Energia em Equilíbrio

Yoga e meditação reduzem gastos com a saúde, afirma estudo de Harvard

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Amaioria da população mundial é, atualmente, dependente do uso diário de algum tipo de medicamento, seja para tratamento de doenças crônicas, aliviar sintomas ou curar disfunções.

Cresce, ao longo do tempo, a quantidade de doenças diferenciadas, muitas vezes associadas ao modo de vida moderno. Ou seja, o organismo sofre com alguns hábitos da rotina do homem, que antes não estava acostumado e passa, então, a manifestar falhas e respostas biológicas que exigem tratamento.

Por exemplo, a alimentação a que estamos habituados hoje em dia é, na verdade, um ataque ao corpo humano. Ao invés de cumprir sua função original de nutrir e suprir as necessidades do organismo, a grande quantidade de produtos industrializados, açúcar e sal que incluímos em nossa rotina apenas o prejudicam e trazem péssimas consequências como obesidade, diabetes, colesterol, entre outros.

Além disso, a extrema cobrança, ansiedade e pressão a que somos submetidos nesse vai e vem de trabalho, vida pessoal, família e todo o resto, nos submete a outras doenças como estresse crônico, dores musculares, dores de cabeça, depressão e outras mais.

Os cuidados

Vítimas de tais efeitos colaterais, temos de nos cuidar, portanto, buscamos, entre diversos métodos, maneiras de nos tratar.

Os medicamentos químicos são, na maioria das vezes, a escolha mais comum. Por se tratarem de soluções quase sempre imediatas e certeiras, a ingestão deles é presente na vida de muita gente e parece resolver muitos problemas, entretanto, tem suas consequências, sendo algumas conhecidas e outras não.

Os medicamentos laboratoriais podem ajudar muito, mas incluem diversas desvantagens como a dependência química, efeitos colaterais no corpo e um grande incômodo: o gasto que geram.
Os remédio não costumam ser baratos e, mesmo que sejam, nos incluem num ciclo de visitas constantes ao médico, exames de rotina e mais algumas atividades que aumentam, consideravelmente, o calibre da conta no final do mês.

Por conta disso, muitas pessoas buscam meios alternativos de se cuidar. Por questão de saúde e também de economia, métodos como homeopatia, yoga e meditação têm sido cada vez mais usados como caminho de tratamento.

Essa opção exige um tanto mais de paciência, conhecimento e disposição para fazê-la efetiva.

Comprovadamente eficiente

Muito mais como uma forma de prevenção, a prática da meditação e da yoga se mostra benéfica, a fim de remediar algumas doenças.

Estudos norte-americanos apontam que indivíduos que tem como costume essas duas atividades estão muito menos propensos a desenvolver doenças, principalmente aquelas associadas ao sistema nervoso.

Tanto a meditação, quanto a yoga, trabalham com o controle a autoconhecimento do corpo, permitindo que o praticante seja menos ansioso, estressado e preocupe-se mais em se cuidar, desde o fato de dar atenção à alimentação quanto à prática de atividades físicas.

Além do relaxamento mental, elas são capazes de melhorar a atividade dos sistemas cardiovascular, nervoso e a qualidade do funcionamento dos músculos de todo o corpo, assim como a disposição, o humor e bem-estar.

A meditação

Os efeitos da meditação, segundo estudos científicos, são literais mudanças cerebrais. Quem pratica meditação apresenta aumento de massa cinzenta no cérebro. Isso significa melhora das funções sensoriais e consequente autocontrole, fazendo com que a pessoa seja mais calma e consciente em suas atitudes. Logicamente, o indivíduo torna-se menos ansioso e estressado.

Mais além, meditar é capaz de cuidar da área cerebral responsável pela memória e raciocínio, representando também melhora nessas funções.

A yoga

Como exercício de movimentação e consciência corporal, a yoga auxilia na exploração de funções corporais que muitas vezes não são percebidas durante o dia a dia.

A prática exige controle de força e, principalmente, respiração, tornando essas atividades perceptíveis e não mais automáticas. Sendo assim, melhora-se a respiração, a concentração, o movimento e a flexibilidade muscular. Consequentemente, a circulação de sangue flui melhor e atinge desde o suprimento de cada célula até o bom humor, foco e concentração.

Dessa maneira, as duas atividades são responsáveis por grande economia com questões de saúde. De forma natural, é possível se cuidar, conhecer-se e evitar doenças.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]