Autoconhecimento Comportamento

Por que você só se decepciona?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Decepções e perseverança
A vida é repleta de decepções desde o dia que nascemos. Um bebê que está chegando ao mundo, que deixa o ventre da mãe para ingressar num mundo frio e que nunca oferecerá o mesmo conforto e segurança da gestação. Chega a ser até um pouco engraçado, afinal conhecemos algumas pessoas que de variadas formas, seja por competência, desonestidade ou até mesmo sorte, conseguem obter coisas que você sempre almejou. Você vê essas pessoas deixarem o patamar atual e crescerem na vida e na carreira profissional. Constituem filhos, família e um emprego que traz status. Tudo o que você deseja e, portanto, julga que o outro é mais feliz do que você. Será mesmo?

Não há segredo para vencer uma luta, além de lutar até o fim, independentemente da maneira e das formas possíveis.
A nossa sociedade é muito pautada pela aparência e, principalmente, pelas imagens que projetamos de nós mesmos para o mundo, seja pelas redes sociais ou qualquer outra forma de disseminar informação. A gente costuma imaginar que nossos problemas são maiores e piores porque temos a percepção real de todos os acontecimentos que nos afetam, diferentemente dos outros. Aquela pessoa que esbanja uma vida maravilhosa pode ter sofrimentos imensuráveis e que nós não temos a mínima ideia, mas talvez podem ter problemas pequenos, menores que os nossos, mas sofrem muito mais. A dor e o sofrimento, além de serem subjetivos, também não possuem uma relação exata de proporcionalidade. O que gera dor e/ou sofrimento demasiado a um não quer dizer necessariamente que causará ao outro.

É claro que toda desilusão traz uma carga emocional instantânea e que limita a nossa análise racional sobre o porquê de as coisas serem do jeito que são. Se pudéssemos aprofundar na vida de cada um para entender os dramas e sofrimentos alheios, somente o fato de você ser uma pessoa alfabetizada e ter acesso a esse texto já lhe torna um privilegiado em oportunidades. As nossas referências são sempre observadas acima de nós, mas a grande verdade é que tem muito mais gente abaixo. Por que não a percebemos? Porque não interessa à mídia, aos poderes e para a maioria das pessoas, talvez até mesmo para a gente.

A maior parte das pessoas de boa índole e honestas precisam lutar todos os dias para sobreviver. O pai de família que sustenta a casa, a mãe que educa e trabalha, os filhos que ajudam nas despesas e etc. As vidas da maior parte das pessoas são de lutas diárias. E pelo fato de que não escolhemos os adversários, a tendência é que a gente perca mais do que ganhe.

Se a gente lutando muito não é certeza de obter o êxito, então nem dá para imaginar como seria se não lutássemos. Infelizmente não existe o “viveram felizes para sempre” na realidade. É possível sim a conclusão de objetivos, mas logo após virão outros que poderão ser bem ou malsucedidos.

Não existe um segredo para vencer as decepções da vida. Cada um oferece um ensinamento ou uma receita diferente, sendo que muitas vezes são antagônicas. “Vá em frente, não desista” ou “Saiba a hora de partir para outra” são dois caminhos possíveis. Tanto o mesmo caminho ou um diferente trará muitas batalhas.


Escrito por  Diego Rennan da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]