Convivendo Jardinagem

7 dicas para cultivar orquídeas

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Ter plantas em casa é sempre uma boa forma de alegrar o ambiente, purificar o ar e trazer mais beleza para o seu lar. Muitas delas não requerem prática nem muitos cuidados especiais, porém as orquídeas são plantas que, de tão belas, fazem valer o esforço que requerem. São plantas frágeis e até mesmo um pouco voluntariosas já querem escolher o local em que se adequarão e dificilmente se adaptarão caso você as mude. Já, se bem cuidadas, podem durar anos seguidos e se tornar um verdadeiro xodó de seus donos.

Abaixo, relacionamos sete preciosas dicas para que você tenha sucesso no cultivo de suas orquídeas. Mãos à obra e boa sorte!

1- Local 

Orquídeas se desenvolvem bem em copas de frondosas árvores pois elas precisam de locais ventilados e com luz indireta. Caso você vá cultivar sua orquídea em um vaso se certifique de colocá-lo em algum lugar com estas características. Suas folhas são finas e delicadas e dificilmente sobrevivem se ficam embaixo do sol diretamente.

2- Umidade 

Ao contrário de suculentas, as orquídeas precisam de grande quantidade de água para sobreviverem. Mas isso não significa que você deve regar sua orquídea com muita água ou diversas vezes ao dia. Mantenha sempre outras plantas por perto dela ou mesmo um umidificador por perto. Elas são plantas que são capazes de captar a água vinda do ar, então um tempo úmido sempre as beneficiará.

3- Regagem 

Apesar de no tópico anterior afirmarmos que a orquídea precisa de bastante água, ressalto que não se deve regar demais, caso contrário terá o efeito contrário do pretendido. Uma boa forma de ver se já é hora de regar novamente é observar como está o substrato que a acompanha. Ela deve ser regada apenas quando ele estiver seco, podendo ser inclusive em dias alternados.

4- Adubo 

Assim como a água, deve-se ter atenção na hora de adubar suas orquídeas. Até mesmo os fabricantes destas vitaminas das plantas costumam recomendar maior quantidade do que realmente é necessário. Dilua em quantidade maior do que o recomendado e apenas faça uso deste artifício na época de crescimento da planta, quando surgem novos brotos. Quando ela já tiver atingido sua maioridade dê apenas água.

5- Florescendo 

Uma boa forma de avaliar se sua orquídea está se desenvolvendo bem é sempre anotar em um calendário em qual época ela floresceu. Assim, no próximo ano, se na mesma época ela não lhe presentear com as flores é necessário avaliar o que está acontecendo. Em grande parte das vezes a planta precisa de um local com mais luz para nascer suas flores.

6- Ataques de insetos 

Assim como os humanos, as plantas também podem ficar doentes e estão suscetíveis a ataques indesejados de insetos e pragas. Para evitar que a doença se alastre e você perca sua orquídea, seja um dono presente e sempre que possível inspecione as folhas, flores e até mesmo os brotos que estão nascendo. No menor sinal de fungo, parasita ou ataque de inseto procure a solução compatível.

7- Troca de vasos 

Apesar de ser uma troca difícil e sensível, ela deve ser feita sempre que a planta começar a ficar grande demais para o vaso em que está plantada. Nesta hora é preciso ficar atento à melhor forma de fazer essa troca. Seja cuidadoso e sempre troque o substrato. Também é hora de retirar as folhas amareladas e antigas. É como se fosse um renascimento da planta.


Escrito por Roberto Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]