Autoconhecimento Coaching

Acabou o dinheiro: o coaching ajuda?

O controle do orçamento familiar, um drama de muitas famílias, é a luta constante para não se gastar mais do que se ganha e assim não entrar na espiral desastrosa de empréstimos bancários com taxas de juros exorbitantes, principalmente no cheque especial! Sem contar com a desagradável necessidade de pedir a ajuda de amigos e familiares, que pode ser um grande problema!

Alguns até conseguem ter certa contabilidade das entradas e saídas financeiras da família, porém nem sempre se controla os valores dos gastos efetivos e não é difícil a conta estourar no fim do mês e aparecer aquele “vermelho” berrante no saldo bancário.

A grande armadilha vem da facilidade em se conseguir crédito nas lojas, aquele carnê com prestações baixinhas e a perder de vista, ou mesmo com o chamado dinheiro de plástico, os simpáticos cartões de débito ou crédito, que facilitam enormemente o processo de compra, porém dificultam sobremaneira o controle dos nossos gastos e no fim do mês a conta explode! Hoje em dia, até o cartão de plástico está sendo substituído por pagamentos no telefone celular, ou seja, mais facilidade ainda para se gastar dinheiro.

Nesse sentido, uma das áreas que o Coaching pode ajudar é na mudança de hábitos das pessoas, implementando uma planilha de controle detalhado dos ganhos e gastos, seguida de um orçamento familiar, garantindo assim que a conta no final do mês estará em ordem e, de preferência, sobrando algum dinheirinho para se formar uma reserva de emergência ou então uma poupança para investimentos futuros.

O Coaching pode ajudar muito, mas não faz milagres. Sem determinação, força de vontade e disciplina, não é possível uma organização financeira pessoal, e esse processo envolve todos os membros da família.

O primeiro passo é a elaboração da famosa planilha de receitas e despesas, onde se devem incluir todos os gastos da pessoa, do casal ou da família. Quando se diz “todos os gastos” está se falando literalmente de todos os gastos do dia a dia, incluindo o cafezinho e até uma bala. Como os consultores financeiros dizem, são nos pequenos gastos invisíveis que muitas contas estouram no final do mês.

Depois do primeiro mês de preenchimento da planilha já se tem uma boa ideia do tamanho do buraco, mas precisa-se de pelo menos uns três meses (dependendo da situação individual) para uma análise mais precisa. Esse diagnóstico inicial é o mais trabalhoso, porém essencial para o desenvolvimento do trabalho que vem a seguir, ou seja, começar a rever a importância e prioridade de cada gasto realizado.

Comece a rever a importância e prioridade de cada gasto realizado.

Comece a rever a importância e prioridade de cada gasto realizado.

É a partir daí que o Coach entra para valer, ajudando o Coachee na identificação dos gastos, estimulando as decisões de priorização e concentração no foco e disciplina das suas despesas. Através de ferramentas apropriadas, os profissionais dessa área ajudam seus clientes a desenvolver competências que ficarão de forma permanente impregnadas na vida das pessoas. A elaboração de um plano de metas e objetivos também faz parte desse processo, permitindo que se faça um orçamento de médio e longo prazo.

Adicionalmente pode-se trabalhar na identificação de formas a se aumentar a fonte de renda, seja através de novas habilidades técnicas ou comportamentais que permitam pleitear uma promoção ou até mesmo um novo emprego mais qualificado.

Mas cuidado, pois recentemente li um artigo em um grande jornal de negócios sobre um Coach de investimentos financeiros que sumiu depois de pegar dinheiro de muita gente, prometendo ganhos extraordinários acima do mercado, e no final acabou levando muita gente ao desespero financeiro. Ninguém quer cair nessa enrascada, certo? Afinal, dinheiro fácil só por herança ou loteria, que também pode ir embora muito rápido, se não houver uma boa consciência e planejamento de seu uso.

Via de regra o Coaching não é o melhor caminho para definir quais são as melhores opções de investimento financeiro para o seu dinheiro, pois existem especialistas no mercado que se dedicam em tempo integral a essa complexa tarefa.

Enfim, cuidar do seu rico dinheirinho não é uma tarefa fácil. Sabemos como é difícil consegui-lo, mas como é fácil gastá-lo.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

José Helio Contador Filho

José Helio Contador Filho

Engenheiro Politécnico/USP com especializações nacionais e internacionais, pós-graduado em Musicoterapia Organizacional e Hospitalar. Formado como Conselheiro de Administração pelo IBGC/SP, Coach internacional pelo ICI/SP e Technician em Neurobusiness pelo Instituto Brasileiro de Neurobusiness.

35 anos de experiência (nacional e internacional) como executivo na Siemens Brasil/Alemanha, Ford Brasil, Presidente para a América do Sul da Visteon Sistemas Automotivos e CEO do GRAACC Hospital de Câncer Infantil, incluindo vivência como conselheiro de diversas instituições nacionais.

Atual Sócio-diretor da HCont Consultoria, Coaching e Neurotreinamentos de Alta Performance. Palestrante, autor de livros e artigos, além de presidente voluntário das instituições filantrópicas Instituto Cândido de Desenvolvimento Social e O Semeador Instituto de Desenvolvimento Humanitário e Assistência Social.

E-mail: [email protected]
Site: www.hcont.com.br