Espiritualidade

O que é I Ching?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Também conhecido como Livro das Mutações, o I Ching é considerado um grande legado dos cidadãos chineses. Trata-se de um escrito utilizado ao longo dos séculos como um oráculo e significa “mudança” ou “mutação”.

Funciona como um livro para que quem quer ler e se tornar uma pessoa mais sábia, assim, através dos tempos tornou-se muito conhecido.

Surgimento

O I Ching surgiu antes da dinastia Chou (1150249 a.C.). O I-Ching foi concebido por um imperador legendário da China, chamado Fu Hsi, como um livro contendo inúmeros símbolos, sem texto.  Esses símbolos representam o chamado “estágio da mutação”, que são elucidados como fases da vida e os ciclos da natureza dos seres.

A partir de 1150 a.C, o duque Chou e seu pai, o rei Wên, incluíram textos aos símbolos, pois consideravam-nos muito difíceis de serem compreendidos, e a escrita seria a solução para esse caso. Foram acrescentados também apêndices explicativos pelo filósofo chinês Confúcio.

Como utilizar

A pessoa se concentra numa pergunta bem precisa, sobre algo que gostaria de saber ou para obter algum esclarecimento da sua vida. Depois disso, são lançadas moedas para a conquista dessa resposta. Essas moedas são agrupadas seis vezes, assim formando linhas, conhecidas também como hexagramas que podem ser firmes ou mutáveis.

Caso caiam as linhas do mesmo lado (devido às moedas caírem em lados diferentes), cria-se então o resultado da linha mutável, representando o que pode acontecer no futuro com relação à pergunta realizada pela pessoa que a fez.

Cada linha sorteada elucida o princípio de Ying e Yang, compreendendo-se que não existe o bem ou o mal, mas sim que ambos complementam-se e formam a vida existente.

Importante

Quanto mais direta a pergunta for, maior a possibilidade de acerto do I Ching. Caso haja necessidade de se fazer mais de uma pergunta, é importante dividi-la e perguntar uma única coisa por vez. O oráculo é infalível, segundo a filosofia oriental, sendo assim, quem está suscetível à falha é a pessoa que o consulta, devido a falta de clareza no que perguntar. A filosofia oriental defende que só quem sabe o que está procurando obterá suas respostas.

Conclusão

O principal objetivo do I Ching é elucidar o significado daquilo que é perguntado, em  vez de simplesmente gerar respostas para quem o consulta. Para então conseguir as verdadeiras respostas, a pessoa que consultar o oráculo deve-se desconstruir e despir-se de preconceitos e abrir a mente para absorver todo o conhecimento no momento da consulta pelo oráculo. Assim, será possível obter a realização da resposta total pelo I Ching.


Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]