversos níveis. Ela ainda facilita a identificação de doenças, sejam elas já existentes ou preexistentes, tornando mais simples a busca por meios de contribuição para sintomas específicos. Por não ser um tipo de medicina invasiva, ela não oferece riscos aos seus pacientes ─ mas é válido lembrar que ela não deve ser a única opção para o diagnóstico de alguma doença.

Essa medicina pode ser tida como um tipo de diagnóstico complementar, pois ela pode revelar inúmeras áreas do corpo humano que carecem de mais atenção. Assim, o paciente terá mais conhecimento sobre o estado de saúde do seu organismo e da sua mente. Mas um dos principais benefícios da iridologia é que ela não revela somente problemas que estão “claros” em um paciente, ela consegue abordar a “raiz” dos problemas, ressaltando condições genéticas e crônicas, proporcionando uma análise clara sobre as condições do sistema nervoso e digestivo dele.

Uma menina com as mãos na cabeça irritada.
AndreaPiacquadio / Pexels

Comumente ela é utilizada por homeopatas, nutricionistas, naturopatas, quiropratas, osteopatas, massagistas etc.

Quais diagnósticos podem ser obtidos por meio da iridologia?

Essa medicina natural ajuda principalmente o diagnóstico de doenças subjacentes ou algum tipo de condição, como a artrite, por exemplo. Um dos focos da iridologia é identificar predisposições genéticas ou certos tipos de tendências que cada indivíduo possui. Mas, de forma geral, ela aponta a causa de determinadas condições ou de sintomas que incomodem uma pessoa. Veja exemplos de diagnósticos possíveis por meio da iridologia:

  • Disglicemia;
  • Artrite;
  • Síndrome de Fadiga Adrenal;
  • Hipotireoidismo;
  • Disbiose;
  • Problemas psicológicos como ansiedade, certos tipos de fobia, estresse etc.
  • Estado nutricional, imunológico e metabólico, entre outros.

Você também pode gostar

Agora que você já conhece um pouquinho sobre a iridologia, sabe que essa medicina natural pode ajudar você a descobrir se está tudo bem com o seu corpo e com a sua mente a partir da sua íris. Mesmo não sendo uma medicina regulamentada no Brasil, ela é um tipo de pseudociência utilizada por terapeutas para proporcionar aos seus pacientes benefícios à saúde do organismo e do lado emocional da vida de qualquer pessoa. Que tal compartilhar este artigo com os seus amigos?!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]