Convivendo

Peças criadas por quenianos aproxima Brasil e África através do projeto L’Afrikana

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras



Os projetos sociais estão voltados para ajudar a melhorar algum aspecto da sociedade. E foi isso que Renata Flores fez. Com o apoio de sócios, ela criou o projeto L’Afrikana, que nasceu de um impacto social após uma viagem para o Quênia, em 2014. Lá, ela ficou surpresa com a realidade social do país, principalmente em relação à guerra civil e a miséria.

As peças de roupa são produzidas no Quênia utilizando a mão de obra local e, além disso, utiliza tecidos africanos para produzir peças de roupa. Assim, a marca foi crescendo e ainda recebeu a doação de máquina de costura, aumentando a visibilidade do projeto.

foto-capa-4

Produção para América Latina

As peças que são produzidas no Quênia são vendidas para o Brasil e Argentina. Todo o dinheiro arrecadado a partir das vendas é destinado para as famílias que moram no país africano. O dinheiro é bem vindo, pois ajuda a comunidade em todos os sentidos, até psicológico, já que muitos sofrem de traumas, principalmente da guerra.

slide-foto-3-capa

As roupas ainda não são comercializadas virtualmente, mas está se estudando essa possibilidade. Aqui no Brasil, você pode encontrar as peças em Florianópolis e também em São Paulo, na loja Cada Qual Colaborativa.


Texto escrito por Angélica Fabiane Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Imagens: Reprodução

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]