Autoconhecimento

7 passos para deixar de ser agradador

Mulher fazendo anotações em uma agenda
cottonbro/Pexels
Rafael Gonçalves
Escrito por Rafael Gonçalves

Você tem (muita) dificuldade em dizer “não”? Você deixa de viver a sua vida, de correr atrás das suas vontades e conquistas para correr atrás das vontades, desejos e pedidos de outras pessoas?

Você abre mão da própria qualidade de vida para manter a ilusão de ser agradável ou querido(a) por outras pessoas?

Ao terminar de ler este texto (e colocar os passos em prática), você vai conseguir reduzir absurdamente o comportamento de agradador em sua vida.

Assim, você começa a caminhar em direção aos seus próprios interesses com mais leveza e plenitude, sem aquele peso nos ombros por estar fazendo algo primeiro em seu benefício, e depois para os outros.

Como descobrir se você tem um comportamento agradador?

As pessoas agradadoras:

  • Querem dar conta do trabalho, da casa, do filho, dos pais, da vida pessoal, da saúde física, do corpo… tudo isso com maestria (sem errar, mostrar cansaço ou desequilíbrio emocional);
  • Fazem (quase sempre) o que os outros pedem;
  • Vivem resolvendo os problemas dos outros;
  • Levam o mundo nas costas;
  • Evitam discordar dos outros;
  • Evitam conflitos e negociações;
  • Evitam expor a sua verdadeira opinião;
  • Aceitam demandas além da conta;
  • Têm muita dificuldade em dizer não;
  • Dizem sim para a maioria das pessoas e situações;
  • Acham que é egoísmo pensar em si mesmo primeiro;
  • Colocam as necessidades, desejos e vontades dos outros em primeiro lugar;
Homem no escritório trabalhando no computador
Andrea Piacquadio/Pexels

Por exemplo…

Todos nós temos um nível de produtividade.

Vamos imaginar uma pessoa no trabalho com 100% de produtividade.

Só que ela não consegue dizer “NÃO”. E vai assumindo demandas de colegas, incêndios do chefe…

Porque ela quer ser vista como produtiva e companheira no trabalho, não quer decepcionar o chefe e os colegas e acaba aceitando muito mais trabalho do que dá conta.

Então ela assume 170% de trabalho.

E com muito sacrifício ela se esforça para tentar entregar os 70% extras.

Sacrifício do quê?

Da família, dos filhos, do cônjuge, do lazer, da saúde mental e física.

E o que acontece geralmente nesses casos?

> As pessoas ao redor se tornam abusivas

> O agradador começa a “morrer” por dentro

> O agradador passa a viver uma vida sem sentido

> O agradador sofre de angústias diárias

> O agradador busca preencher o vazio emocional e existencial com bebida, cigarro, compras…

> O agradador passa a ter sofrimento físico causado pelo sofrimento emocional

> O agradador se torna a pessoa que resolve tudo para todos (e ninguém resolve nada para ele)

E no final ele não consegue dar conta da demanda extra e não cumpre com suas obrigações.

Então, essa pessoa acaba esgotada física e emocionalmente, além de ter decepcionado o chefe e os seus colegas, e estar com a vida pessoal e conjugal bastante bagunçada.

Eu mesmo vivia ajudando, fazendo tudo pelos outros, me doando, e durante muitos anos eu fiz isso, inclusive sendo voluntário de ong animal e social.

Então eu comecei a perceber que não estava indo na direção que EU queria. Não estava conseguindo o que EU desejava. Não estava vivendo a MINHA vida.

Então, eu fui procurar entender o que estava acontecendo.

E eu vejo muito isso hoje em dia.

Pessoas e profissionais brilhantes, com grande potencial, mas presos em seu próprio comportamento, querendo fazer mais pelos outros do que para si mesmos.

Deixando de viver a própria vida, os seus projetos, abandonando objetivos e metas pessoais e profissionais simplesmente para se dedicar aos outros.

E quando essa pessoa chega aos 40 anos, aos 50 anos e olha para trás percebe que viveu uma boa parte da sua vida para os outros e não para si mesma.

Sufocou, reprimiu desejos, vontades e sentimentos.

Deixou passar oportunidades. Evitou se arriscar em alguma carreira, trabalho ou aventura.

E a essa altura está cheia de emoções e sentimentos destrutivos e comportamentos limitantes que estão impedindo que ela avance naquilo que ela realmente quer.

