Espiritualidade

O que foi Jesus Cristo?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Antes de mais nada precisamos pontuar o uso do “o que”, ao invés de “quem” no título que se refere ao Messias do Cristianismo. O primeiro ponto é que este que escreve é um cristão, que passou pelos principais rituais da Igreja Católica como batismo, catecismo e etc, portanto trata-se de uma reflexão válida aos cristãos, adeptos de outras religiões e também aos ateus. Se há uma parcela significativa do mundo que não acredita que Jesus Cristo tenha existido, então não é pertinente se referir a ele utilizando o “quem”. Mas, ao mesmo tempo, se analisarmos a sua influência na humanidade, ele é grande demais para ser designado como alguém. O que foi Jesus Cristo, no sentido de figura representativa nos mais variados campos morais, sociais e culturais?

Tudo acerca da religião é passível de muita discussão e reflexão.

Considerando que a Bíblia foi um documento escrito em outra língua há milhares de anos e, consequentemente, traduzido para outros milhares de idiomas, muitas questões colocadas por Cristo e outros apóstolos precisam ser vistas com certa prudência. Vamos tomar, por exemplo, a palavra “saudade”. Não existe um termo exato que traduza “saudade” para a língua inglesa. Em inglês, escreve-se “i miss you”, que significa de maneira literal “eu perdi você”, ou seja, não é a mesma coisa. Considerando que a Bíblia é um livro extremamente complexo e repleto de figuras de linguagem, não é absurdo que algumas de suas passagens possam ter sido interpretadas e, posteriormente, traduzidas de forma diferente do sentido inicial.

Falando somente da língua portuguesa, a sua complexidade é tão vasta que um equívoco mínimo pode mudar totalmente o sentido de uma simples frase. Outro exemplo é a sentença: “Guerra não, quero paz”. Alterando a pontuação, o sentido da frase muda completamente: “Guerra. Não quero paz”.

shutterstock_246112852

Não existe uma visão única para os valores expressos pela Bíblia. Extremamente contraditória, ela pode ser interpretada a partir de ideais como do “olho por olho e dente por dente” no Velho Testamento, mas também traz uma ideia completamente oposta com Jesus Cristo no Novo Testamento, quando afirma que se alguém lhe der um tapa no rosto, então ofereça a outra face. Dependerá da filosofia de cada um sobre como vai guiar a própria vida e, principalmente, o que vai representar os valores passados por Cristo e pela Bíblia.


  • Escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]