Convivendo

Trabalhando no Médicos sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você certamente já ouviu falar dos Médicos sem Fronteiras, que é uma organização que oferece cuidados de saúde de forma humanitária em países com situações complicadas ou pessoas refugiadas.

Composta por profissionais da área da saúde, entre eles: cirurgião, anestesista, ginecologista, enfermeiro, pediatra, enfermeiro obstetra, farmacêutico, fisioterapeuta entre outros. Os Médicos sem Fronteiras atuam em mais de 60 países como Angola, África do Sul, Costa do Marfim, Moçambique, Sudão, Nigéria, Quênia entre outros.

Foco do perfil

shutterstock_225904339-2 Trabalhar no Médicos sem Fronteiras é uma causa e a motivação é a de estar ajudando pessoas em situações de risco. Existe remuneração para estes profissionais, só que os salários não são tão atraentes assim, e a paixão pela causa humanitária é o que faz com que profissionais sigam esse caminho que de fato é transformador.

Somente no ano de 2012, mais de 34 mil pessoas trabalharam  nos projetos da organização em 72 países. Se você tem interesse ou dúvida é bom conversar ou conhecer alguém que já participou para lhe contar como foi essa experiência. Mas se sua vontade pulsa em fazer parte dessa equipe, reflita em primeiro lugar como reage a situações de risco e se, se sente preparado psicologicamente para ajudar. E claro, uma boa conversa para tirar dúvidas também auxilia.

Como se candidatar?

Você pode trabalhar tanto no campo de atuação fora do país ou em um escritório no Brasil. Trabalhar no Médicos sem Fronteiras é construir uma carreira na humanização das pessoas, ou seja, trabalhando em equipe.

MSF_EXPATRIADO

As etapas de uma seleção

Além da análise do currículo, existem etapas de treinamento e preparação. A preparação não é apenas profissional, mas também psicológica. O candidato não escolhe o país que vai ficar, tão pouco sabe muitas vezes a realidade que a região se encontra.

Lidar com situações de conflito, morte, doenças, fome, muitas vezes serão comuns. E para isso é preciso estar preparado psicologicamente para de fato ajudar muitas pessoas em situações de risco.

Confira algumas etapas da seleção e qualquer dúvida entre no site do Médicos sem Fronteiras:
  • Análise de currículo: é feito em inglês ou francês acompanhado de uma carta de motivação em português;
  • Pré-entrevista: Se aprovado, será feita uma pré-entrevista por telefone mesmo, onde no momento o candidato também vai falar a língua estrangeira escolhida;
  • Atividade presencial: é de recrutamento e dura um dia onde o candidato interessado em fazer parte do Médicos sem Fronteiras, tem uma reunião informativa, entrevista individual e também teste de língua estrangeira que ocorre no Rio de Janeiro;
  • Período de espera: Tudo depende do cargo que se candidatou. A espera média dos candidatos é de nove meses, mas lembrando que pode variar.

Observações: custos com passagens e hospedagem na fase da seleção são por conta do candidato.

Outra forma de trabalhar em projetos de ajuda humanitária e ficar sabendo de todas as vagas disponíveis, acompanhando as seletivas, é a página no LinkedIn do Médicos sem Fronteiras. Por lá, você vai saber as oportunidades oferecidas seja em campo ou no escritório do Rio de Janeiro. E também pode tirar todas as suas dúvidas e informações sobre como trabalhar nessa rede humanitária. Boa sorte!


• Texto escrito por Angelica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]