E na verdade não importa a idade. A pessoa pode ter 20, 30, 40, 70 anos.

Só que quanto mais cedo perceber isso e trabalhar para se libertar desse comportamento, melhor.

Mix de emoções

Imagem com uma mulher fazendo diversas expressões faciais demostrando emoções
Andrea Piacquadio/ Pexels

A pessoa agradadora vive um mix de emoções e sentimentos potencialmente destrutivos.

Os agradadores fazem o que fazem por diversos motivos:

  • Medo do que os outros vão falar
  • Medo do que os outros vão pensar
  • Medo de perder as pessoas que ama [ser deixado(a)]
  • Medo de não parecer ser bom o bastante
  • Medo de perder o emprego
  • Medo de perder o apoio de alguém
  • Medo de não ser aceito no grupo
  • Vergonha de ser quem realmente é

São vários os motivos e cada pessoa tem o seu. Cada caso é um caso.

Sinceramente, eu adoraria explicar a causa raiz desse comportamento, mas é um assunto extenso e profundo.

Sendo assim, eu abordo esse tema nos detalhes na minha mentoriaula (mentoria + aula) “O Agradador”.

Agora, você vai conhecer os 7 passos para deixar de ser um agradador e conquistar a vida que você deseja e merece!

Passo 1 – Saiba exatamente o que você quer

O que você deseja? Aonde quer chegar? O que quer conquistar? O que você quer sentir? Como você quer se sentir?

Você já pensou de verdade, com intensidade, na vida que você deseja?

Como será a sua rotina? O seu trabalho? O seu dia a dia?

E depois que você descobriu qual é o caminho que você está determinado a ir…

Passo 2 – Objetivos e metas

Comece a dar forma à sua vida…

Transforme essa vida dos sonhos em objetivos e metas realizáveis.

Desenhe um mapa com as coordenadas para você ter uma base sólida e um norte, que vai guiar cada passo que você der.

Passo 3 – Faça análise dos obstáculos

O que está impedindo você de avançar neste momento?

– Quais são as suas crenças em relação a isso?

– Quais são os seus valores?

Anote tudo!

Passo 4 – Faça análise das emoções e sentimentos

– Você tem medo de quê?

– Quais são os sentimentos que estão afetando você?

– Como isso está atrapalhando o seu avanço?

– Quais são as consequências físicas desse sofrimento emocional?

Descreva em detalhes o que você perceber e vier à mente.

Passo 5 – Encontre dentro de si o amor, a dignidade e a suficiência

Um dos maiores desafios que um agradador enfrenta é encontrar dentro de si o que ele busca fora dele.

Amor, dignidade e suficiência são emoções e sentimentos que mais faltam.

Passo 6 – Blinde-se contra opiniões e julgamentos

Você também pode gostar

O que o outro vai achar da sua posição, das suas ideias ou do seu comportamento é problema dele.

Certamente, você não vai insultar ou prejudicar o próximo. Sendo assim, faça o que você deseja, pensando em si em primeiro lugar.

Passo 7 – NUNCA se desculpe por ser quem você nasceu para ser.

Nunca se desculpe por ser quem você nasceu para ser. É a sua essência.

Não fique pedindo permissão para fazer a sua missão, para realizar o seu papel neste mundo.

Experimente pedir mais desculpas do que com licença. Vai e faz. Siga a SUA vida!

Você está fazendo o seu melhor, e não prejudicando os outros.

E aí, qual destes passos você mais precisa desenvolver em sua vida?

Sobre o autor

Rafael Gonçalves

Rafael Gonçalves

Rafa Gonçalves ajuda pessoas (profissionais, empreendedores, executivos, mães, pais...) a transformar emoções negativas e comportamentos limitantes em degraus para obter conquistas pessoal e profissional.

Entende que as pessoas podem fazer tudo o que já fazem (ou talvez mais!) de uma forma muito diferente, com mais leveza, autorrespeito, flexibilidade e muito menos ansiedade, estresse ou cansaço mental.

Sua missão é ajudar 5 milhões de pessoas (até 2030) a obter mais conquistas pessoal e profissional, tendo uma vida com plenitude, liberdade mental e menos ansiedade, estresse ou depressão, por meio de mentorias e treinamentos.

Email: [email protected]
Site: rafagoncalves.com.br
Facebook: sejareferencia.oficial
Instagram: @rafa.goncalves.oficial