Autoconhecimento Comportamento

Paciência. “Um Espírito Amigo”

Imagem ampliada de uma mulher de olhos fechados.
Nilton C. Moreira
Escrito por Nilton C. Moreira

Em meio à pandemia do novo coronavírus, estão acontecendo situações das mais diversas. Famílias que passaram a ter harmonia entre si, ar que ficou mais puro, menos criminalidade, menos acidentes nas estradas e assim por diante.

É preciso muita calma para que possamos atravessar essa situação com o menor pavor possível. Já vimos que somos impotentes e que existem situações em que o Planeta Terra é atingido e não temos como fugir. Apenas conseguimos protelar, e o recolhimento aos nossos lares é a única defesa no momento. É como o soldado que consegue chegar a uma trincheira. Não sabemos se pereceremos diante dessa guerra, mas a fé nos diz que morrerá apenas quem tiver que perecer, pois quem decide isso não é nenhuma norma, jogo ou um homem, mas o Criador. Portanto, o pavor, o desespero de nada adiantam.

Mulher imobilizada por faixas segurando uma placa com os escritos "COVID-19".
Pexels/cottonbro

Vamos observar o que os profissionais de saúde estão aconselhando. Eles são os estrategistas nessa guerra e nós apenas os soldados. Certa vez, Chico Xavier estava pela primeira vez viajando de avião para ser entrevistado em um programa de rádio, e a certa altura iniciou-se uma turbulência. A maioria na aeronave gritava e chorava, e Chico, apesar de sua fé e de seu conhecimento, também passou a gritar acompanhando os demais dizendo: “nós vamos morrer, socorro…”. Nesse momento, lhe apareceu o Mentor Emmanuel e o questionou sobre o comportamento. Chico então disse em tom ansiado: “vamos todos morrer! e Emmanuel então disse: “morra, mas morra com dignidade”.

Você também pode gostar

Assim devemos proceder. Se Deus consentir que devamos ser chamados em meio a essa peste, que foi por ele permitida chegar, vamos dignamente! Preparemo-nos! Façamos nossas preces! Onde está nossa fé nesse momento?

Aqui vai um texto das leituras da madrugada denominado Paciência: “A dor é uma benção que Deus envia aos seus eleitos. Não vos aflijais, portanto, quando sofrerdes, mas, pelo contrário, bendizei a Deus todo poderoso, que vos marcou com a dor neste mundo, para a glória no céu. Sede paciente, pois a paciência é também caridade, e deveis praticar a lei de caridade, ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste em dar esmolas aos pobres é a mais fácil de todas. Mas há uma bem mais penosa, e consequentemente bem mais meritória, que é a de perdoar os que Deus colocou em nosso caminho para serem os instrumentos de nossos sofrimentos e submeterem à prova a nossa paciência.”

Homem com as mãos entrelaçadas sobre uma Bíblia aberta.
Unsplash/Patrick Fore

A vida é difícil, bem o sei, constituindo-se de mil bagatelas que são como alfinetadas e acabam por nos ferir. Mas é necessário olhar para os deveres que nos são impostos, e para as consolações e compensações que obtemos, pois então veremos que as bênçãos são mais numerosas que as dores. O fardo parece mais leve quando olhamos para o alto, do que quando curvamos a fronte para a terra. Coragem, amigos: o Cristo é o vosso modelo. Sofreu mais que qualquer um de vós, e nada tinham de que se acusar, enquanto tendes a expiar o vosso passado e de fortalecer-vos para o futuro. Sede, pois, paciente, sede cristãos: esta palavra resume tudo. “UM ESPÍRITO AMIGO, Havre, 1862”.

Sobre o autor

Nilton C. Moreira

Nilton C. Moreira

Policial Civil, natural de Pelotas, nascido em 20 de maio de 1952, com formação em Eletrônica, residente em Redentora (RS), religião Espírita, casado.
Email: [email protected]
Facebook: /Nilton-C-Moreira