Convivendo

Sete tipos de chefes e como lidar com eles

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Encontrar o trabalho dos sonhos é um objetivo comum para todos. O que ainda é mais desejado é encontrar um chefe que seja tão bom quanto o emprego. Afinal, o desenvolvimento de sua carreira é afetado diretamente pelo chefe que você tem. Ter um superior que saiba como extrair o melhor do seu potencial e ser justo com a equipe é o que imaginamos ser o ideal para um chefe. Mas como é difícil encontrá-los, achamos importante dar algumas dicas para lidar com aqueles chefes que não são tão bons assim. Conheça sete tipos de chefes e saiba como lidar com cada um deles.

Chefe egoísta

É aquele chefe que só enxerga o lado dele e não se importa nem com o bem da empresa, muito menos com o bem dos funcionários. Tudo o que ele faz é somente para benefício próprio. Com chefes assim, a dica é ter jogo de cintura e, aos poucos, ir mostrando para ele que quando a equipe e a empresa se dão bem, ele será reconhecido por isso e também terá os benefícios do trabalho de todos.

Aquele que não assume erros

Alguns chefes gostam de colocar a culpa de um erro nas costas de alguém da equipe. No fundo, eles são muito inseguros e por isso não conseguem admitir que erraram. É importante conseguir provas no seu trabalho de onde os erros vieram. E-mails e instruções por escrito são ótimos para mostrar que o erro não está vindo de onde ele está acusando. E, quando você errar, assuma o erro e mostre para ele como faz bem ter a humildade de admitir que errou.

O perdido

Alguns chefes subiram de cargo por serem ótimos funcionários, mas, ao se depararem com a coordenação de uma equipe, se mostram ineficientes para traçar estratégias. Ter um chefe perdido prejudica a equipe toda e pode prejudicar muito quando se trabalha com prazos fechados. Nesses casos, tente ser um mediador entre o seu chefe e a equipe e mostre para ele como algumas estratégias podem ser delimitadas para coordenar melhor o trabalho. Coloque-se como um aliado e aos poucos você conquistará a confiança dele.

O chefe fofoqueiro

Alguns chefes gostam de se aproveitar da posição de superioridade para fazer comentários inapropriados e começar conversas maldosas no ambiente de trabalho. Mostre para ele que você é uma pessoa séria, conversando somente sobre trabalho e de forma respeitosa. Jamais fale mal de alguém perto dele. Não alimente a maldade que ele gosta de ter nas conversas.

Ego inflado

Se o seu chefe gosta de elogios e sempre procura beneficiar aqueles que estão lá só para agradá-lo, você tem um chefe com um ego inflado. Não entre na onda de ser um puxa-saco. Saiba indiretamente demonstrar que os bons resultados do seu trabalho foram ajudados por ele, para não desagradá-lo. Mas não aumente ainda mais o ego dele. Mostre que você é um bom trabalhador, mas não um bajulador.

O fujão

Quando o problema é grande, ele foge. Chefes assim não querem assumir a responsabilidade. Quando um problema surgir, sugira soluções para ele para mostrar que você é um aliado, mas deixe claro que a decisão final é ele quem vai tomar. Dessa forma, ele vai perceber que não pode fugir da função que ele assumiu na empresa.

O insatisfeito

Se o seu chefe insiste em colocar metas irreais para a equipe, isso mostra que ele é mais teimoso e fora da realidade do que deveria. Sempre quando surgirem novos desafios, insista para que ele passe por escrito as metas para que todos tenham documentado o que ele quer. Dessa forma, vocês podem negociar e argumentar com números e fatos os objetivos e mostrar como o que ele pede é fora da realidade.

Você já teve algum chefe desse jeito ou de algum outro jeito que também foi difícil de lidar? Conte pra gente sobre a sua experiência nos comentários.


Escrito por Ricardo Sturk da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]