Autoconhecimento

Sobre julgamentos e preconceitos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

ENossa tendência de julgar consciente ou inconscientemente as pessoas que acabamos de conhecer é praticamente inevitável. Estamos sempre analisando coisas, fatos e principalmente pessoas.

Sobre confiança

Decidimos sobre dar credibilidade ou não a uma pessoa num tempo estimado de um décimo de segundo.
Pesquisadores de Princeton, Universidade Norte Americana, descobriram isso numa pesquisa, dando a um grupo de estudantes universitários 100 milissegundos para avaliar a atratividade, simpatia, agressividade e confiabilidade em rostos de atores.

O resultado foi que todos, nesse tempo estimado, avaliaram todos os atores.

Sobre Status

Nike, Lacoste, Adidas e CalvinKlein são marcas famosas, certo? E quando nos deparamos com alguma pessoa usando essas marcas ou outras ainda mais caras?  O que você pensa? Que essa pessoa tem poder aquisitivo, certo?

É automático analisarmos e tirarmos conclusões sobre as pessoas através do que ela veste, uma vez que é a identificação dela. Mas aquilo não é tudo o que ela é, e nos esquecemos disso.

Sobre condição sexual

Black and white image of a girl with her hand extended signaling to stop useful to campaign against violence, gender or sexual discrimination (image focused on her hands)Segundo os pesquisadores de Princeton: “As pessoas podem ler a orientação sexual de um homem em um vigésimo de segundo, a quantidade mínima de tempo que leva para reconhecer conscientemente um rosto”.

Além de estudos, se um homem possui trejeitos delicados ou a forma de falar um tanto mais branda, a possibilidade de ser rotulado gay é grande. O mesmo para uma mulher um pouco “masculinizada”.  Em nossa sociedade estamos a todo momento observando as pessoas e sua maneira de falar e agir.

Sobre inteligência

Um estudo realizado em 2007 conduzido pelo professor de Loyola Marymount da University Nora A. Murphy, descobriu que olhar o seu parceiro enquanto olha nos olhos é uma grande maneira de perceber o quanto ele pode ser inteligente.

Numa conversa é natural que queiramos mostrar todo nosso conhecimento e saber o que as pessoas conhecem acerca dos assuntos a serem tratados.

Conclusão

É natural que julguemos as pessoas num primeiro momento após minutos de conversa, mas é importante que saibamos quem realmente as pessoas são e não somente naquele momento rápido e superficial.

“Você pode descobrir mais sobre uma pessoa em uma hora de brincadeira do que em um ano de conversa”, Platão.


Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]