Autoconhecimento

A cirurgia plástica da alma é um exercício diário de reflexão

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O envelhecimento é inevitável para todos. Não tem jeito, o tempo vai pesar nas costas de todos os seres humanos. A diferença é que para alguns o peso será mais leve e para outros mais severo, mas a nossa vitalidade irá reduzir de alguma forma. A questão a ser analisada é não só como chegaremos no estágio final de nossas vidas, mas também a forma como nossas almas estarão moldadas. É perfeitamente possível existirem jovens com almas velhas e também pessoas velhas com almas joviais. 

Com os avanços da medicina, as cirurgias plásticas podem tornar a aparência de alguém consideravelmente mais jovial. Mas e dentro de nós, mais especificamente na alma? Será que o bisturi pode encostar naquilo que levamos dentro de nós? Obviamente não. Muitas vezes, a nossa experiência de vida é refletida na aparência física. Aqueles que tiveram uma vida mais árdua e sofrida, certamente terão um envelhecimento mais desgastante do que aqueles que foram mais privilegiados pelos acontecimentos ao longo do tempo. O que é preciso ter bem claro em nossas mentes é que isso não é uma regra necessariamente exata.

Tão certo quanto o envelhecimento é que a vida é algo muito difícil para qualquer um.

Para quem é religioso pode interpretar que Deus dá o fardo mais pesado para aqueles que tem mais força para carregá-lo. Já quem opta numa linha mais científica, a ideia é a mesma quando se pensa que a adaptação às mudanças é essencial para a evolução.

“Decepções são inevitáveis, porém sofrer é opcional”, já diz um velho ditado e que quebra essa ideia tão exata que o corpo é um espelho da alma. Além da questão genética, que não pode ser descartada, você pode ter uma vida muito difícil e isso não refletir no seu corpo. Assim como pode viver sob abundância e conforto, mas desgastar-se com o passar do tempo. O bisturi pode melhorar bem sua aparência, caso tenha algum dinheiro guardado. Cuidar da alma é um processo contínuo e gratuito, que você deve adotar desde o dia em que toma consciência de si mesmo até o último dia de sua vida. Se fizer isso, quando estiver do outro lado, a primeira coisa que vai pensar será que tudo valeu a pena. Afinal, você somente é quem é pela soma de todas as experiências adquiridas ao longo da sua vida, tanto as vivências boas e prazerosas quanto, principalmente, as ruins e dolorosas, pois são dessas que realmente tiramos lições valiosas.


Texto escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]