Convivendo

Superação

Mulher de olhos fechados apoiando seu rosto em suas mãos
123RF
Carlos de Campos
Escrito por Carlos de Campos

Havia, naquele momento, em que se permitiram mais que a possibilidade de ter alguém com quem conversar; uma energia notável. Não porque “falássemos a mesma língua”, mas abrimos nossos corações ao que ecoa da própria alma.

Oportunidade de ser o que se é, sem máscaras e sem mentiras. Tudo o que somos de bom e de ruim… Sendo a nós revelado ao longo de nossas relações.

Sob a pele humana há uma inquietação perturbadora que nasce junto e cresce conforme nós nos damos conta de que não temos a certeza de nada e muito menos o controle de tudo.

Sim! É exatamente o que desejamos e nos sentimos inúteis diante dessa enorme impossibilidade. Nunca tivemos tanta força para nos superar assim. Força que vem dos corações e mentes unificados, na dança que testemunha nosso encontro de almas.

Mulher deitada no chão olhando para o lado
Actionvance/Unsplash

Te encontro no mais profundo silêncio

Onde as dores da superfície não alcançam

Onde o mundo não existe

Onde o tudo e o nada são um

Onde o vazio está repleto

Onde não há nem tu nem eu.

Onde os nossos mistérios são totalmente desvelados. Novidade essa, tão antiga… Observamos com tamanha incompetência que nem percebemos o quanto estamos envolvidos uns com os outros. Sentimentos que florescem tudo o que existe em nós. E, por não sermos educados para tanta informação, é que procuramos, a todo custo, nos sabotar.

Menina ajudando menino que está caído no chão a levantar
Annie/Unsplash

Estamos criando e recriando a nossa realidade a cada segundo?

Estamos criando o que neste momento?

Estamos na eterna tentativa de ser feliz! Temos consciência de que é uma missão muito árdua, e que precisamos sempre nos manter com os pés no chão.

Existirá dias em que seremos golpeados por sofrimentos que vêm e vão, do nada. Porém, os dias maus passam rapidamente. E, como esses teus olhos, o sol da felicidade voltará a brilhar aquecendo nossas almas e ajudando a nos transformar.

Você também pode gostar

Vem fortalecer, com teu abraço, a minha alma, nos tempos não tão bons!

Vem, beleza extraordinária que vela a minha alma!

Vem sussurrar em meu ouvido para que eu ressuscite do vale dos ossos

E seja a minha carne Cobrindo minha infame nudez.

Sobre o autor

Carlos de Campos

Carlos de Campos

Quem é Carlos de Campos?

Era uma vez um poeta, filósofo e teólogo
Era ele avesso a trivialidades.
Vivia refletindo sobre a vida com sua poesia.

Costumava questionar
Toda sombra instalada
Organizando as ideias
Sua poesia gritava.

Era de se admirar!
Entre sinuosas linhas, focando o autoconhecimento
Sua mensagem auxiliava.

O poeta era ligeiro
E nada o constrangia
Com a força da palavra
Muitos versos nos trazia
Na voz um canto festivo
No peito uma euforia
De chegar ao equilíbrio no convívio do dia a dia.

Contatos:
Email: [email protected]l.com
Facebook: Carlos Campos Júnior
Página do Facebook: @resistircompoesia
Pictame: @omestrepoetico/