Autoconhecimento

Por que a empatia é tão importante?

Mulher negra abraçando homem negro com expressão relaxada
Aleksandr Davydov / 123rf
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Muito se fala em empatia e da importância que ela tem em vários âmbitos da nossa vida. Mas você saberia defini-la caso te perguntassem mais sobre ela? Saberia dizer ao certo o que é ser um ser humano empático, quando devemos agir assim ou até como essa característica pode se desenvolver em nós? Nós vamos te auxiliar e te ajudar a entender melhor o que está por trás de um dos atos mais belos do mundo.

Significado de empatia

Quando pesquisamos o significado de empatia, encontramos não só a definição simplificada, como também a descrição feita pela Psicologia e pela Sociologia.

De acordo com os dicionários e sites ligados a significados de palavras, empatia significa “a capacidade de se identificar com outra pessoa, de sentir o que ela sente, de querer o que ela quer e de apreender do modo como ela apreende”. Esse pequeno resumo tem co-relação com os demais conteúdos ligados ao assunto, mas o que os diferencia são os estudos por trás disso.

– Significado de empatia segundo a Psicologia: “Processo de identificação em que o indivíduo se coloca no lugar do outro e, com base em suas próprias suposições ou impressões, tenta compreender o comportamento do outro.”

– Significado de empatia segunda a Sociologia: “Forma de cognição do eu social mediante três aptidões: para se ver do ponto de vista de outrem, para ver os outros do ponto de vista de outrem ou para ver os outros do ponto de vista deles mesmos”.

Ao analisar todas as definições, o que há em comum em todas ela é o ato de se colocar no lugar do outro. Independentemente de ser pela visão psicológica, sociológica ou do dicionário, ambos citam a nossa relação com os demais, com todos aqueles que fazem parte ou não da nossa vida.

Ser empático é, além de se colocar no lugar do próximo, buscar entender suas dores e vivências por uma nova perspectiva. É não se fechar em uma bolha pensando que não existe nada mais ao redor, mas entender que cada ser humano é diferente do outro na mesma medida que é igual. Você consegue visualizar isso? Valorizar e respeitar as diferenças é entender que todos nós temos uma mesma origem, que todos nós merecemos ser tratados com a mesma atenção e amor?

Mas, afinal, o que muda ser empático e desenvolver essa visão em relação aos outros? Como isso muda você e o mundo?

Importância da empatia

Foto das costas de quatro pessoas que estão abraçadas.
Vonecia Carswell / Unsplash

Falar da importância de um ato tão nobre pode parecer fácil, mas com ele é preciso compreender também que há um longo processo de desconstrução que caminha lado a lado. E por que desconstrução?

Quando falamos em entender o outro pela visão dele mesmo, se colocando em seu lugar, precisamos deixar muitos padrões e pensamentos para trás. Afinal, você deixa de lado por um instante tudo o que você aprendeu que era certo, todas as suas experiências e suas crenças. Nesse momento, em seu coração, só existe espaço para o amor incondicional e para o não julgamento, sendo que este último é um dos mais difíceis quando falamos de seres humanos.

Se pararmos para refletir, é muito mais fácil olhar para o próximo, identificar o que não concordamos ou não se identifica com a nossa verdade, e julgar. Apontar o dedo não requer inteligência, não exige de nós nenhuma quebra interna e ainda por cima traz consequências sociais como: afastamento, indiferença e até repúdio. E se fosse com você?

A importância da empatia passa pelo processo de externar sentimentos mais nobres, mostrando a quem está ao nosso lado que ele também é importante. Quando você abandona todas as barreiras internas e desenvolve seu lado empático com as pessoas, você oferece a elas o conforto. Você mostra, por meio de sua visão mais ampla e leve, que apesar das diferenças existentes entre as realidades, o que ela sente faz sentido, que as alegrias e dores são válidas e que é possível ser compreendido em meio ao turbilhão que é viver.

Ser empático humaniza quem passa pelo seu caminho mostrando que, além de você, todo mundo é parte essencial do que chamamos de vida.

Dicas para buscar ser mais empático

Como você tem agido com os outros? Você acredita que precisa melhorar? Está disposto a fazer diferente? Confira alguns exercícios simples que você pode colocar em prática e desenvolva mais a sua empatia:

1 – Procure entender que um problema nunca é causado só pelo outro

Quantas vezes algo acontece e colocamos a culpa no outro, evitando reconhecer que também somos parte? Cair nessa armadilha faz com que a gente não reconheça que somos responsáveis pelas situações que acontecem ao nosso redor, nos afastando de entender a visão das pessoas envolvidas.

Nesse caso, é importante refletir sobre suas ações e buscar quebrar seus comportamentos repetitivos. Muitas vezes eles podem ser injustos e ajudam a criar suposições sobre a realidade que o outro está inserido. Ou seja, em vez de resolver e escutar o que as pessoas têm a dizer, você cria algo na sua cabeça que nem sempre é verdade e passa a acreditar isso. Essa situação faz você se fechar.

2 – Entenda que um problema também não é causado só por você

Pessoas segurando nas mãos uma da outra.
Aarón Blanco Tejedor / Unsplash

Da mesma maneira que não devemos achar que um problema só é causado pelo outro, também não podemos achar que somos os únicos culpados de tudo. Escolher esse caminho muitas vezes é cômodo porque nos coloca em um papel de vítima e acabamos usando isso para compensar situações que não saem como imaginávamos.

É preciso entender que você não é o centro do mundo e que nem tudo é causado só por você. Isso pode significar um sinal de arrogância ou autocentramento exagerado, afastando seu lado empático tanto com você mesmo quanto com o mundo.

3 – Tenha mais paciência

A paciência é fundamental para o desenvolvimento da empatia. Ser paciente ajuda a entender que cada um é cada um, que todos têm a sua história e que a beleza da vida está justamente nisso.

Quando colocamos a paciência em prática, conseguimos valorizar também tanto o nosso processo quanto o dos outros. Ou seja, nessa espera compreendemos melhor as reações e comportamentos que certas situações despertam em todos nós, reconhecemos nossos erros e entendemos que tudo tem sua hora. Vai chegar o momento em que você compreenderá melhor como deve agir com os outros e por qual caminho você deve seguir.

Você também pode gostar:

E ah, lembre-se: não basta ser mais paciente só com os outros. Seja com você também e acolha suas tentativas de ser alguém mais empático.

4 – Escute mais

O hábito de escutar é um dos mais bonitos que existem. Afinal, quantas vezes alguém chegou te falando algo completamente diferente do que você imaginava, mas por você já ter criado na sua cabeça uma resposta pré concebida você acabou escutando só o que lhe era conveniente?

Em vez de ficar pensando em qual será seu próximo argumento para tentar ganhar ou se sobressair em uma discussão sadia, experimente sair da defensiva e escutar com o coração mais aberto. Isso ajuda a entender melhor o ponto de vista que vem de fora, criando empatia com olhares diferentes daqueles que você imaginava anteriormente.

5 – Julgue e cobre menos

A perfeição não existe e esse é um dos empecilhos para desenvolvermos nosso lado empático. Apesar de não sabermos o que é estar na pele dos outros, eles também não sabem o que é estar na nossa. Ou seja, cada um percorre um caminho diferente, constrói sua história e está tudo bem.

O mais importante é respeitar as limitações do outro, fazendo esse exercício também com você mesmo. Já que nada é perfeito e a natureza da vida é justamente oposta, por que cobrar tanto por isso?

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]