Saúde Integral

10 pensamentos que ocorrem durante o ataque de pânico

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O ataque de pânico é uma reação comportamental do ser humano diante de uma situação que o leve ao estresse extremo, medo e insegurança.

Ao contrário do que se pensa, pode ocorrer à qualquer um de nós. Não estando restrito a pessoas que sofram de alguma doença crônica diagnosticada, como a síndrome do pânico.

Essa reação é resultado de uma grande medo o qual foi gerido por certa situação que faz com que a pessoa passe por crises de desespero que parecem não terminar. Nas quais não tem muita clareza e segurança para responder de nenhuma outra maneira.

Causas

As causa de ataques de pânico podem ser diversas, desde traumas de infância até a dependência de outros medicamentos. O que se sabe é que motivos e/ou situações que causam insegurança levam essas pessoas à passar sessões de “desepero” que podem durar de 10 a 20 minutos, e em alguns casos, podem perlongar por horas de preocupação.

Diagnóstico

Os ataques de pânico fazem parte do quadro de sintomas específicos de quem sofre da doença crônica denominada síndrome do pânico. Neste caso, além de crises frequentes, a instabilidade psíquica é presente em todos os momentos.

O grande incômodo e situação de desespero não tem hora nem lugar para acontecer, pode ser no trânsito, na rua, num bar ou festa. Algumas das características são suadouro, sensação de perigo, palpitação, dificuldade para respirar, para engolir e até mesmo tonturas e desmaios.

Durante os ataques alguns pensamentos ficam passando pela cabeça de quem sofre, saiba aqueles que mais expressam as sensações das vítimas:

1. “Não estou me sentindo bem”

A primeira identificação normalmente vem com esta frase. Não se sabe bem o que se passa, apenas sente-se um desconforto e não se sabe o que fazer, como reagir.

2. “Ah, não! De novo não!”

Para aqueles que já tiveram outras crises fica mais fácil reconhecer quando elas estão a caminho, o que, entretanto, não permite controlá-las.

3. “ O quanto será constrangedor desta vez só porque eu tenho esse medo estranho?”

Por não poder controlar os ataques em nenhuma circunstância, as pessoas que sempre os tem sentem vergonha e medo sem nem mesmo saber claramente o porquê estão se sentindo daquela maneira.

4. “Estou tendo um ataque do coração?”

Tanto para os que já passaram por isso quanto para aqueles que passam pela primeira vez, o ataque de pânico pode ser confundido com ataque do coração, principalmente por conta de seus sintomas comuns como a sudorese a palpitação.

5. “As pessoas estão me julgando agora”

Ao mesmo tempo em que não se pode controlar a reação do corpo, a pessoa permanece consciente daquilo tudo que está acontecendo e de seu comportamento estranho, portanto teme julgamentos e olhares estranhos, o que piora ainda mais a instabilidade psíquica.

6. “Porque não sou normal e corajoso assim como os outros?”

Tal comportamento traz resposta de estranhamento de muitos e faz com que aquele que sofre dos ataques se sinta estranho em relação aos outros, inseguro e sem confiar em si mesmo por não poder controlar totalmente o que sente, pensa e como se comporta nestes momentos.

7. “Eu vou morrer”

Dependendo da intensidade destes ataques a pessoa pode pensar estar morrendo. Eles não são previsão de fim nem mesmo de melhora, não se sabe até quando aquele incômodo todo estará presente.

8. “Quem eu realmente gosto irá se decepcionar comigo”

Além da preocupação com olhares estranhos, o indivíduo se sente muito mal, sente-se “fraco”, teme julgamentos e acha que ninguém entenderá as razões pelas quais aquilo tudo está ocorrendo.

9. “Por favor, faça isso parar”

Sem poder ou conseguir reagir de muitas maneiras, a pessoa que passa por um ataque de pânico só consegue desejar que aquilo tudo passe o mais rápido possível pois não faz o mínimo sentido e não traz nenhuma sensação boa.

10. “Respire fundo”

Exatamente por não encontrar outras escapatórias para minimizar a situação, a pessoa simplesmente deseja que aquilo passe rapidamente e tenta, no mínimo, respirar fundo para lidar melhor com a situação.

Tratamento e cuidados

O tratamento para ataques de pânico pode incluir visitas ao psiquiatra e também uma consulta médica. O problema pode estar associado à questões de trauma assim como à alterações hormonais.

É importante identificar o comportamento e correr atrás de suas causa a fim de gerar melhora. Além disso, o paciente deve estar consciente que tudo o que sente no momento de seu ataque e a maneira como se comporta são diferentemente vistos por ele mesmo e pelas outras pessoas. Não se deve sentir vergonha ou ainda mais medo por agir assim, apenas tentar solucionar e enfrentar o problema sem causar mais medos e inseguranças que aquelas já existentes.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]