Autoconhecimento

A diferença entre empatia e simpatia

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Normalmente as pessoas acreditam que a simpatia trata-se de uma característica em pessoas agradáveis, sorridentes e positivas. Há quem atrele o termo “simpatia” à pequenos rituais para acumular boa sorte na vida, conseguir dinheiro, entre outras coisas. Sobre “ser simpático”, essa característica vai além do que conhecemos por pessoas simpáticas.

Uma pessoa simpática é aquela que percebe o sentimento das outras pessoas num primeiro momento, que entende o que a pessoa a sua frente está sentindo, também podendo transmitir sentimentos às pessoas de uma maneira superficial, tornando-se assim, uma pessoa simpática.

De acordo com o site Dúvidas Dício, a palavra simpatia tem sua origem na palavra grega sympátheia ou na palavra em latim sympathia e se refere a um sentimento de solidariedade, de boa disposição e empenho para com os outros, que provoca uma boa impressão e uma disposição favorável, bem como apreço e admiração. Pode significar ainda o começo de um desenvolvimento amoroso, devido ao fato de ser um sentimento próximo ao amor. Popularmente, se refere a um ritual supersticioso, de magia e feitiçaria, para se conseguir alguma coisa que se deseja.

Já a empatia é quando, além de identificar o sentimento das pessoas, é buscar compreender num nível mais profundo seus sentimentos e além disso, é buscar entender a realidade através dos olhos das pessoas. De fato colocar-se no lugar delas e até buscar soluções para a resolução de sentimentos  ruins dada as situações que ela possa estar passando.

A palavra empatia tem sua origem na palavra grega empátheia, pelo inglês empathy e se refere a uma aptidão para se identificar com os outros, se colocando no lugar da outra pessoa, compreendendo seus sentimentos e modo de ser. Significa também a capacidade de compreender uma obra de arte ou outro objeto estética e emocionalmente. Por fim, no âmbito das relações interpessoais se refere à capacidade de se ver como os outros o veem e de ver os outros como eles mesmos se veem.

O poema abaixo, escrito pelo psicólogo e psicodramatista Jacob Levy Moreno, elucida de forma mais clara o que é então o sentimento de empatia:

“Um encontro entre dois: olho a olho, cara a cara E, quando estiveres perto, arrancarei teus olhos E os colocarei no lugar dos meus E tu arrancarás meus olhos E os colocarás no lugar dos teus Então te olharei com teus olhos E tu me olharás com os meus”. 

Percebemos que, no sentimento que cultivamos de empatia pelo outro, passamos a conhecer suas dificuldades, sua realidade perante a vida e seus pontos de vista sobre as coisas e seu mundo, através de seus olhos e seu sentimento. Na simpatia, manifestamos o sentimento de afeição refletida, sem tanta profundidade e contato.

É de suma importância desenvolvermos nosso sentimento de empatia com as pessoas, uma vez que nossa sociedade carece hoje de valores positivos para o convívio harmonioso. Olhar com os olhos do outro, permitir-se sentir o que o outro está sentindo são ações nobres aos seres humanos. Requer uma reflexão interna, leitura e espiritualização. Com certeza conhecemos pessoas que possuem essas características. Nós podemos ser pessoas que irradiam simpatia e que são empáticas com as outras. Isso não significa ser bonzinho ou fazer tudo o que é pedido, mas sim ter discernimento sobre o certo e o errado e com empatia abrir-se para mundos completamente diferentes que o nosso e desenvolvermos ainda mais nossas vidas.

Abaixo um excelente vídeo sobre a diferença entre simpatia e empatia. Vale a pena assistir:


Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]